Cidadeverde.com

Nota de esclarecimento

"Pelos motivos a seguir explanados:

No dia 09/11/2017, na Augusta Casa do Povo do Município de Curimatá, houve sessão de desagravo ao advogado e atual Prefeito desta urbe, Valdeci Albuquerque Junior, com objeto uma suposta briga de rua no findos do ano de 2015. Nesta sessão, segundo presentes, meu nome fora citado de forma depreciativa, caluniosa e injuriosa por diversas vezes.

Pois bem!

Não preciso tecer maiores esclarecimento da necessidade e compromisso desta nobre instituição, OAB, com a Democracia, acredito, fazendo uma prosopopeia, que se esta fosse um ser vivo, aquela seria o oxigênio.

Neste lamiré, é translucido e ventilado em todos quadrantes, o estandarte da Ordem dos Advogados do Brasil é o contraditório e ampla defesa, destarte, causou-me consternação quando fui surpreendido que haveria uma sessão de desagravo, o qual eu era acusado de ser o algoz das prerrogativas advocatícias no sul do Piaui. O que custava ouvir-me antes?

Assim, sumariamente, jogaram minha reputação na latrina, em ato publico tive minha honra levada ao cadafalso, servindo como palco a Casa do Povo. O que custava ouvir-me antes?

Tive a alma transmutada por completa sensação de impotência, ferindo minha reputação e honra em praça publica e levada a luzes de ribalta, para massagear o ego do desagravado e, pior, eu não podendo lutar (fobia que carrego desde a infância, morrer sem poder lutar). O que custava ouvir-me antes?

Impoluto Presidente, por mais ginastica mental que faço, não consigo vislumbrar a agressão das prerrogativas em uma briga ordinária, em uma festividade, sendo que nem a autoria foi esclarecida, pois, conforme consta, foi algo generalizado. Matéria a ser apurada pelo Poder judiciário. O que custava ouvir-me antes?

O desagravado está em seu terceiro mandato a frente do Poder Executivo Municipal, falo sem medo de errar, ele é mais político do que causídico. Com muito esforço, apenas no campo da hipótese, se os fatos ventilados fossem da forma narrada, a meu sentir, seria tão somente questões politicas, somos, sim, desafetos políticos, não se nega. O que custava ouvir-me antes?

Soube que no mesmo dia teve na cidade de Avelino Lopes outra sessão de desagravo e segundo apurei o Sr. Valdecir Junior não foi, mostrando que sua real intenção era apenas usar a Ordem dos Advogados como instrumento de seu palanque politico. O que custava ouvir-me antes?

A forma como o chefe do executivo municipal, ora desagravado, age contra mim e por engodo, usando, infelizmente a Ordem dos Advogados como instrumento, nos faz lembrar de um fatídico acontecimento no ano de 1994, com então ministro da fazenda, o embaixador Rubens   Ricúpero que afirmou: "Eu não tenho escrúpulos; o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde. E assim ele tem agido conosco, omitindo e criando inverdades para se beneficiar de um ato solene e publico, para dar cabo aos seus espúrios interesses políticos e espirito narcisista. O que custava ouvir-me antes?"  Reidan Kléber

Prefeito Firmino reage à eleição na Câmara

O Palácio da Cidade já reagiu à nova eleição da mesa diretora da Câmara de Teresina, cuja aprovação aconteceu em sessão ordinária da Casa nesta quinta-feira (16). Está confirmada uma reunião para a próxima segunda-feira em que o prefeito Firmino Filho (PSDB) vai definir um realinhamento administrativo com a recomposição de secretariados. 

As informações de bastidores dão conta que alguns vereadores da base que votaram na chapa eleita no legislativo perderão espaços na Prefeitura. Inicialmente, os nomes apontados que devem sofrer retaliações são os dos vereadores Zé Nito (PMDB), Luís André (PSL), Gustavo Constantino (PEN), Tereza Britto (PV) e Fábio Dourado (PEN).

Fontes palacianas associam a iniciativa a movimentos que visam disputas eleitorais em 2018. Na estratégia, o PMDB seria um dos maiores articuladores em tentar desestabilizar a base do prefeito Firmino Filho. 

A demonstração de perda de força do prefeito Firmino ao fracassar em tentar esvaziar o plenário para que a nova mesa diretora não fosse eleita, fez com que o gestor tomasse essa atitude enérgica como forma de conter uma desagregação do seu grupo político.

Do exterior, Firmino orienta base para esvaziar eleição na Câmara

O prefeito não gostou da convocação de eleição antecipada para a mesa diretora da Câmara Municipal de Teresina, prevista para a sessão desta quinta-feira, 16.  Firmino Filho, em viagem oficial na Espanha, discorda do encaminhamento autorizado pelo presidente do legislativo da capital, Jeová Alencar (PSDB) e pediu para a base aliada evitar a eleição.  A situação revela o presidente da Câmara e o prefeito em rota de colisão e devem medir força nesta quinta-feira. No plenário da Câmara Municipal de Teresina há três grupos políticos: oposição declarada ao prefeito, aliados de primeira hora do Palácio da Cidade, e o seguimento liderado pelo presidente Jeová Alencar. Os três disputam o poder no legislativo teresinense. 

