Cidadeverde.com

Duas estudantes do Piauí tiram nota 1000 na Redação e comemoram pontuação

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Vitória Castro

Atualizada às 11h32

Não faltam motivos para as estudantes teresinenses Letícia Islávia e Vitória Castro comemorarem nesta sexta-feira (17). Elas fazem parte do seleto grupo que atingiu nota 1000 na Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019. As duas foram alunas do CEV. 

O tema da Redação foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, assunto que os professores consideraram "específico e inesperado".

Ainda eufórica com o resultado, Vitória, 19 anos, conta que citou o livro Cidadãos de Papel, de Gilberto Dimenstein. Nesta obra o autor defende que os Direitos Humanos existem, mas não são respeitados no Brasil. 

“Coloquei de repertório o Cidadão de Papel que fala que muitos cidadãos possuem seus direitos garantidos apenas na teoria, mas que na prática não têm”, conta Vitória. 

Estudante do CEV desde 2015, ela também argumentou que o acesso ao cinema no Brasil é difícil principalmente para quem é pobre e mora longe de capitais. 

“Muitas pessoas não têm acesso ao cinema tanto pela questão do valor, que é exacerbado, quanto pela localização. Muita gente mora na zona Rural e nunca foi”, disse a estudante.

Vitória afirma que é preciso perseverança e paciência para atingir metas. Com uma rotina intensa de estudos a jovem, que deseja cursar Medicina, conta que produzia pelo menos duas redações por semana e que isso contribuiu para atingir nota mil. 

“Eu quero fazer Medicina. Sempre me dediquei muito. Toda semana fazia de duas a três redações e procurava administrar o tempo com as outras matérias que pesam mais para o curso”, disse.

A literatura também foi fator determinante para o sucesso de Vitória. A jovem lembra que desde criança “lia muito” e tinha com hobbie ir para  biblioteca. 

“Sempre li muitos livros, desde pequena gostava de ir para à biblioteca com minha mãe pegar livros para ler e isso facilitou muito meu desempenho na redação”, conta.

Além da literatura, Vitoria defende que quem ter nota mil na Redação do Enem precisa estudar história do Brasil. 

“É preciso focar na história do Brasil. Muitas coisas que aconteçam hoje são reflexos do que aconteceu antes. É importante ter esse embasamento histórico tanto para usar como referência. Também é importante saber filosofia, sociologia e literatura”, orienta.

Assista entrevista com a Vitória:

 

Letícia comemorou nas redes sociais

Foto: Arquivo Pessoal

Letícia Islávia Bezerra Silva, tem 19 anos, está viajando de férias e comemorou o feito nas redes sociais. 

Em contato com o Cidadeverde.com ela disse que chegou hoje em Fortaleza com a mãe, a irmã e uma amiga e soube por volta das 9h do seu resultado. “Ainda nem deu tempo de comemorar. Eu tinha gostado da Redação, esperava uma nota boa, mas a gente nunca imagina”, afirma a estudante. 

Aluna estudou no CEV desde 2015 e ainda fez por fora dois cursinhos de redação. “Eu peguei a opinião dos meus professores e fui montando junto com a minha para construir o texto, mas sinceramente não lembro o que escrevi”. 

 Letícia vai tentar uma vaga para Medicina. Esta é a terceira vez que participa do Enem e prefere ficar em Teresina. “Foi duro! Dois cursinhos e ainda o CEV... agora é esperar o Sisu e colocar a nota. Quero ficar em Teresina, mas se tiver outras oportunidades vou tentar.  

Letícia agradeceu aos professores e disse que está muito feliz com o esforço. “Felicidade que não cabe em mim... saber que todo esforço, toda tentativa, todas as horas, todas as lágrimas valeram a pena".

"Só gratidão por essa nota!! Obrigada a todos os professores que ajudaram".

O tema da Redação foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, assunto que os professores consideraram "específico e inesperado". 

oto: Reprodução Instagram Letícia

 

Caroline Oliveira e Izabela Pimentel
[email protected]

MEC anula questão de ciências humanas do Enem 2019

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) anulou uma questão da última prova do Enem 2019. O item já havia aparecido no ano anterior no processo de aplicação para candidatos com deficiência visual, segundo o órgão.

A questão anulada é da prova de ciências humanas. Trata-se do item 90 do caderno azul (78 no caderno amarelo, 66 no caderno branco e 72 do caderno rosa). Todos os participantes fazem a mesma prova, mas em ordem diferente a cada conjunto de provas.

O instituto, ligado ao MEC (Ministério da Educação), informou que a anulação do item "não compromete o processo de estimação da nota das participantes". O Enem é elaborado com a chamada TRI (Teoria de Resposta ao Item), conjunto de modelos matemáticos que garante, entre outras coisas, níveis de dificuldades comparáveis entre diferentes provas. 

O item anulado trazia um texto sobre fome e meio ambiente. O Inep identificou, somente nove dias depois do fim do Enem, que essa questão fez parte do caderno de questões Braile e Ledor da aplicação do Enem 2018 (questão 56 do Caderno Laranja).

"O caderno Ledor é preparado para os aplicadores que atuam como ledores para os participantes que, por algum motivo, solicitam auxílio para a leitura da prova como recurso de acessibilidade", diz nota do Inep. 

As questões que compõem as provas acessíveis podem sofrer ligeira alteração comparadas à prova de aplicação regular, diz o Inep.

