Cidadeverde.com

Entenda a importância dos serviços de home care para o paciente

Teresina, incontestável polo de saúde, oferece diversos serviços no setor. E um deles, em constante expansão, é o atendimento domiliar, conhecido como "Home "Care". Ao ler sobre o assunto, achei interessante trazer estas informações que peguei no site "Interne" sobre a importância desse serviço. O Home Care de fato vêem ganhando cada vez mais espaço no nosso país, mas não só por ter sido mais divulgado, pela qualidade e compromisso que o trabalho requer e tem exercido com maestria. Primeiramente é preciso destacar os pontos que diferem uma internação hospitalar de uma internação domiciliar para entender como funciona e o por quê da preferência dada aos pacientes de ficar em sua própria casa. A Atenção Domiciliar caracteriza-se por serviços prestados, no âmbito do domicílio, ao paciente que já superou a fase aguda do processo patológico, encontrando-se hemodinamicamente estável, mas que ainda necessita de recursos terapêuticos hospitalares. Compreende ações pautadas em uma concepção de “saúde–doença” que buscam a promoção, prevenção, recuperação e reabilitação do paciente em seu lugar de referência: O lar. Ou seja, casos de pacientes idosos em sua maioria, ou até mesmo jovens que possuem doenças crônicas ou graves, tais como: Diabetes, hipertensão, feridas, dores constantes... A internação domiciliar apresenta custos menores do que a hospitalar, que podem variar conforme o tipo de patologia, período de internação hospitalar, gastos anteriores ao atendimento domiciliar, total de gastos no domicílio, tempo que o paciente permanece no período após a alta sem reinternações hospitalares e das necessidades de utilização dos serviços de saúde. Ou seja, casos de acidentes, traumas, cirurgias, complicações e casos mais específicos que já são considerados estáveis e fora de perigo, mas que ainda precisam de cuidados.

 


Atenção Domiciliar é o termo genérico que envolve ações de promoção à saúde, prevenção, tratamento de doenças e reabilitação do paciente, desenvolvidas em domicílio.

Admissão em Atenção Domiciliar é o processo que se caracteriza pelas seguintes etapas: indicação, elaboração do Plano de Atenção Domiciliar e início da prestação da assistência ou internação domiciliar.

Alta da Atenção Domiciliar é o encerramento da prestação de serviços de atenção domiciliar em função de: internação hospitalar, alcance da estabilidade clínica, cura, pedido do paciente e/ou responsável, óbito.

Assistência Domiciliar é o conjunto de atividades de caráter ambulatorial, programadas e continuadas desenvolvidas em domicílio. Quando o paciente necessita da intervenção de serviços médicos ou de enfermagem apenas para a realização de procedimentos específicos como, por exemplo, a administração de medicamentos por via parenteral ou a realização de curativos complexos.

Cuidador é a pessoa com ou sem vínculo familiar capacitada para auxiliar o paciente em suas necessidades e atividades da vida cotidiana. Ou seja, o responsável pelo paciente em sua residência, todas as vezes que a equipe médica não estiver por perto.


Um aspecto muito importante na Internação Domiciliar é todo o equipamento e equipe de apoio que é disponibilizado de acordo com a necessidade de um paciente. Pode ser definida como uma atividade de cuidados à saúde realizada no domicílio como alternativa à hospitalização, para pacientes com quadro clínico estável e que dependam continuamente de cuidados especializados de uma equipe multiprofissional, coordenada e supervisionada por um médico. Envolve a transferência de aparato tecnológico específico para o domicilio, disponibilidade de serviços de transporte externo para emergências, exames especializados, fornecimento de medicamentos e monitoramento constante do paciente e da família.

 


Com informações do site Interne
Edição: Marcelo Fontenele