Cidadeverde.com

Médico analisa como Teresina se tornou referência em saúde

“A área de Saúde exige dedicação intensa, estudo constante, vocação inata e humanismo supremo. Mas, acima de tudo, para ser um profissional competente, é preciso estudar e se atualizar muito, sempre, até o fim da vida”. Com essa constatação, a jornalista Aldenice Sousa fez essa entrevista especial sobre os 163 anos de Teresina. O convidado foi o professor Mestre Isânio Vasconcelos Mesquita, médico ortopedista e Coordenador de Ortopedia e Traumatologia do Curso de Medicina da UESPI.

 

 

1 – Teresina é considerada um polo de referência em Saúde para todo o país. Na sua opinião, que fatores favoreceram o crescimento do setor de saúde na capital?

DR, ISÂNIO VASCONCELOS - Diversos fatores contribuíram para tornar a área de Saúde em Teresina muito desenvolvida do ponto de vista técnico, científico e tecnológico, a começar por aspectos históricos, tendo como marco inicial desse avanço a inauguração de um hospital de grande porte (o Hospital Getúlio Vargas) já na década de 50, quando a maioria das capitais do Nordeste ainda não possuía estrutura hospitalar adequada. Além disso, a localização geográfica central de Teresina, situando-se mais próxima das cidades interioranas dos outros Estados do que as próprias capitais praianas, gerou um grande afluxo de pacientes advindos da circunvizinhança, o que acabou também por trazer a necessidade de tratar e lidar com os mais variados e complexos tipos de patologias, alavancando o estudo e progresso científico.

Advindo dessa necessidade, surgiu conjuntamente em nosso Estado o desenvolvimento do ensino na área de Saúde, levando o Piauí a tornar-se polo de referência não só em Saúde, mas também no Ensino desta área, o que, por sua vez, resulta na formação de profissionais de alta qualidade e interessados em permanecerem se aprimorando sempre, já que o próprio mercado também passa a exigir atualização constante. Então forma-se um ciclo onde cada fator contribui em uníssono para um mesmo resultado: um padrão de excelência na área de Saúde de nossa capital.

 

2- Em contraste com o crescimento, a saúde também enfrenta desafios. Quais seriam os principais desafios da área em Teresina?

DR, ISÂNIO VASCONCELOS - Manter um padrão-ouro é, por vezes, mais difícil que atingi-lo, especialmente em épocas onde os investimentos nos setores de saúde muitas vezes entram em conflito com as crescentes demandas, bem como com a necessidade de acompanhar os avanços que a tecnologia passa a oferecer à área da Saúde, com métodos diagnósticos e terapêuticos precisos e sofisticados, porém de alto custo, medicamentos de última geração, mas por vezes escassos ou ausentes nos serviços de saúde e inacessíveis à grande maioria da população, e até mesmo a necessidade de investimentos elevados na formação e no treinamento dos profissionais desde a graduação, especializações e pós-graduações, incluindo nesta formação uma visão de saúde coletiva, prevenção de doenças e sanitarismo, sem esquecer a necessidade de levar os recursos mais especializados àqueles que necessitam.

Por outro lado, começam a surgir as consequências das mudanças no estilo de vida de nossa população, com um maior uso de produtos industrializados, tabagismo, sedentarismo e fatores que o progresso nos traz, ocasionando junto com eles uma grande elevação na taxa de enfermidades crônicas, como diabetes e doenças cancerígenas. Se por sua vez a expectativa de vida da população aumentou, também ocorreu um incremento nas patologias próprias da terceira idade, como doenças degenerativas, escleroses, Parkinson e outras. E, para agravar esse quadro, vivemos uma súbita e assustadora elevação na taxa das chamadas “doenças do trauma”, em sua maioria advindas de acidentes automobilísticos e motociclísticos cada vez mais frequentes nas cidades que crescem em ritmo acelerado como nossa capital, gerando desafios cada vez maiores aos profissionais que lidam com a prevenção e tratamento dessas patologias.


3- Como a Saúde se relaciona com outras áreas, como por exemplo a tecnologia, cujos avanços tem impacto no tratamento e recuperação dos pacientes. Ou ainda, o esporte, considerando que o senhor tem ampla experiência em Ortopedia?

DR, ISÂNIO VASCONCELOS - A Saúde mantem intensa relação com todas as áreas, e muito estreitamente com a tecnologia, onde os avanços permitem hoje monitoramentos de vários processos e afecções, diagnósticos cada vez mais precoces e precisos, exames laboratoriais mais específicos, exames de imagens tridimensionais de alta resolução, medicamentos menos tóxicos e mais potentes e eficazes, mapeamentos genéticos, cirurgias minimamente invasivas, videolaparoscópicas e artroscópicas, por vezes guiadas por recursos auxiliares de imagens, tudo contribuindo para a qualidade de vida e saúde da população. A engenharia genética também tem proporcionado grandes avanços em vários setores da Saúde.

Aliado a tudo isso, temos processos e equipamentos de reabilitação e fisioterápicos cada vez mais desenvolvidos, muitas vezes auxiliando a recuperação de lesões ocorridas nos esportes, área que também se beneficiou muito ultimamente através de estudos de biomecânica, análises de movimento e de marcha, equipamentos de avaliação cardio-circulatória, novas técnicas cirúrgicas menos agressivas e mais específicas, bem como materiais cirúrgicos e implantes de tecnologia avançada, modificando o padrão atual da prevenção e tratamento de diversas lesões que antes impediam o retorno às atividades de maior requisição do desempenho músculo-esquelético.

 

4- Acerca do mercado de trabalho, é notável o aumento de clínicas em Teresina, mas também há um grande número de médicos formados aqui sendo exportados para outras capitais. O que um aluno, ou jovem com interesse em ingressar na área de Saúde pode esperar do mercado de trabalho local?

DR, ISÂNIO VASCONCELOS - Como em todas as áreas, os profissionais competentes sempre terão seus espaços garantidos. A área de Saúde exige dedicação intensa, estudo constante, vocação inata e humanismo supremo. Mas, acima de tudo, para ser um profissional competente, é preciso estudar e se atualizar muito, sempre, até o fim da vida. Os jovens que assumirem desde o início estes compromissos inerentes à profissão, sem preocupações com ascensão social ou ganhos financeiros, fazendo sua área de atuação ser o seu projeto de vida, estes conseguirão realizar-se plenamente através do que fazem, e terão sempre trabalho garantido à sua espera, com a satisfação maior que está em exercer a arte de curar quando possível, aliviar muitas vezes, consolar e confortar sempre.

 

Fonte:
Assessoria de Comunicação - UESPI