"As provas do Caderno Braile e Ledor, por exemplo, contém a descrição de gráficos, imagens, esquemas e outros recursos visuais utilizados e questões que inviabilizam ou dificultam demasiadamente a compreensão por parte dos participantes com algum tipo de deficiência visual são substituídas".

Essa não é a primeira vez que itens do Enem são anulados. No ano passado, por exemplo, uma questão foi cancelada porque já tinha aparecido no vestibular de uma universidade federal em 2014.


Fonte: Folhapress

Gabaritos oficiais do Enem 2019 já estão disponíveis, confira

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Os gabaritos oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 já estão disponíveis para consulta. O material pode ser acessado em três meios: no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no site do Enem e no aplicativo do exame. Os Cadernos de Questões e as videoprovas em Libras também foram publicados. Os materiais são acessíveis por download. As questões das videoprovas estão no canal do Inep no YouTube.

Considerando os dois dias de exame, 3 e 10 de novembro, são 16 gabaritos e 16 cadernos de questões, incluindo os formatos para atendimento especializado. Os participantes devem ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor e ao formato da prova realizada em cada domingo.

No primeiro dia, 3 de novembro, foram avaliados os conhecimentos em ciências humanas e linguagens, códigos e suas tecnologias, além da redação. No último domingo, dia 10, as provas foram de ciências da natureza e matemática e suas tecnologias. Os resultados do Enem 2019 serão publicados em janeiro de 2020. Para os treineiros, aqueles que não irão concluir o ensino médio em 2019, o boletim individual será publicado em março de 2020.

Clique aqui para acessar os gabaritos.

Gabaritos oficias, cadernos de questões e videoprovas em Libras de 2019 já podem ser consultados. Clique aqui para acessar.

Enem 

Com a nota obtida no Enem, os estudantes poderão cursar a graduação em universidades públicas e privadas. É possível requerer financiamento estudantil e participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). Quem faz o Enem pode ainda usar a nota para ingressar em cursos de 42 instituições de Portugal, pelo programa Enem Portugal.

Da Redação (Com informações do Inep)
[email protected]

Pelo 4º ano consecutivo, Piauí é o estado com maior taxa de presença no Enem

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) revelam que o Piauí foi estado com maior taxa de presença do país no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

No segundo dia de provas, neste domingo (10), 78% dos candidatos aptos a realizar o exame, estiveram presentes nos locais de aplicação.  No Piauí 122.338 pessoas  estavam inscritos para participar do Enem. Destas, 26.914 faltaram, representando um percentual de 22% de ausência.

Já no primeiro dia de aplicação, o Piauí alcançou uma taxa de 81% de presença.  De acordo com o Inep, este é o quarto ano consecutivo que o estado registra a maior taxa de presença do país no Exame. 

Para Ellen Gera, secretário estadual de Educação, o dado positivo é reflexo das ações da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que tem dado todo o apoio e suporte nos preparativos para o Enem.

“Durante todo ano trabalhamos para preparar nossos alunos para o Enem. Nas escolas da nossa rede, os professores têm feito um belíssimo trabalho com os estudantes da 3ª série do Ensino Médio. Para complementar esse trabalho, a Seduc, por meio do Pré-Enem, realizou 35 revisões de auditório ao longo do ano, sendo 07 revisões em Teresina, 18 no interior e 10 contemplando os reeducandos do  sistema prisional”, destacou o secretário.

O Ministério da Educação afirma que esse domingo foi o segundo dia de Enem com o maior percentual de presentes na história: 72,9%, superando a edição de 2015 — 72,67%. Compareceram ontem 3,7 milhões dos 5,1 milhões de inscritos. Os dados foram apresentados em coletiva de imprensa na sede do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Em todo país 371 candidatos foram eliminados, deste três no Piauí. O Enem de 2019 foi realizado com novas regras para garantir a segurança. A principal mudança foi em relação à proibição de emissão de sons por aparelhos eletrônicos, mesmo dentro do envelope porta-objetos fornecido pelos fiscais de prova. Dentro desse balanço, também estão pessoas que se negaram a ser identificadas por biometria, por exemplo.

Na semana passada, outros 376 participantes já haviam sido desclassificados. Contando os dois dias, portanto, são 747 candidatos eliminados em todo país.

 

Izabella Pimentel
Com informações do Inep
[email protected] 

Professor avalia que prova de matemática foi extensa e com muito cálculo

O professor de matemática Neto Ceará avaliou a prova da disciplina no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para ele, as questões tiveram uma característica diferente do ano anterior e foram marcadas pela grande quantidade de operações matemáticas. 

"A gente fez uma análise da prova de matemática e viu que teve uma característica um pouco diferente da do ano passado. Houve uma diminuição dos textos, mas um aumento absurdo das operações matemáticas. Muita conta, números quebrados, números decimais, frações. Então a prova, não estava difícil, mas extensa. Dificilmente, o aluno teve tempo de concluir as 90 questões", disse o professor.

Na avaliação de Neto Ceará, as provas deveriam focar mais no raciocínio dos candidatos.

"Houve questões inteligentes como a de um aplicativo de namoro, uma questão de transformação de moeda, questões em aplicação na construção civil,  questões envolvendo o trânsito. Foi uma prova bem distribuída, porém a gente critica essa questão do número de contas, cálculos", avalia o professor acrescentando que o excesso de cálculos também foi característica da prova de física. 

Ontem (10), os candidatos fizeram provas matemática e ciências da natureza e tiveram 5 horas para resolver 90 questões.

 

Graciane Sousa
[email protected]

Posts anteriores