Cidadeverde.com

Rodrigo Martins prevê dificuldades para que Reforma da Previdência seja votada

 

O deputado federal Rodrigo Martins (PSB-PI) não acredita que o Governo Federal colocará em votação a Reforma da Previdência. Se isso ocorrer, o parlamentar prevê que o projeto seja reduzido, para evitar risco de derrota na Câmara dos Deputados. Consequências da redução da base governista, constatada na semana passada, após a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer. 

"O placar não foi o esperado por eles. Eu acredito que a Reforma da Previdência não será colocada de agora. Mas se for colocada será uma reforma muito mínima, muito pequena, tendo em vista a grande possibilidade de sair derrotada na Câmara Federal", disse Martins, em entrevista no Jornal do Piauí, da TV Cidade Verde. 

O Governo previa a votação da reforma em outubro e não admitia reduções no projeto. Com parlamentares descontentes deixando a base e a expectativa de novas delações que podem atingir Michel Temer, Rodrigo Martins avalia que a Reforma da Previdência, se ocorrer, será uma reforma "meia sola", o que chegou a não ser admitido pelo ministro Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência.

Na Rádio Cidade verde, Rodrigo Martins comentou sobre a possibilidade de perder a indicação de três cargos no Governo Federal, que o mesmo colocou a disposição antes da votação da denúncia. "É uma posição do Governo, não vou condenar.  (...) Eu, particularmente, prefiro ter a liberdade de escolher o meu voto com consciência do que ficar amarrado por pequenos cargos em nível estadual por conta do governo federal".

 

O parlamentar também disse que a votação deixou o governo Temer mais enfraquecido e a repercussão negativa da primeira votação deve tornar ainda mais complicada a apreciação de uma segunda denúncia, tornando mais difícil a manutenção da base governista. 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com