Cidadeverde.com

Site revela fotos raras de Freddie Mercury e seu namorado

  • FMercury6.jpg Hypeness
  • FMercury3.jpg Hypeness
  • FMercury12.jpg Hypeness
  • FMercury5.jpg Hypeness
  • FMercury15.jpg Hypeness
  • FMercury9.jpg Hypeness
  • FMercury16.jpg Hypeness
  • FMercury2.jpg Hypeness
  • FMercury13.jpg Hypeness
  • FMercury10.jpg Hypeness
  • FMercury14.jpg Hypeness
  • FMercury4.jpg Hypeness
  • FMercury7.jpg Hypeness
  • FMercury11.jpg Hypeness
  • FMercury8.jpg Hypeness
  • FMercury1.jpg Hypeness

Medir hoje a grandeza de um artista como Freddie Mercury é lembrar de uma época em que os artistas eram capazes de mover muito mais do que somente uma multidão a cantar canções ou as cifras de suas contas bancárias. Ao tornar-se um ícone gay e uma forte imagem do problema da AIDS no mundo, o vocalista do Queen não abriu mão, porém, da própria intimidade – e as imagens de sua relação com seu último namorado, Jim Hutton, ilustram esse Freddie que vivia o amor com doçura.

Hutton viveu com Freddie desde meados dos anos 1980 até a morte do cantor, em 1991, em decorrência da AIDS. Segundo consta, Freddie precisou lutar bastante para conquistar Hutton, e somente dois anos depois de se conhecerem, e de Freddie investir intensamente nesse tempo, foi que Hutton cedeu às investidas e se deixou apaixonar por um dos maiores cantores de todos os tempos – se tornando um parceiro firme até nos momentos mais difíceis.

Pois, confirme o próprio Hutton conta em um documentário sobre Freddie, assim que o vocalista do Queen foi diagnosticado com a doença, ele teria oferecido que Hutton o deixasse – proposta veemente negada. “Eu te amo, Freddie, e não vou a lugar nenhum”, teria sido sua resposta.

Apesar do triste fim de um artista que sempre pareceu ser maior do que a própria vida, saber que ao seu lado havia um grande amor até o fim também oferece um pouco da dimensão do homem que foi Freddie Mercury, para além artista.

**Hypeness