Cidadeverde.com

Johnny Hooker critica cancelamento de show em Teresina: 'Extremistas não podem vencer'

Atração principal da 17ª Parada da Diversidade de Teresina, o cantor Johnny Hooker teve sua participação cancelada no evento depois de receber diversas ameaças pelas redes sociais por ter dito que "Jesus é travesti". A afirmação polêmica foi feita durante o Festival de Inverno de Garanhuns, no último dia 27. "Eu não disse que era. Eu disse que é. É diferente. Não falei da figura histórica, e sim do que a figura representa", explicou Hooker em entrevista no 29º Prêmio da Música Brasileira, no Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira (15).

Para o cantor, o cancelamento da apresentação abriu um precedente "delicado" contra a comunidade LGBT. "Não foi uma decisão minha cancelar o show em Teresina, foi uma decisão deles. Eu acho delicado, porque abre um precedente ruim para a comunidade LGBT no Brasil. A gente não pode dar a vitória para pessoas com discurso de ódio nem extremistas", analisou.

Organizador do evento, o Grupo Matizes anunciou a mudança na última segunda-feira (13). Johnny Hooker foi substituido por Pablo Vittar e o evento, que aconteceria no dia 26 agosto, adiado para o dia 2 de setembro. Em nota, a produção explicou que o show do artista pernambucano foi cancelado por questões de segurança.

"O cantor Johnny Hooker não se apresentará mais no show de encerramento da 17ª Parada da Diversidade, vez que os órgãos de segurança e tampouco o Matizes, dispõem de mecanismos para evitar que as ameaças de 'dar uma surra','rebolar pedras', 'queimar esse bicho vivo' (sic) sejam concretizadas por aquelas pessoas que as fizeram, haja vista que o evento acontece em espaço aberto', diz a nota do Grupo Matizes.

A organização do evento informou ainda que fez prints de algumas postagens/comentários em redes sociais com manifestações de intolerância, que serão entregues às autoridades, com o devido pedido de apuração.

Via Correio 24 Horas