Cidadeverde.com

"Voto fechado é distorção para o país", diz Heráclito

O deputado Heráclito Fortes (PSB/PI) criticou a votação em lista fechada, tema proposto no texto da reforma política e que está em análise no Congresso Nacional. Por esta medida, o eleitor não escolhe diretamente seu deputado, mas vota no partido, que seleciona seus eleitos. “Nós estamos diante de um debate inócuo, porque, por dever e obrigação, temos que respeitar a Constituição brasileira”, disse Heráclito, que sustenta seu argumento na Carta Constitucional, especificamente no art. 60, § 4º, que destaca:

Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: I - a forma federativa de Estado; II - O voto direto, secreto, universal e periódico; III - a separação dos Poderes; e IV - os direitos e garantias individuais.(...).

 

“Está claro que estamos discutindo aqui algo que a Constituição não permite”, disse, ressaltando que o voto em lista fechada é uma distorção para o País. “Votar fechado, em quem não se conhece, é uma distorção para um País que vive um momento que precisa de clareza. Temos que mostrar ao povo brasileiro que a responsabilidade de escolher em quem se vai votar é de cada um dos eleitores, para que se possa cobrar depois”, pontuou o parlamentar piauiense.