Em reencontro, Wellington Dias e João Vicente trocam elogios

Foi um reencontro informal, em Recife, durante eventos que marcaram entrega do título de cidadania pernambucana ao empresário João Claudino Fernandes, pai do ex-senador. O reencontro foi comemorado por Nerinho e Janainna Marques, deputados estaduais petebista dos que trabalham para o retorno de João Vicente ao partido e manutenção da aliança política com Wellington Dias. 

Em discursos durante solenidade em Recife, João Vicente e Wellington Dias trocaram elogios e reconhecimentos, bem no estilo aliados. Na foto, João Vicente e Wellington Dias, lado a lado, em recepção oferecida pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), no Palácio Campo das Princesas, sede do governo pernambucano.

Deputados petebistas rejeitam partido na oposição

A bancada do PTB na Assembleia Legislativa defende a sigla no palanque do governador Wellington Dias em 2018. E mais: estão preocupados com a tendência de oposição prevista para o ato de filiações de empresários anunciado para o dia 07 de dezembro, em Teresina. Preocupados, mas atentos, os parlamentares petebistas  já estão conversando sobre o assunto e não descartam ausência na festa que lideranças empresariais prometem para o início de dezembro, com presenças de lideres nacionais do partido. Se a tendência de oposição ganhar corpo no PTB, a debandada de deputados estaduais é dada como certa. Hoje são aliados do governo os deputados estaduais José Hamilton, Liziê Coelho, Janaínna Marques e Nerinho. Na bancada federal, Fábio Abreu, atual secretário de Segurança,  já confirmou que deixará a sigla.

Marllos Sampaio no PDT

O suplente de deputado federal e coordenador do Idoso no governo do Estado deve trocar o PMDB pelo PDT. Os entendimentos finais estão sendo tratados diretamente com o presidente do partido no Piauí, Flávio Nogueira. No PDT, Marllos será candidato a deputado estadual no próximo ano e dobradinhas com Flávio Nogueira, que deve voltar a disputar mandato na Câmara Federal, estão sendo planejadas no interior do Piauí. Na região de Valença, a chapa pedetista Flávio Nogueira para federal e Marllos para Assembleia Legislativa está confirmada. Marllos Sampaio é irmão do presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho, indicado pela ala governista do PMDB para a vaga de vice do governador Wellington Dias em 2018. Na foto, Marllos conversa com Flávio Nogueira no escritório da executiva estadual do PDT.
 

Valter Rebelo assume presidência do PSC no Piauí

O jurista Valter Alencar Rebelo é o novo presidente do PSC- PI . O ex-vereador Tiago Vasconcelos deixa a presidência do partido para se dedicar  à candidatura de deputdo estadual.
O Partido Social Cristão investe na organização e planeja candidatura própria ao governo do Estado em 2018.  No plano nacional, a sigla  lançará no próximo sábado,18,   em Salvador (BA), o nome do economista e atual presidente do BNDES, Paulo Rabelo, como pré-candidato à Presidência da República.

Na foto,  Valter Alencar Rebelo,  o pré-candidato à Presidência da República, Paulo Rebelo, o presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo Pereira.

Dirigentes garantem ninho tucano unido

Luciana Sebim, presidente do diretório do PSDB de Teresina, e Firmino Paulo, novo dirigente tucano em nivel estadual, asseguram partido unido e pronto para os desafios políticos no Piauí. Durante recente convenção, os presidentes dos diretórios estadual e de Teresina prometeram partido forte e coeso na capital e interior.

Disputa federal racha aliança no interior

Em  Alegrete do Piauí, no seminárido, a base aliada ao prefeito Márcio Alencar (PT) perdeu  apoio do grupo liderado pela vice, Hermilinda Gomes (PRTB), o presidente da Câmara Municipal, Manoel Ramos (PRTB), e o presidente do PRTB no município, Manoel Filho, que ocupava o cargo de secretário de Desenvolvimento Rural da prefeitura. A gota d'água do racha na base do prefeito foi a eleição de deputado federal em 2018. Márcio Alencar queria seus aliados voltando na deputada federal Rejane Dias, mas o grupo está fechado com o coordenador de Modernização do Estado, Marcos Vinicius (PTC). Na foto, Manoel Filho, presidente do PRTB de Alegrete, Marcos Vinícius, coordenador de modernização do Estado e pré -candidato a deputado federal, e a vice- prefeita Hermilinda Gomes

A estratégia de João Henrique para conquistar apoio no PMDB

João Henrique percorre o Estado em busca de apoio para viabilizar candidatura própria do partido ao governo do Estado. E nas andança Piauí afora, João Henrique adota discurso e práticas agregadores. Recomenda votos para os deputados do partido. Em São João do Piauí e São Raimundo Nonato, por exemplo, João Henrique pediu apoio dos peemedebistas ao deputado federal Marcelo Castro, historicamente bem votado na região. Em Picos, o pré-candidato a governador recomendou especial atenção e apoio a Pablo Santos, deputado estadual peemedebista com forte base na região. Nas palestras e reuniões, quando João Henrique aborda o assunto pedindo apoio para a tese da candidatura própria ao governo, sempre arremata afirmando: "Peemedebista vota no PMDB."
 

Posts anteriores