Cidadeverde.com

Acupuntura estimula a fertilidade

O blog VIDA, sempre antenado com o que há de mais atualizado no setor da saúde, encontrou esse texto redigido pelo americano Alison McCook. Ele usou como base artigos científicos sobre o tema e chegou a essa conclusão que pode ajudar muitas mulheres que possuem dificuldades para engravidar. Como fonte de pesquisa, ele utilizou Fertility and Sterility 2002;78:1149-1153. Confira:

 

 

NOVA YORK (Reuters Health) - As mulheres que tentam engravidar podem ser beneficiadas pela acupuntura, informou um estudo. Segundo uma análise da literatura médica, os benefícios da técnica para a fertilidade feminina revelou que pode ajudar a reduzir o estresse, aumentar o fluxo sanguíneo para os órgãos reprodutivos e ajudar a normalizar a ovulação, fatores necessários para ajudar a conceber.

Por isso, as mulheres poderiam acrescentar a acupuntura aos tratamentos contra infertilidade, informou Raymond Chang, da Cornell University e Meridian Medical, em Nova York -- clínica privada que oferece tratamento usando a técnica. Quem tenta ter filhos costuma experimentar várias técnicas diferentes, e a acupuntura "certamente é uma boa alternativa, já comprovada", observou Chang.

Antiga terapia que surgiu na China há mais de 2.000 anos, a acupuntura consiste na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo. A teoria da medicina tradicional chinesa diz que esses pontos são conexões com vias de energia (meridianos) que correm pelo corpo, e a técnica ajudaria a manter esse fluxo energético natural.

Muitos estudos anteriores já haviam avaliado os benefícios da técnica quando associada a outros tratamentos de fertilização. Uma dessas pesquisas descobriu que mulheres que incorporam a acupuntura ao tratamento de fertilização in vitro (bebê de proveta) apresentam mais chances de engravidar do que as tratadas apenas com a técnica de reprodução assistida. A fertilização in vitro envolve a coleta de um óvulo, fertilizado pelo espermatozóide de um homem em laboratório. Os embriões resultantes são transferidos para o útero.

Chang observou que um estudo anterior também demonstrou que mulheres que usaram apenas a acupuntura, sem outros tratamentos de fertilização, se mostraram tão propensas a conceber no mesmo prazo do que usuárias de medicamentos para combater problemas de fertilidade. Essa conclusão indica que a acupuntura "pode ser usada sozinha como tratamento padrão", disse o pesquisador à Reuters Health. A equipe de Chang resumiu estudos recentes sobre acupuntura e fertilização na edição de dezembro da revista Fertility and Sterility.

Em relação a explicações ocidentais sobre como a acupuntura poderia afetar a fertilidade, os pesquisadores descobriram que a técnica pode exercer influência sobre centros no cérebro que afetam a ovulação, além de reduzir o estresse. Chang explicou que, como o estresse pode impedir uma mulher de ovular, sua ausência geralmente promove a fertilidade. Essa tendência explica por que mulheres extremamente estressadas geralmente param de menstruar e por que casais geralmente concebem quando estão em viagem ou outras atividades de lazer.

Os pesquisadores também descobriram que a acupuntura pode aumentar o fluxo sanguíneo para os órgãos reprodutivos femininos, oferecendo a eles uma melhor irrigação. Além disso, a acupuntura parece melhorar o revestimento do útero, local ao qual o embrião adere após a concepção. Esse revestimento é como o "solo do jardim", explicou Chang -- se está desnutrido, o embrião não se fixa e a gestação não terá continuidade.

Chang observou que muitas pacientes já estão acrescentando a acupuntura a outros tratamentos para estimular a concepção. "Na minha opinião, cada vez mais as pacientes farão acupuntura porque perceberam que o melhor é tentar de tudo", disse o pesquisador. Apesar das evidências, Chang considera necessário realizar mais pesquisas para analisar os benefícios da acupuntura sobre a fertilidade feminina. Ele lembrou que sua equipe está planejando um teste clínico para comparar mulheres submetidas à fertilização invitro e à acupuntura a outras submetidas somente à fertilização in vitro para determinar se o tratamento milenar funciona como uma técnica adicional.