Cidadeverde.com
Suzane Jales

Perfeita é a mãe!

Eu amo cinema!

Tanto, que até fui produtora de alguns filmes, dentre eles, o primeiro longa-metragem genuinamente piauiense: Cipriano, do Diretor Douglas Machado, ainda em 16mm. Também produzi o primeiro longa de nosso estado em 35mm: João, também do diretor Douglas Machado.

Cinema, para mim, é diversão e reflexão. Sempre saio de um filme melhor do que entrei… mesmo que seja uma comédia tipo “água com açúcar” ou daquele tipo “sessão da tarde”. Não importa!

É o caso do filme que dá título a este artigo, que acabo de assistir: Perfeita é a mãe! Nele, três mães estafadas com a maternidade chegam no limite e se unem para uma cômica e revolucionária reviravolta.

Ele foi feito para sorrir, mas também me fez refletir sobre essa cobrança de perfeição, que muitas vezes nos fazemos.

OK, a sociedade também nos cobra isso… Mas, em ambos os casos, nós é que permitimos essa cobrança!

E é assim com homens e mulheres, não apenas com as mães, que é o ponto central desse filme.

Quem me acompanha pelas redes sociais, já sabe da frase de meu mestre Stephen Paul Adler, que virou mantra para seus alunos: “Nós somos perfeitamente imperfeitos!” Isso vale para mim e para os outros: não sou perfeita e os outros também não o são!

Então, que tal pararmos com essa cobrança, seja como mãe, pai, profissional ou como pessoa?

Que tal não exigir dos outros a perfeição que também não vamos encontrar dentro de nós?

Assim, vamos viver mais em harmonia com nossa essência e nos relacionar de maneira mais genuína, com respeito e equilíbrio.

Compartilho com você o trailer do filme.

Por hoje é só!

Se gostou, comenta e compartilha com os amigos.

Beijos mil e até o próximo!