Cidadeverde.com

Habeas corpus permite que advogados acompanhem sessões da Reforma

O ministro Edson Fachin deferiu nesta terça-feira (09) habeas corpus coletivo preventivo com pedido de medida liminar, protocolado pelo Conselho Federal da OAB, contra resolução da Diretoria Geral da Câmara dos Deputados, que pretendia proibir o acesso do público externo à Câmara dos Deputados durante as sessões de votação da reforma da Previdência.

A decisão do ministro acolhe parcialmente o pedido da entidade, uma vez que permitirá a presença apenas de seus integrantes. No requerimento a OAB solicitava que o acesso fosse respeitado a todos os cidadãos.

No pedido a OAB argumenta que a proibição “é absurda e fere gravemente o princípio democrático do Estado de Direito”. Conforme o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, proponente do HC, a medida proposta tem como intuito único “obstar a participação democrática no acompanhamento da tramitação da PEC nº 287/2016, que afeta profundamente o regime previdenciário dos servidores públicos e dos trabalhadores da iniciativa privada”.

“Não é aceitável que a casa do povo seja fechada para acesso daqueles que são os principais interessados no tema em discussão. Manter as portas abertas é um exemplo de respeito ao direito de manifestação. O Congresso Nacional é a casa do povo e deve preservar essa função em nome do Estado Democrático de Direito”, destacou Lamachia.

Segundo o conselheiro federal e presidente da Comissão Especial de Direito Previdenciário da OAB, Chico Couto, a medida judicial foi necessária em razão da recusa de diálogo por parte da Câmara dos Deputados. “Não tivemos outra alternativa senão entrar com um habeas corpus para que pudéssemos, toda a sociedade representa pelo advogado no Conselho Federal e na OAB-PI, que tenham seus direitos garantidos e só assim trazer ao Congresso o povo novamente”, disse.

Da Redação
redacao@cidadeverde.com