Cidadeverde.com

Baixa umidade do ar aumenta casos de Síndrome do Olho Seco

Com a baixa umidade do ar nesta época do ano, os oftalmologistas alertam para o crescimento no número de casos de Síndrome do Olho Seco, doença crônica que afeta 10 % da população e é causada pela queda da quantidade ou da qualidade da lágrima. As consequências são inflamações, cicatrizes ou afinamentos na córnea. Os principais sintomas do Olho Seco são: sensação de areia nos olhos, ardor, queimação, irritação, olhos vermelhos, aversão à luz, visão borrada, lacrimejamento e embaçamento.

A Síndrome do Olho Seco é geralmente resolvida com a prescrição de lágrimas artificiais. Porém, é necessário passar por um oftalmologista para o diagnóstico com exames simples ou específicos que medem a produção de lágrima. O tratamento deve ser feito especificamente considerando as diversas causas da doença. A automedicação nunca é recomendada, afinal, colírio também é remédio. A novidade são os colírios em forma de gel, cuja principal vantagem em relação aos líquidos é a maior absorção do conteúdo no interior dos olhos e o maior tempo de persistência na superfície ocular.

Caminhada, corrida e pedalada previnem a enxaqueca

Uma pesquisa realizada no Ambulatório de Investigação e Tratamento da Dor de Cabeça da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) concluiu que exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida, natação e bicicleta, são eficazes no tratamento preventivo da enxaqueca crônica, quando a dor ultrapassa 15 dias por mês. O estudo, de autoria da fisioterapeuta Michelle Dias Santos Santiago, analisou por um período de três meses 60 pacientes de ambos os sexos com idade entre 18 e 50 anos. Eles foram divididos em dois grupos de 30 pessoas orientados a praticar exercícios aeróbicos (caminhada ao ar livre por 40 minutos durante três vezes por semana) aliados à medicação preventiva e o outro grupo utilizou somente a medicação. O exercício aeróbico de intensidade moderada, praticado regularmente, pode promover o relaxamento muscular, melhora do condicionamento cardiovascular e redução da frequência, intensidade e duração das crises de dor de cabeça. Mesmo com os exercícios realizados em casa, os pacientes tiveram resultados positivos, lembrando que, para a realização desse tipo de tratamento, é necessário o acompanhamento de um médico especialista.

Entenda como tratar a dor provocada pela escoliose

A escoliose é o desvio postural mais frequente. Em geral, apresenta-se em forma de " S " e pode resultar em assimetrias corporais acompanhadas de dores. Nós conversamos com a fisioterapeuta e educadora física Dra. Gilvana Teles, que é membro da Sociedade Brasileira de RPG Souchard. Ela explica o seguinte: "Geralmente, crianças e adolescentes com diagnóstico de escoliose não sentem dores. Na fase adulta as queixas musculares ficam constantes", diz. Quanto mais precoce o tratamento for iniciado, melhor o prognóstico.

Dra. Gilvana Teles, fisioterapeuta e educadora física

O período ideal para intervenção com Reeducação Postural Global - RPG é na fase de crescimento, onde a plasticidade corporal permite ajustes posturais com excelentes resultados. Mas, em qualquer idade é possível tratar a escoliose", explica a fisioterapeuta. Comprovadamente, a RPG é o método de tratamento mais eficiente. Os fatores que podem causar a escoliose são os mais diversos: hereditariedade, má formação congênita, excesso de peso das mochilas escolares, má postura, dentre outros. O tratamento exige um acompanhamento semanal que deve ser conduzido por um fisioterapeuta, de preferência, especialista em RPG. O método desenvolvido pelo francês Dr. Philippe Souchard corrige pontualmente a escoliose.

ENTREVISTA: Especialista tira dúvidas sobre cirurgias de mama

As mulheres continuam liderando a procura pelo aprimoramento da beleza com a ajuda da medicina. A lipoaspiração (que é a retirada do excesso de gordura de várias regiões do corpo) e as cirurgias nas mamas seguem como os procedimentos mais pedidos nos consultórios. Uma avaliação com um profissional da área é o melhor caminho para fazer qualquer mudança no corpo, orienta o cirurgião plástico Davis Barbosa, que é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Ele afirma ainda que as cirurgias nos seios mais pedidas são implantes de próteses e mamoplastias (diminuição e elevação das manas).

