Cidadeverde.com

ENTREVISTA: Cardiologista diz o que reduz os riscos de doenças cardíacas

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), as doenças cardiovasculares são as principais causas mundiais de morte. No Brasil, 300 mil pessoas morrem anualmente, ou seja, um óbito a cada dois minutos é causado por esse tipo de enfermidade. A nossa entrevista de hoje é com o médico cardiologista, Elisiário Júnior. Ele tem especialização em Cardiologia pelo Hospital da Beneficência Portuguesa em São Paulo e especialização em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia.

 

médico cardiologista, Elisiário Júnior


MARCELO FONTENELE - Quais as doenças, relacionadas ao coração, mais comuns aqui no Brasil? 

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - As doenças cardiovasculares, dentre elas o AVC e Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), são as principais causas de morte no mundo. Estima-se que no Brasil, a cada ano, 450.000 pessoas morrem devido à eventos cardiovasculares. Dentre as principais doenças correlacionadas, destacam-se o diabetes, a hipertensão arterial, a dislipidemia.

 

MARCELO FONTENELE - Quais os fatores de risco dessas doenças?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - O principais fatores de risco são o sedentarismo, a obesidade, tabagismo, stress e o consumo exagerado de bebidas alcoolicas.

 

MARCELO FONTENELE - Aqui no Piauí, a realidade é a mesma nacional? Ou existe algum diagnóstico diferenciado com relação às doenças cardiovasculares mais comuns?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - No Piaui, a realidade se assemelha, embora não tenhamos nenhuma estatística a respeito.

 

 

MARCELO FONTENELE - A todo instante vemos especialistas em diferentes meios de comunicação dando o alerta sobre o sedentarismo e a má alimentação. O que ainda falta para as pessoas terem mais cuidado com a própria saúde?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - Falta à população saber que a prática regular de atividade aeróbicas, por pelo menos 40 minutos 3 x por semana , reduz significamente o risco cardiovascular, pois ajuda a diminuir o peso, melhora o stress e aumenta a expectativa de vida.


MARCELO FONTENELE - Muita gente pensa que a hipertensão atinge apenas pessoas acima dos 40 anos...

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - A hipertensão arterial atinge todas as faixas etárias, sendo mais prevalente após a quinta década de vida. Vale ressaltar que 6 % das crianças são hipertensas e 34 % dos adultos jovens também são.

 

MARCELO FONTENELE - E alguns hipertensos sabem que têm o problema e ainda assim teimam em não fazer o tratamento medicamentoso. Quais os riscos para esse tipo de paciente?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - Os pacientes relutam em iniciar o tratamento pelo fato da hipertensão arterial tratar-se de uma doença silenciosa, ou seja, não provoca sintomas. No Brasil, somente 10 % dos brasileiros hipertensos estão com sua pressão arterial adequadamente controladas. Isso configura-se uma risco muito alto para Acidente Vascular Cerebral-AVC (60% dos casos decorre de Hipertensão Arterial Sistêmica-HAS e 40 % dos infartos também decorre de HAS).

 

 

MARCELO FONTENELE - Em que situações a cirurgia cardiovascular é inevitável?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - A cirurgia de revascularização é indicada naqueles pacientes com múltiplas obstruções nas artérias coronárias e se o mesmo for diabético. Em casos de uma única lesão ou duas, a angioplastia coronária pode ser útil.

 

MARCELO FONTENELE - O que é a aterosclerose? É uma doença comum?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - A aterosclerose caracteriza-se por placas de ateroma ( constituida na sus maioria por colesterol ) que obstrui a luz dos vasos provocando AVC e HAS.

 

MARCELO FONTENELE - Quais as suas recomendações gerais para que a pessoa se previna contra as doenças cardiovasculares?

DR. ELISIÁRIO JÚNIOR - As principais recomendações consiste em abandonar imediatamente o tabagismo, controlar o diabetes e a hipertensão arterial, Diminuir o consumo de álcool e reduzir o peso. Praticar atividades físicas aeróbicas e  reduzir o stress.