Cidadeverde.com

Gabaritos oficiais do Enem 2019 já estão disponíveis, confira

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Os gabaritos oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 já estão disponíveis para consulta. O material pode ser acessado em três meios: no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no site do Enem e no aplicativo do exame. Os Cadernos de Questões e as videoprovas em Libras também foram publicados. Os materiais são acessíveis por download. As questões das videoprovas estão no canal do Inep no YouTube.

Considerando os dois dias de exame, 3 e 10 de novembro, são 16 gabaritos e 16 cadernos de questões, incluindo os formatos para atendimento especializado. Os participantes devem ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor e ao formato da prova realizada em cada domingo.

No primeiro dia, 3 de novembro, foram avaliados os conhecimentos em ciências humanas e linguagens, códigos e suas tecnologias, além da redação. No último domingo, dia 10, as provas foram de ciências da natureza e matemática e suas tecnologias. Os resultados do Enem 2019 serão publicados em janeiro de 2020. Para os treineiros, aqueles que não irão concluir o ensino médio em 2019, o boletim individual será publicado em março de 2020.

Clique aqui para acessar os gabaritos.

Gabaritos oficias, cadernos de questões e videoprovas em Libras de 2019 já podem ser consultados. Clique aqui para acessar.

Enem 

Com a nota obtida no Enem, os estudantes poderão cursar a graduação em universidades públicas e privadas. É possível requerer financiamento estudantil e participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). Quem faz o Enem pode ainda usar a nota para ingressar em cursos de 42 instituições de Portugal, pelo programa Enem Portugal.

Da Redação (Com informações do Inep)
redacao@cidadeverde.com

Pelo 4º ano consecutivo, Piauí é o estado com maior taxa de presença no Enem

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) revelam que o Piauí foi estado com maior taxa de presença do país no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

No segundo dia de provas, neste domingo (10), 78% dos candidatos aptos a realizar o exame, estiveram presentes nos locais de aplicação.  No Piauí 122.338 pessoas  estavam inscritos para participar do Enem. Destas, 26.914 faltaram, representando um percentual de 22% de ausência.

Já no primeiro dia de aplicação, o Piauí alcançou uma taxa de 81% de presença.  De acordo com o Inep, este é o quarto ano consecutivo que o estado registra a maior taxa de presença do país no Exame. 

Para Ellen Gera, secretário estadual de Educação, o dado positivo é reflexo das ações da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que tem dado todo o apoio e suporte nos preparativos para o Enem.

“Durante todo ano trabalhamos para preparar nossos alunos para o Enem. Nas escolas da nossa rede, os professores têm feito um belíssimo trabalho com os estudantes da 3ª série do Ensino Médio. Para complementar esse trabalho, a Seduc, por meio do Pré-Enem, realizou 35 revisões de auditório ao longo do ano, sendo 07 revisões em Teresina, 18 no interior e 10 contemplando os reeducandos do  sistema prisional”, destacou o secretário.

O Ministério da Educação afirma que esse domingo foi o segundo dia de Enem com o maior percentual de presentes na história: 72,9%, superando a edição de 2015 — 72,67%. Compareceram ontem 3,7 milhões dos 5,1 milhões de inscritos. Os dados foram apresentados em coletiva de imprensa na sede do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Em todo país 371 candidatos foram eliminados, deste três no Piauí. O Enem de 2019 foi realizado com novas regras para garantir a segurança. A principal mudança foi em relação à proibição de emissão de sons por aparelhos eletrônicos, mesmo dentro do envelope porta-objetos fornecido pelos fiscais de prova. Dentro desse balanço, também estão pessoas que se negaram a ser identificadas por biometria, por exemplo.

Na semana passada, outros 376 participantes já haviam sido desclassificados. Contando os dois dias, portanto, são 747 candidatos eliminados em todo país.

 

Izabella Pimentel
Com informações do Inep
redacao@cidadeverde.com 

Professor avalia que prova de matemática foi extensa e com muito cálculo

O professor de matemática Neto Ceará avaliou a prova da disciplina no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para ele, as questões tiveram uma característica diferente do ano anterior e foram marcadas pela grande quantidade de operações matemáticas. 

"A gente fez uma análise da prova de matemática e viu que teve uma característica um pouco diferente da do ano passado. Houve uma diminuição dos textos, mas um aumento absurdo das operações matemáticas. Muita conta, números quebrados, números decimais, frações. Então a prova, não estava difícil, mas extensa. Dificilmente, o aluno teve tempo de concluir as 90 questões", disse o professor.

Na avaliação de Neto Ceará, as provas deveriam focar mais no raciocínio dos candidatos.

"Houve questões inteligentes como a de um aplicativo de namoro, uma questão de transformação de moeda, questões em aplicação na construção civil,  questões envolvendo o trânsito. Foi uma prova bem distribuída, porém a gente critica essa questão do número de contas, cálculos", avalia o professor acrescentando que o excesso de cálculos também foi característica da prova de física. 

