Cidadeverde.com

A Via Sacra do governador

Francisco Leal/CCOM
O governador Wellington Dias estreou na Via Sacra de Monsenhor Gil na noite da procissão do fogaréu. Wellington Dias, ao lado do prefeito José Noronha, subiu pelos degraus do morro do cruzeiro para conferir o novo caminho que revela a tradição religiosa do município. Em tempos de crise, o gesto do governador na Semana Santa  foi mais de reflexão do que cumprimento de agenda político-administrativa.

Piauí fora do risco desconhecido

O diretor da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí, José Antônio Filho, confirmou para agosto a auditoria classificatória do Ministério da Agricultura que pode tirar o Estado do incômodo risco desconhecido da febre aftosa. "Até setembro, antes mesmo da segunda campanha de vacinação do rebanho, o Piauí não será mais área de risco desconhecido da febre aftosa", confirmou José Antônio. Em maio, a ADAPI comanda a primeira campanha de vacinação do gado contra febre aftosa em 2009. A meta é vacinar, no mínimo, 80% do rebanho. A ADAPI já reuniu os comerciantes da capital para garantir estoque de vacinas.

Estrutura reforçada

Para sair do risco desconhecido da aftosa, a Agência de Defesa Agropecuária anunciou treinamento de novos técnicos a partir da próxima semana. A expectativa é consolidar 15 barreiras sanitárias no Estado e garantir o controle da entrada e saída de animais. A medida faz parte do dever de casa cobrado pelo Ministério da Agricultura.

Área livre

O diretor da Adapi afirma ainda que o Estado ficará pouco tempo no risco médio da febre aftosa. "Até o final de 2010 o Piauí será área livre da doença", afirma José Antônio. Nessa situação, a pecuária estadual poderá participar até do mercado internacional.

Piauí exporta álcool etílico

O Estado entra no cobiçado mercado do álcool combustível. O Centro dos Exportadores do Piauí, no levantamento feito no primeiro trimestre de 2009, confirma exportações de 1,9 milhão de litros e faturamento de  1,4 milhão de dólares. As exportações de álcool etílico começaram este ano e representam 3,47% das vendas piauienses no mercado internacional.

Exportações em baixa

CCOM
No balanço do primeiro trimestre deste ano o Centro dos Exportadores do Piauí constatou queda no faturamento  de produtos importantes na pauta de exportações do Estado. As vendas de ceras de carnaúba e de abelha e castanha de caju sofreram baixas de 28%,  52% e 69%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2008. Para o presidente do Centro dos Exportadores, Antônio Machado, a situação é crítica em relação à cera de carnaúba. "O mercado está parado", afirma Antônio Machado. 

Volume exportado

O primeiro trimestre também repercutiu no volume exportado de castanha de caju, ceras de abelha e carnaúba. Com os três produtos, quedas de 67%, 75% e 19%, respectivamente, de janeiro a março de 2009, em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

A salvação será a lavoura

O presidente do Centro dos Exportadores do Piauí acredita que a lavoura da soja, quando entrar no mercado, poderá compensar perdas nas exportações. A cotação do dólar e as características de mercado poderão oferecer aos produtores de soja boas condições para exportação do produto.

Agroindústria

O Banco do Nordeste acaba de publicar o estudo “A agroindústria de alimentos de frutas e hortaliças no Nordeste e demais áreas de atuação do BNB: desempenho recente e possibilidades de políticas”, visando contribuir para aprimorar a qualidade e diversidade dos produtos provenientes das agroindústrias nordestinas. O estudo é parte de um conjunto de pesquisas que o Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene) está elaborando sobre sistemas agroindustriais para o Nordeste brasileiro e que enfoca governança das cadeias produtivas, relações de mercado, oportunidades e gargalos existentes no segmento.

Os autores

A publicação reúne estudos dos engenheiros agrônomos Gilzenor Satyro de Souza, Carlos Henrique Gama e  Maria Simone de Castro Pereira Brainer, além do economista Wendell Márcio Araújo Carneiro. A coordenação executiva é do engenheiro agrônomo José Ailton Nogueira dos Santos.

Posts anteriores