Cidadeverde.com

Alerta no Dia do Homem: Eles morrem mais que as mulheres

A afirmação é de um levantamento feito pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. Os dados revelam que 60% das mortes provocadas por doenças cardiovasculares são homens, com média de idade de 56 anos. Geralmente eles são vítimas de AVC - Acidente Vascular Cerebral, infarto, arritmias cardíacas, isquemias e anginas (dores no peito). Segundo o  cardiologista Victor Lira (CRM 4447), a frequência do aparecimento dessas enfermidades pode estar ligada ao estilo de vida adotado por boa parte deles. “Não é uma regra geral, mas muitos homens não desempenham nenhum tipo de atividade física, possuem uma alimentação muito calórica e consomem bebidas alcoolicas em excesso; fatores que facilitam o aparecimento de problemas no coração e nas artérias. Além disso, é cultural que as mulheres procurem mais o médico do que os homens”, explica.

 

 

O médico ainda alerta que a ida com menos frequência ao médico, a demora do paciente no retorno dos exames e a resistência em ministrar corretamente a medicação prescrita pelo médico compõem um cenário propício para possíveis sustos, como infartos. Infelizmente, muitos homens só começam a dedicar tempo e cuidados com a saúde depois desses sustos. Portanto, segundo o Dr. Victor Lira, para evitar surpresas desagradáveis, a melhor conduta é a prevenção. Em consultas regulares ao médico é possível que o paciente monitore a pressão arterial, nível de açúcar no sangue e colesterol, assim como, controle o peso, consiga uma orientação nutricional e uma avaliação física profissional. “A medicina preventiva ainda é a alternativa mais eficiente. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico dos fatores de risco- sedentarismo, tabagismo, hipertensão, diabetes, obesidade e colesterol- maiores as chances de tratamento e cura para o paciente”, enfatiza Victor Lira.