Cidadeverde.com

Ocupação completa 2 meses e Apanhador Só faz show em apoio ao #OcupaPraça

**Colaboração de Maria Romero

A banda gaúcha Apanhador Só fará show na Praça das Ações Comunitárias na noite desta terça-feira (8). A apresentação acontecerá em apoio aos dois meses de ocupação do espaço, que está sob proteção judicial desde o dia 8 de outubro. A prefeitura de Teresina elaborou projeto para construir no local um dos terminais de integração de ônibus da cidade, mas para isso teria que derrubar quase 100 árvores, o que causou revolta aos moradores. Após protestos da população, o juiz da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública, Jorge Clay Martins Vieira, suspendeu a obra por meio de liminar. 

O evento terá início por volta das 17h com apresentações de malabaristas argentinos e abertura da banda Jah Une. O grupo Apanhador Só se apresentará na praça depois de pedidos de teresinenses pelas redes sociais, que sugeriram o local. Jaqueline Araújo, uma das organizadoras do evento, destacou que um grande público já confirmou presença no evento.

"Estamos com essa banda nacional que fará um show na praça, que foi escolhida exatamente pelo movimento que está acontecendo lá, confirmaram presença mais de 1.800 pessoas pelo Facebook. E a banda já é formada por pessoas que são do movimento ambiental. Vai haver ainda artistas argentinas que se apresentarão com malabares", informou.


Movimento #OcupaPraça

Lourdes Melo, que também integra o movimento, comentou sobre a expectativa do evento para dar destaque à ação de proteção à praça. "Vai ter o show e esperamos que tenha grande repercussão, para defender a praça e também temos previsão de construir uma biblioteca no local, para atrair as pessoas, divulgar a leitura para as crianças. Planejamos também um ato público diante da prefeitura, mas a data ainda será definida", disse.  

O Ministério Público, que realizou perícia técnica sobre a viabilidade de construção de um terminal em outro ponto do bairro, sugeriu que, em vez disso, a praça fosse transferida para outro espaço. Caso o terminal seja construído no local, quase 100 árvores teriam que ser derrubadas. "Nós esperávamos que eles apoiassem a permanência da praça e das árvores que estão lá. Tirar a praça de lá para fazer o terminal é um absurdo, não tem sentido", comentou Jaqueline. 

Após a suspensão da obra, a prefeitura de Teresina recorreu da decisão no último dia 11, para dar prosseguimento à decisão. No momento, aguardam posicionamento do juiz Jorge Clay quanto ao pedido. Enquanto esperam uma possível alteração, os manifestantes continuam ocupando a praça.