Ontem (10), os candidatos fizeram provas matemática e ciências da natureza e tiveram 5 horas para resolver 90 questões.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Vazamento da prova não causou dano ao Enem e vê "sabotagem", diz ministro da Educação

Fotos: Gabriel Jabur/MEC

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, confirmou neste domingo (10) que um candidato do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) tirou fotos da prova e enviou em grupos de WhatsApp antes das 18h, quando é possível levar o caderno de questões para fora da sala. 

Weintraub minimizou o ocorrido, disse não se tratar de vazamento e afirmou que o responsável já foi identificado. Segundo o ministro, o homem de 18 anos terá que responder a processo. 

"Vamos qualificar, não é um vazamento interno, não tem nada a ver com o Enem. Isso não teve nada a ver com a estrutura em si. Indivíduos estatisticamente irrelevantes antes do final da prova se comportaram de maneira inadequada", afirmou o ministro. "Foi divulgada antes do prazo mas sem comprometer em nada." 
Fotos da íntegra do Enem circularam em grupos de WhatsApp a partir das 16h30. Os candidatos só podem deixar a sala com a prova a partir de 18h. 

 "É um garotão de 18 anos que vai ter que se explicar toda vez que fizer uma entrevista de emprego por que ele tentou sabotar o Enem naquele dia", afirmou Weintraub, que não quis informar o local de prova onde aconteceu o vazamento. 

O ministro classificou como mais grave o caso ocorrido no primeiro dia da aplicação da prova, em que houve vazamento de uma foto da prova em Fortaleza às 15h. Ele disse que duas aplicadoras são investigadas sobre o caso e que "ao menos uma é culpada". 

Segundo Weintraub, a aplicadora seria militante e planejou o vazamento antes do dia da prova. "O que ela fez foi terrorismo", afirmou. 

Ele classificou a prova de 2019 como um sucesso. A taxa de abstenção por dia foi a menor desde 2009, quando o exame começou a ser aplicado em dois dias: foram 23% no primeiro dia e 27,2% no segundo dia (em 2015, a taxa foi apenas um pouco menor, de 27,3% no segundo dia). 

Neste ano, porém, o número de candidatos eliminados subiu. Foram 747 desclassificados por diversos motivos, como uso indevido de eletrônicos, recusa de se submeter à biometria e falha de seguir orientações dos fiscais. 

Em 2018, foram apenas 137 eliminados nos dois dias. Em 2019, o MEC instituiu uma nova regra para celulares, segundo a qual qualquer som emitido por aparelhos eletrônicos, mesmo os lacrados, causa a eliminação dos candidatos. 

De acordo com o ministro, os responsáveis pela divulgação do segundo dia foram candidatos e não aplicadores. Houve registro de boletins de ocorrências para notificar o caso. "O dano disso foi zero", afirmou Weintraub. "Isso é um trouxa. É um babaca", classificou o ministro, em referência a quem divulgou. "Tem que punir essas pessoas de forma exemplar para saber que uma ação danosa para prejudicar o coletivo não sai impune."

O ministro ainda afirmou que os responsáveis vão ter que explicar o caso "pelo resto da vida" e negou que tenha sido um "vazamento" porque não teria saído da estrutura do Enem. "Vai ser preso? Não. A gente não consegue nem prender ladrão contumaz, manter preso um ladrão contumaz... não vou polemizar", comentou o ministro, sem citar nenhum nome específico. Na sexta-feira, 8, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a prisão após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

'Terrorismo'

Ao comentar o vazamento da prova no domingo anterior, dia 3, o ministro classificou como "terrorismo" de "militantes" o comportamento de duas aplicadoras acusadas de vazarem o conteúdo A Polícia Federal investiga o caso. Weintraub comentou que uma delas "talvez seja inocente" e que outra é "culpada". "O que ela tentou fazer foi terrorismo. Isso se chama terrorismo, colocar terror na sociedade civil", comentou.

Weintraub apontou para uma estrutura maior que teria planejado o vazamento. "Pessoas adultas recebendo para fazer a prova planejaram essa ação. Não foi piada, gracinha, foi sabotagem, foi para causar mal-estar da sociedade", comentou, respondendo mais tarde que cabe à polícia esclarecer as informações.

 

Fontes: Folhapress e Estadão Conteúdo

Enem: além de agrotóxicos e vacinas, questões tratam até do Tinder

Foto: Valmir Macêdo/Cidadeverde.com


O segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) trouxe questões que abordaram alternativas ao uso de agrotóxicos na produção de alimentos, a importância da vacinação para combater doenças e aspectos de geometria relacionadas ao aplicativo Tinder. Neste domingo, 10, os candidatos fazem as provas de duas áreas do conhecimento, com 90 questões de Matemática e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Biologia

Rubens Oda, professor de Biologia do cursinho Descomplica, diz que a prova seguiu a tendência dos últimos anos com questões mais conteudistas. Para ele, os candidatos podem ter dificuldade em resolver todas as questões dentro das 5 horas de exame.

"Como vem sendo nas últimas edições, a prova está ficando cada vez mais exigente, cobrando bastante conteúdo. Não é mais um exame que se resolve só com interpretação."

