Cidadeverde.com

Franzé contesta documento do Progressistas

O deputado estadual eleito foi secretário de Administração e Previdência de janeiro de 2015 a março deste ano. A área comandada por Franzé Silva foi o alvo das medidas propostas pelo Progressistas para reestruturação administrativa do Estado e sustentabilidade das finanças. Mas o deputado eleito comentou o documento com ressalvas. "Abrangente em temas, mas vago em conteúdo e rumos", avalia Franzé, que foi além na análise do documento encaminhado pelo senador Ciro Nogueira ao governador Wellington Dias. "A previdência desde 2015 tem sido nossa maior preocupação e com algumas medidas ao longo desse mandato. Falar da necessidade do recadastramento é não reconhecer o que foi feito. Agora é obrigatório, bianual e estipulado por decreto", afirma. O ex-secretário também contesta redução da máquina administrativa.  "A reforma não pode ter o foco de redução da máquina. O Piauí tem uma das menores estruturas de cargos comissionados do Brasil, o que temos a fazer é  unificar estruturas buscando eficiência no giro de recursos de convênios, emendas e empréstimos", comenta Franzé Silva.