Cidadeverde.com

Playlist: Top 20 de clilpes com mulheres feministas da música pop

Para homenagear as mulheres nesta terça-feira (08), marcada pelo Dia Internacional da Mulher, o blog Popssauro, do Jornal O Povo, divulgou uma playlist com 20 músicas feministas de mulheres da Pop music.

Artistas que, ao longo de suas carreiras, defendem pautas feministas como o empoderamento da mulher e a igualdade de genero, fazem parte da lista. Dentre nomes clássicos como Aretha Franklin, Whitney Houston e Cher, a seleção também conta com cantoras que continuam lançando trabalhos e levantando a bandeira do feminismo, como Beyoncé, Christina Aguilera, Gwen Stefani, Iggy Azalea, Rita Ora e Madonna.

Confira:

20. Flawless*** (feat. Chimamanda Ngozi Adiche) – Beyoncé

"Feminista, a pessoa que acredita na igualdade social, política e econômica entre os sexos", declara a cantora em determinado trecho da música, que apresenta uma interpolação do discurso "Todas deveríamos ser feministas", da nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie em uma conferência feita no ano de 2012.

19. I’m Every Woman – Chaka Khan

Originalmente lançada em 1978, pela cantora Chaka Khan, "I’m Every Woman" é uma canção poderosa que ressalta que uma mulher pode ser tudo o que quiser ser. A faixa foi regravada em 1992 pela cantora Whitney Houston.

18. Just A Girl – No Doubt

Gwen Stefani foi uma das personalidades que mudaram a forma de ver uma mulher no Mundo pop.  Em “Just A Girl” de 1995, ela mostra que a liberdade para as garotas e mulheres não é algo que se possa deixar de lado.

17. Sisters Are Doin’ It For Themselves -Eurythmics e Aretha Franklin

"Irmãs estão fazendo por si mesmas" é a tradução do título dessa música lançada em 1985 pela banda Eurythmics e Aretha Franklin. A faixa é considerada um hino feminista moderno e foi um grande sucesso.

16. I Don’t Need A Man – The Pussycat Dolls

Lançada como 5º single do álbum “PCD” de 2005, a música das Pussycat Dolls fala sobre independência e de como ser livre de um homem para se sentir completa.

15. He Wasn’t Man Enough – Toni Braxton

A música foi lançada em 2000, com Toni Braxton deixando claro que seu namorado não era homem suficiente, só um garoto querem brincar com seus sentimentos.

14. Lady Marmalade – Labelle

“Lady Marmalade” foi lançada em 1975 pelo grupo Labelle e ganhou ares de empoderamento feminino. Chegando a fazer ainda mais sucesso anos depois, quando foi regravada por um um time de artistas pop como Christina Aguilera, Pink e Lil' Kim.

13. Wannabe – Spice Girls

Apesar de ser um pouco teen, o mega-hit de 1996 das Spice Girls inspirou a geração dos Anos 90 quando o assunto é feminismo. “If you want my future, forget my past. (…) If you wanna be my lover, you gotta get with my friends.” (Se você quer meu futuro, esqueça meu passado; se você quer ser meu namorado, tem que estar com meus amigos).

12. Black Widow – Iggy Azalea – Rita Ora

A recente “Black Widow” traz Iggy Azalea e Rita Ora, poderosas contra as ações nocivas dos homens. E o que fazer nesse caso, vingança. Talvez não seja o melhor método, mas já é um plano contra a repressão nos relacionamentos.

11. You Oughta Know – Alanis Morissette

Colocando para fora a frustração de um relacionamento incoerente, Alanis Morissette trouxe a tona os sentimentos de uma mulher traída e a forma de dar a volta por cima, no seu hit-single de 1995.

10. Strong Enough – Cher

Seu o segundo single de Believe de 1999, a música nada mais é do que a forma de dizer: "Sou forte o suficiente de viver sem você".

9. Control – Janet Jackson

A música que dá nome ao álbum de 1986 traz Janet tomando controle não só de seus relacionamentos, como de toda sua vida.

8. It’s Not Right, But It’s Ok – Whitney Houston

A canção retrata o ponto de vista de uma mulher sobre a infidelidade de seu parceiro enquanto o confronta.

7. No Scrubs – TLC

Lançada em 1999, é uma das maiores músicas do trio TLC, junto com Waterfalls e Unpretty. “A scrub is a guy that thinks he’s fly. (…) Always talkin about what he wants; And just sits on his broke ass, so.” (Um babaca é um cara que se acha o tal; sempre dizendo o que quer; mas não faz nada pra conseguir).

6. Respect – Aretha Franklin

A canção foi escrita e originalmente lançada por Otis Redding em 1965. No entanto, "Respect" é mais conhecida na regravação de Aretha Franklin, de 1967. Redding escreveu a canção na forma de pedir o respeito e reconhecimento de uma mulher, Aretha reverteu os papéis em sua versão. A versão cover de Aretha Franklin se tornou uma marca registrada do movimento feminista, e é considerada uma das melhores canções de sua época.

5. Man! I Feel Like A Woman – Shania Twain

A música hit pop/country de Shania Twain lançada em 1999 conta as vantagens de ser mulher e como elas podem se divertir da forma que desejar, sem se sentirem culpadas por isso.

4. Express Yourself – Madonna

Na verdade, o clássico de Madonna do ano de 1989, para o álbum “Like A Prayer”, não é só uma mensagem para as mulheres, é um hino para todas as minorias e grupos oprimidos.

3. Can’t Hold Us Down – Christina Aguilera e Lil’ Kim

Ainda há muita diferença entre homens e mulheres, quando falamos sobre comportamento sexual. E isso também contribui para os abusos sexuais. E agora, as mulheres resolveram deixar de se silenciar e começaram a mostrar que também são seres sexuais. Lil’ Kim e Christina Aguilera fizeram sua parte em 2002 com Can’t Hold Us Down.

2. Independent Women – Destiny’s Child

Beyoncé, Kelly Rowland e Michelle Williams lançaram muitas músicas de empoderamento feminino, como “Bills Bills Bills”, “Say My Name”, “Girl”, entre outras. Mas com Independent Women elas mostram como a independência é a melhor forma da repressão acabar.

1. Run The World (Girls) – Beyoncé

Em “Run The World” de 2011, Beyoncé fala que as mulheres governam o mundo. Tanto o título como a letra da canção promovem o empoderamento feminino. A cantora fala sobre as responsabilidades de muitas mulheres ao redor do mundo, que criam seus filhos, administram suas carreiras e cuidam da casa ao mesmo tempo e acrescenta: elas ainda têm tempo para se divertir!

***Colaboração Lucas Marreiros.