Cidadeverde.com

Lombalgia é o principal motivo de pedido de afastamento do trabalho

Texto e fotos: Andersson Alencar

 

Antes de ler essa reportagem, sente numa cadeira e veja se percebe alguma dor na coluna. Se sim, você pode ser o próximo a ir de encontro ao ortopedista mais próximo da sua casa. É que existe o risco de uma lombalgia. O ortopedista e traumatologista, Raynerio Costa Marques (CRM 2256-PI), explica que “lombalgia” é um termo utilizado para descrever uma dor na região lombar, que pode ter origem na coluna ou na parte superior da região abdominal. O problema pode ter diferentes causas, algumas complexas e outras não. A patologia pode apresentar-se de duas maneiras: De forma aguda, decorrente de uma má postura, ou de forma crônica, que aparece comumente nas pessoas mais idosas. “As mais comuns são as dores na coluna e na musculatura em volta da mesma. Patologias renais também provocam lombalgia com muita freqüência”, acrescenta o especialista.

Aguda ou insidiosa, as dores da lombalgia aumentam lentamente, podendo irradiar-se para os membros inferiores, além de determinados locais do abdômen, sendo assim um dos problemas que mais causam a procura em consultórios de ortopedia. Entre os trabalhadores, a lombalgia é o principal motivo de pedido de afastamento do serviço. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que cerca de 80% dos adultos sofrerão, no mínimo, uma crise aguda de dor nas costas. 90% dessas sentirão mais de uma vez.

 

Dr. Raynerio Costa Marques, ortopedista e traumatologista, 

 

Em casos de dores na região lombar, o ortopedista Raynerio Costa recomenda que o paciente faça, rapidamente, os exames de radiografia, ultrassonografia, tomografias e, até mesmo, exames laboratoriais. A ausência do tratamento pode provocar dor crônica incapacitante. Segundo ele, dependendo da origem, a dor pode ter várias complicações e consequências. “No caso de dores de origem nervosa, você pode estar diante de tumor. A recomendação é procurar rapidamente um profissional da área”, alerta o especialista.

Um dos tratamentos da lombalgia é com o profissional de fisioterapia. O objetivo é tentar corrigir os problemas posturais, em busca da diminuição da dor e a correção da coluna. O uso de analgésicos e anti-inflamatórios não está descartado durante os procedimentos. O fisioterapeuta, Anderson Franco, atua no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). Ele dá orientações ao paciente de lombalgia, para o momento de dormir, quando os cuidados com a postura devem ser redobrados. “Uma das dicas dica é dormir de lado e colocar uma almofada entre os joelhos. O travesseiro deve ficar em 90º do lado da cabeça, protegendo, assim, a cabeça de futuros problemas. Já ao caminhar, devemos colocar todo o pé no chão. Para quem pratica atividades nas academias, uma maneira de prevenir problemas posturais é na hora do exercício físico. Devemos procurar fazer alongamentos corretos, evitar cargas excessivas e sempre pedir auxílio para os profissionais da área”, complementa o fisioterapeuta.

 

Fisioterapeuta Anderson Franco

 

ALGUMAS DICAS PARA EVITAR A LOMBALGIA:

- Dê preferência a dormir de lado. De bruços, você pode entortar o pescoço e forçar a região lombar.
- Habitue-se a alongamentos durante o dia, a começar pelo espreguiçamento ao acordar.
- Conserve o peso normal. Quilos extras pesam não apenas na barriga.
- Mantenha boa postura. Cabeça para cima, ombros retos, peito para frente, peso distribuído em ambos os pés.
- Sente-se em cadeiras e sofás com encosto reto e firme. Use um descanso para um dos pés quando estiver de pé ou sentado por muito tempo.
- No carro, mantenha pés a distância confortável dos pedais, sem forçar. Viagens longas exigem travesseiro para as costas e intervalos para descanso.
- Quem trabalha muito tempo sentado deve caminhar de vez em quando. Quem fica em pé deve descansar um dos pés, em intervalos. Ande, suba escadas, movimente o corpo, respire profundamente e tente manterá musculatura relaxada.
- Trate a dor aguda com orientação médica, para que ela não se transforme em crônica. Evite a automedicação.