Cidadeverde.com

Dicas para viagens aéreas durante a gravidez

Karla e esposo Renan em viagens ao Chile ( esquerda ) e aos EUA - foto: arquivo pessoal

À espera do primeiro filho, a jornalista Karla Nery Reis está fazendo intercâmbio no Canadá durante dois meses. É a segunda viagem internacional de Karla, em companhia do marido, desde que descobriu a gravidez. Conta que praticamente não sentiu mal-estar nas viagens e que a decisão de viajar foi tomada com tranquilidade após orientações médicas.

“Antes de partir, fizemos todos os exames, vacinas e tomamos todos os cuidados necessários para viajar com calma, inclusive levamos uma declaração da médica pra apresentar à companhia área. A médica nos tranquilizou, disse que estávamos viajando na melhor fase da gravidez, no segundo trimestre. Ela apenas recomendou cuidados com alimentação e a prática leve de exercícios”, diz.

 

              

Foto: Pexels

Muitas mães têm dúvidas na hora de viajar, divididas entre o desejo de aproveitar dias de folga longe da rotina e os preparativos para a chegada do bebê. Para aquelas que vão viajar de avião, os cuidados se voltam a garantir deslocamentos com mais conforto, sem dores e sem riscos para mães e bebês. O melhor período para viajar é do segundo trimestre de gestação até antes da 36ª semana, após uma avaliação da situação da gestação e da vitalidade fetal. É interessante estar atenta também às mudanças de temperatura do destino de viagem, porque gestantes são mais propensas a desconfortos respiratórios.

" Nos primeiros meses, é muito comum a mulher ter náuseas e vômitos devido aos hormônios próprios da gravidez, o que pode causar desconfortos durante voos longos. Já no final da gestação, próximo à 36 semana, as recomendações se voltam a evitar complicações como o rompimento da bolsa amniótica antes do trabalho de parto, um risco à saúde da mãe e do bebê, em caso de demora no atendimento. Se a mãe tem antecedentes patológicos, como hipertensão, os cuidados devem ser ainda mais aprimorados”, detalha Ivanilda Sepúlveda, enfermeira-obstetra.

Foto: pexels

A maioria das companhias áreas não faz restrições de embarque até à 28ª semanas de gravidez ( para gestação simples ) e até a 25ª semana ( para gestação múltipla), desde que a mulher não tenha complicações médicas como sangramento, diabetes e pressão alta e não apresente histórico de parto prematuro.

Quanto mais próximo ao parto, geralmente a partir das 36 semanas, as companhias aumentam as exigências para embarque, que vão desde solicitação de atestados médicos, declarações de responsabilidade, formulários especiais analisados por equipes da companhia, até a exigência da presença do médico durante voos, chegando à proibição de embarque após as 38/40 semanas e para alguns destinos. Visite o site das companhia aérea com antecedência para conferir as restrições de embarque para grávidas. 

Como ficar mais confortável no voo

As recomendações das companhias áreas às grávidas incluem escolher assentos-conforto, com mais espaço para pernas e reservar poltronas no meio da aeronave, próximo à asa, onde há mais estabilidade e menos chance de sentir enjoos. É interessante também selecionar assento no corredor para facilitar as idas ao banheiro. Deve-se evitar também ficar sentada por muito tempo, para não ter inchaços nos pés e não sentir cãibras. Vale se levantar, esticar as pernas e dar uns passos de hora em hora.

Quais os cuidados com a alimentação?

As companhias áreas indicam não consumir alimentos que provoquem desconforto abdominal. Também não recomendam tomar bebidas que aumentem a vontade de fazer xixi, como café, chá e refrigerante.

A nutricionista Juliana Furtado orienta fazer refeições leves antes do voo, como frutas, iogurtes, sanduíches com massas integrais, saladas e sem molhos gordurosos como maionese, por exemplo. Aconselha evitar frituras, biscoitos recheados, pães brancos, massas e bebidas gaseificadas, que aumentam desconfortos como azia e gases.

Durante os voos, grávidas não devem ficar sem comer. As companhias indicam como opções de lanche: barras de cereal, frutas secas ou bolachas integrais, além de beber água, para evitar a desidratação.

Foto: Pexels

Dicas essenciais

- Priorize peças de roupas confortáveis para usar durante o voo e nos dias de viagem;

-  Meias de compresão auxiliam a melhora da circulação especialmente útil em voos longos;

- Para viagens ao exterior, é interessante fazer seu seguro viagem e dispor dos contatos pessoas do seu obstetra para ter acesso direto em caso de dúvidas;

- Leve de casa todas as medicações recomedadas pelo médico para possíveis ocorrencias como vômitos, nauseas, dor de cabeça, dor nos músculo, coluna e por aí vai. Em alguns países, a compra de remédios pode não ser tão simples;

- Não esqueça de levar filtro solar para qualquer que seja o destino. A pele da gestante é mais propensa a manchas; leve repelentes também!;

- Tome todas vacinas necessárias, considerando as exigências que alguns países fazem para ingresso de cidadãos ( visite o site do país).