Cidadeverde.com

Rodrigo Martins diz que reforma não passa no Governo Temer: "é a semana do desespero"

Fotos: Pablo Cavalcante/Rádio Cidade Verde

Em entrevista no Cidade Verde Notícias desta segunda-feira (11), o deputado federal Rodrigo Martins (PSB-PI) disse acreditar que a Reforma da Previdência não será votada nos próximos dias, como também não será sequer aprovada no ano que vem - o último do governo de Michel Temer (PMDB). 

"É a semana do desespero. Desepero do Governo contando voto e deixar a população desesperada com essa possível votação da reforma", disse Martins, na Rádio Cidade Verde, antes de embarcar para Brasília (DF). "Eu aindo aposto na condição de não ter votação nesse momento, até porque o Governo certamente será derrotado se colocar a votação da reforma agora".

Rodrigo Martins comentou a possibilidade de uma convocação na próxima semana para se votar a reforma da previdência, mas afirmou achar "muito difícil o Governo alcançar votos suficientes". 

"Alguma coisa tem que ser feita. Acredito que não por esse Governo. Eu acho que o Governo não terá votos este ano e muito pior no ano que vem, que é um ano eleitoral, onde a própria base do Governo, que vai estar buscando voto, não vai querer colocar sua digital numa matéria tão polêmica quanto essa", comentou o deputado. 

O parlamentar defendeu um maior debate sobre a reforma que ele considerou importante. Contudo, para Rodrigo Martins, o Governo não demonstrou segurança na sua proposta e é preciso cobrar antes as empresas que são devedoras da Previdência. "É preciso fazer um debate maior envolvendo a sociedade, mas é preciso cobrar também o débito de empresas", declarou. 

"Ela vai ser inevitável, a Reforma da Previdência. É preciso apenas que a gente trate os dados da Previdência com maior transparência e com maior debate com a população. Nós não podemos aqui penalizar só uma classe, ou só o servidor público, ao tempo em que você tem outras contas em aberto", acrescentou Martins, defendendo uma auditoria antes da aprovação de mudanças. 

O deputado piauiense ainda criticou a propaganda feita pelo Governo para tentar convencer a população da aprovação do projeto. "Se a reforma fosse boa, tivesse sido bem debatida, tivesse sido bem esclarecida, não precisava de televisão, não precisava de investimento do Governo", completou. 

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com