Cidadeverde.com

Resolutividade da atenção básica reduz o número de internações em Teresina

Dados divulgados no Mapa da Saúde, ferramenta do Ministério da Saúde, revelam que nos últimos 07 anos houve diminuição progressiva do ICSAB - Proporção de Internações por Condições Sensíveis à Atenção Básica em Teresina. Os dados indicam maior resolutividade dos casos levados à Atenção Básica e expressam melhorias no nível primário da saúde. Segundo o levantamento, foi registrada diminuição na proporção de internações por causas que poderiam ter sido resolvidas no nível primário, o que significa ter ocorrido maior resolutividade na rede básica, ocorrendo o tratamento ou mesmo a cura dos pacientes ainda nas fases iniciais (prevenção, diagnóstico e tratamento precoce). No período de 2008 a 2014, a diminuição das internações tem ocorrido de forma progressiva. 

 

 

No ano de 2008, Teresina registrou o percentual de 40,9%, ao passo que em 2014, o percentual foi de 29,47% , percentual classificado como satisfatório pelo Ministério da Saúde, o qual estabelece como ideal os patamares entre 0 a 39,99%. Outro dado que chama a atenção no Mapa da Saúde é que, no mesmo período (2008 a 2014), Teresina se destacou em relação ao Piauí (era 49,53% em 2008 e diminuiu para 45,02% em 2014) e até mesmo em relação ao Brasil (35,77% em 2008 que reduziu para 31,87% em 2014). 

 

Para Aderivaldo Andrade, secretário municipal de saúde, o trabalho realizado na atenção básica tem reflexos em todo o sistema de saúde: “A atenção básica é ordenadora das demais redes. Se funcionar bem, as outras redes, como a rede de urgência, irão efetivamente prestar atendimento compatível com seu nível de complexidade e quem sai beneficiada é a população.”, afirma. 

 

Smithanny Barros, gerente da atenção básica da Fundação Municipal de Saúde, atribuiu o resultado positivo à atuação das Unidades Básicas de Saúde: “São nesses locais onde existe o acompanhamento sistemático, trabalham a prevenção, o que contribui para que as doenças sejam diagnosticadas e tradadas no nível da atenção básica, não evoluindo para a internação”, afirma. Ela informa ainda que Teresina dispõe de 92 Unidades Básicas de Saúde e 262 equipes de Estratégia de Saúde da Família.

 

 

A gerente explica que a FMS tem constatado avanços que contribuíram para a diminuição do Icsab: “Houve expansão das equipes de estratégia de saúde da família, a população tem acesso fácil às vacinas; realizamos também a importante ação de acompanhar o crescimento das crianças e preveni-las contra anemias; temos três NAFS (Núcleo de Apoio de Saúde à Família) que dão apoio às ESF (Estratégias de Saúde da Família); estamos implantando o acolhimento na atenção básica, facilitando o acesso às consultas. Estes são alguns fatores determinantes para redução do ICSAB”, afirma. Ela faz ainda um alerta à população, para que as pessoas dediquem tempo para cuidar de sua saúde: “O diabético ou hipertenso, por exemplo, deve fazer o acompanhamento para que não haja agravamento do seu quadro de saúde. A hipertensão mal controlada pode causar outras doenças cardiopáticas, como o infarto do miocárdio.”, afirma Smithanny Barros, que também é enfermeira.