Cidadeverde.com
Suzane Jales

Enfrentando a crise com ação

Matéria de dias atrás, no Jornal O Globo, alertava que o desemprego no Brasil ultrapassa a casa dos 13 milhões de pessoas.

Mas a reportagem ia além: apontava para uma profunda mudança no mercado de trabalho em nosso país. Segundo os especialistas entrevistados, o emprego como conhecemos hoje, em breve, não existirá mais.

Muitas pessoas que me seguem já me relataram que estão sentindo na pele esse problema, sejam com elas próprias ou na família.

Por isso mesmo, é que eu venho insistindo em refletir sobre essa situação: já que ele está aí, precisamos fazer algo para sobreviver. E bem.

A revista Você S/A também retratou esse problema e afirmou que em tempos de crise é preciso ir além, inovar, buscar novas experiências e olhar para aqueles que estão triunfando. Mais do que isso, é preciso identificar oportunidades em meio às fragilidades econômicas, pois superar não é uma escolha, é uma necessidade atual.

Para quem está no fundo do poço, é difícil acreditar que os períodos de crise são momentos propícios para evoluir. Mas é verdade! Isso para que levanta, sacode a poeira e se prepara para dar a volta por cima.

OK: não é fácil. Mas é possível. E eu estou aqui para lhe lembrar isso. Se você não enfrenta esse problema, tenho certeza que conhece alguém que está atolado(a) na crise e, quem sabe, poderá ajuda-lo(a).

Bem, tem muitos sites com vasto material sobre como enfrentar a crise. Aqui, quero usar as técnicas de Coaching e Programação Neurolinguística (PNL), que é o meu nicho.

Vamos refletir…

Situações como essa nos deixam com a autoestima baixa e, muitas vezes, sem motivação, sem vontade para nada.

Então, a primeira necessidade é reverter esse quadro. Depois, é partir para a ação. E podemos começar a fazer isso com visualização criativa, por exemplo. Vou explicar como fazer essa técnica:

Primeiro, sente-se de maneira confortável ou deite-se, se tiver condição e mantenha os olhos fechados.

Faça, por três vezes, uma respiração profunda, expirando de maneira bem lenta.

Coloque sua atenção em seus pés e vá subindo seu foco de maneira lenta, como se estivesse passando um escâner em seu corpo. Sinta cada pedacinho do seu corpo e vá relaxando com essa experiência. Não tenha pressa…

Nesse estado de relaxamento, lembre-se de um momento em sua vida em que precisou encontrar forças para superar algum perrengue na vida.

Relembre como você estava se sentindo, lembre-se das emoções, do ambiente em que você estava, dos sons, dos cheiros… enfim, reviva esse momento sem pressa.

Observe que a força da superação está dentro de você, apenas adormecida. “Acorde” essa força e deixe que ela lhe acompanhe nos próximos dias.

Imagine, crie, sinta você encontrando algumas ideias de como supera essa crise. Se veja colocando essas ideias em prática e conseguindo o que quer.

Vivencie esse momento e quando estiver se sentindo mais forte, abra os olhos e encerre o exercício. Repita quantas vezes quiser até se sentir cada vez mais forte e segura.

Agora, parta para a ação!

Lembro que é muito importante também aproveitar esses momentos de crise e se preparar para quando ela passar, seja fazendo cursos, treinamentos, palestras etc., que possam ajudar você a se adaptar as novidades de mercado que vêm por aí (aliás, que já estão acontecendo).

Dentro desse tema, eu tenho uma grande dica. É para as mulheres que moram em São Paulo ou podem se planejar para estar na capital paulistana dias 17 e 18 de novembro, eu super recomendo um evento de amigos: o Mulher Brilhante, que será realizado no Anhembi com toda a infraestrutura e conforto.

Homens, avisem as mulheres com quem convivem!

Nesse evento, um time poderoso de especialistas se reúne em dois dias de imersão para lhe ajudar a se desenvolver pessoalmente, com ferramentas que ajudarão a vencer medos, traumas e crenças limitantes. Também ajudarão a identificar habilidades para criar ou expandir um negócio que você ame e seja lucrativo e muito mais.

Clique AQUI e conheça o evento, os palestrantes e as outras mulheres, que já foram em outra edição, estão contando sobre essa experiência.

Encerro esse artigo lembrando da famosa frase de Charles Darwin: “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”.

Se gostou, deixa aí o seu comentário e compartilha com os amigos!

Beijos mil e até o próximo!

Suzane Jales,
sua coach