Cirurgião plástico, Dr. Davis Barbosa


MARCELO FONTENELE - Qual a principal queixa das pacientes que procuram o seu consultório? Elas vêm com alguma dúvida sobre fazer ou não a cirurgia ou já vêm decididas?
DR. DAVIS BARBOSA - As principais queixas são por causa de flacidez e gordura abdominais, flacidez e alterações do volume mamário (grandes, pequenas ou assimétricas) e gordura nas costas. Também são frequentes as queixas relacionadas às pálpebras, volumes dos glúteos, panturrilhas ou coxas, formato do nariz, envelhecimento facial, orelhas abertas, entre outras. Com a facilidade de acesso às informações fornecidas pela internet, a maior parte das pacientes já chega com conhecimento da cirurgia a ser realizada, assim como, das cicatrizes que esta deixa. A maior parte das vezes, as pacientes já vêm decididas a realizar o procedimento cirúrgico, mas faço sempre todos os esclarecimentos sobre a cirurgia em si e o pós-operatório. 


MARCELO FONTENELE - Há alguma contraindicação para fazer uma cirurgia plástica de mama? 
DR. DAVIS BARBOSA - A cirurgia de mama não deve ser realizada em mulheres muito jovens (mamas em crescimento), gestantes ou no pós-parto recente, amamentando (deve-se esperar um período mínimo de seis meses para cirurgia mamária), em caso de presença de doenças da mama (infecção, tumores, etc) e também após radioterapia (no caso de algumas técnicas), na presença de alterações hormonais que alterem o volume mamário e em determinados distúrbios psiquiátricos. É também comum a recusa em realizar cirurgia das mamas. O último caso que recusei foi por conta de um período muito curto de tempo após o parto e a parada da amamentação.


MARCELO FONTENELE - No caso da reconstrução mamária por causa de câncer de mama, quando é indicada a cirurgia, quanto tempo do tratamento oncológico?
DR. DAVIS BARBOSA - A reconstrução mamária pode ser realizada de forma imediata (na mesma cirurgia de retirada da mama) ou de forma tardia. Neste caso é necessário um período de tempo mínimo de seis meses após o fim do tratamento e a liberação dos médicos envolvidos (mastologista, oncologista e radioterapeuta).


MARCELO FONTENELE - Quais os cuidados e preparativos para a mulher realizar uma cirurgia de mama?
DR. DAVIS BARBOSA – Na preparação da cirurgia mamária devem ser tomados todos os cuidados para a realização de uma cirurgia de grande porte, tais como avaliação das funções dos rins, pulmão, fígado, coração, coagulação, glândula tireoide; investigação de alergias e dos antecedentes pessoais e familiares (especialmente os relacionados a casos de câncer de mamas); controle de peso, parada da amamentação, realização de exames mamários e avaliação psicológica. Algumas pacientes necessitam avaliações mais específicas, a depender do seu histórico pessoal. Deve-se lembrar que a cirurgia mamária pode afetar a capacidade de amamentação futura.


MARCELO FONTENELE - Quanto tempo dura a recuperação de uma cirurgia de mama e quais os cuidados pós-operatórios que as pacientes devem ter?
DAVIS BARBOSA - A recuperação completa de qualquer tratamento cirúrgico de grande porte, assim como o resultado final, só ocorre após um ano. Duas semanas são o tempo mínimo a se afastar do trabalho na maior parte dos casos. Neste período devem-se manter os braços junto ao corpo, movimentando-os o mínimo possível e dormir de barriga para cima por trinta dias. Atividades físicas moderadas após um mês e intensas após dois a três meses. O sutiã cirúrgico deve ser utilizado nos primeiros três meses a depender das orientações médicas. Outras orientações existirão em cada caso.

Tempo seco exige cuidados com a saúde

O período mais seco do ano chegou em Teresina, o B-R-O Bró. O nome faz referência aos meses com altas temperaturas no Piauí e que, por coincidência, terminam em “bro” (setembro a dezembro). De acordo com especialistas, o tempo seco pode provocar diversas reações no corpo, como irritação nos olhos, nariz e garganta seca, mal-estar e pele ressecada. Para o otorrinolaringologista, Erick Barros, a baixa umidade afeta as mucosas dos olhos, da boca e do nariz, que ficam ressecadas, favorecendo a atuação de agentes externos, como vírus e bactérias. “O tempo seco prejudica a saúde porque existem níveis mínimos de umidade relativa do ar, onde abaixo de 30% já é considerado nível crítico, ocasionando efeitos na saúde”, explica.

Otorrinolaringologista, Dr. Erick Barros

 
Para reduzir as consequências do clima seco, o Dr. Erick Barros ressalta a utilização do protetor solar, ingestão de líquidos, além de hidratar a pele. “É salutar também usar colírio para hidratar os olhos, assim como lavar o nariz com soro fisiológico várias vezes ao dia”, destaca o otorrinolaringologista. Existem mais algumas recomendações para esse período, como usar o umidificador de ar nos ambientes de trabalho e domiciliares, aumentando artificialmente a umidade do ar, bem como não direcionar o ventilador ou o ar condicionado para o rosto. A última dica do especialista é evitar atividades ao ar livre nos períodos em que o ar está mais quente, entre 10h e 15h.

Posts anteriores