Em Biologia, por exemplo, caíram questões sobre ecologia, doenças e genética. Segundo Oda, uma das questões pedia ao candidato para indicar uma opção de controle biológico para pragas na agricultura em alternativa ao uso de agrotóxicos. Outra questão falava das vantagens do uso de vacina contra o agente causador da esquistossomose.

Brunna Coelho, professor de Biologia do COC, destacou duas questões da prova como sendo as mais exigentes, uma de genética e outra de citologia. Ela também disse que a prova deste ano estava mais conceitual que em outras edições. Entre as questões que chamaram mais a atenção da professora pela atualidade, estão sucessão e relação ecológica, imunologia e descarte apropriado de medicamentos.

Física

Para Leandro Gomes, professor de Física do cursinho Descomplica, a prova trouxe questões complexas e com conteúdos pouco cobrados em anos anteriores, o que pode ter surpreendido alguns candidatos, como perguntas que abordaram decomposição de forças e os fluxos de calor. "Pela leitura, o aluno sabia como resolver a questão sem usar fórmulas específicas", considera.

Ele destaca também questões que trouxeram temas cobrados com frequência. "Mais uma vez o Enem trouxe a questão do Daltonismo", aponta. Ondulatória também esteve presente com perguntas que trouxeram refração e reflexão.

Mantendo a tendência, o exame também trouxe enunciados que abordavam situações do cotidiano. Como uma questão de Física que falava do risco de fios de alta tensão em cercas de proteção de fazendas.

Química

Nas questões de Química também se manteve o padrão de cobrança dos últimos anos, com questões sobre pilhas, reações químicas e química ambiental. "As questões foram bastante interpretativas, porém com bastante conteúdo abordado. Não houve nenhum tema que chamasse muita atenção, foram questões mais previsíveis", disse Marcus Aurélio Souza, professor de Química do COC.

Allan Rodrigues, professor de Química do Descomplica, disse que as questões da disciplina tinham resolução mais simples do que em anos anteriores porque a maioria não exigia que o candidato fizesse cálculos - em apenas dois itens foi necessário fazer contas.

Ele comenta que a prova trouxe temas clássicos, como eletroquímica, termoquímica e polímeros. A novidade ficou por conta de uma questão envolvendo modelos atômicos. Segundo Rodrigues, o assunto não aparece no Enem há pelo menos dez anos. A prova trouxe ainda uma questão envolvendo meio ambiente, que falava de tratamento de esgoto.

Matemática

Felipe Pinheiro, professor de Matemática do colégio COC, disse que a prova trouxe conteúdos mais exigentes que em anos anteriores, com duas questões sobre logaritmo. Ele destacou que as perguntas estavam diretas, deixando mais tempo ao aluno para a resolução.

"A contextualização dos exercícios não foi muito grande. Havia muitos textos para embasar os exercícios, com comandos mais assertivo, levando o aluno ao cálculo."

Na prova de Matemática, uma questão perguntava sobre a probabilidade de "match" com o aplicativo Tinder, de acordo com a área em que o usuário está. A pergunta separava usuários por regiões, cada um com um raio de alcance determinado. O candidato precisava calcular a intersecção entre essas áreas ocupadas pelos usuários para descobrir a chances de combinações - ou match - entre eles. "Achei a abordagem dessa questão muito interessante e atual", comenta Luanna Ramos, professora do Descomplica.

Na avaliação da professora, a maioria das questões exigiram cálculos simples e a interpretação do enunciado não era complexa Quanto aos assuntos abordados, a professora fala que não houve surpresas. Foram cobrados conhecimentos de probabilidade, análise combinatória, logarítmo, estatística, porcentagem e proporcionalidade. Muitos exercícios puderam ser resolvidos por meio da regra de três.

Alunos destacam quantidade de gráficos e questões de Química

No segundo dia do Enem, alunos destacaram a quantidade de questões sobre Química, e o uso de gráficos e raciocínio lógico O grau de dificuldade não foi considerado difícil por alunos consultados pela reportagem.

A impressão dos estudantes foi de que as perguntas na área de Ciências da Natureza priorizaram questões de Química, em relação à área de Biologia. Entre as perguntas estavam equações de balanceamento molecular.

"Eu esperava mais questões de análise combinatória, que é o que sempre cai no Enem, mas quase não teve", diz a aluna Maria Fernanda Flórida, de 17 anos. Ela se refere a perguntas que pedem ao aluno para calcular números de uma sequência.

Segundo ela, houve apenas uma questão desse gênero, e muitas perguntas de Geometria e Probabilidade na prova de Matemática. Outra surpresa para ela foi na prova de Química, que, segundo ela, teve apenas uma pergunta da área de Entalpia. "A prova não estava difícil", ela diz.

O término das provas neste segundo dia acontece às 18h30, horário de Brasília.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, órgão responsável pela prova, divulga na quarta-feira, 13, o gabarito oficial. Os resultados individuais só serão divulgados em janeiro em 2020.

Fonte: Estadão Conteúdo

Posts anteriores