Cidadeverde.com

Ministro sugere que a fosfoetanolamina seja vendida como suplemento alimentar

O blog VIDA se sente impotente diante de tantas pessoas queridas que sofrem com o câncer, esta doença que maltrata não só o paciente, mas também toda a família. Acompanhamos as últimas novidades sobre a possível liberação da fosfoetanolamina, conhecida como "pílula do câncer" e que alimenta a esperança de muita gente.

A presidente Dilma Rouseff tem até esta quarta-feira (13) para aprovar ou vetar a lei que propõe a liberação da venda da fosfo. O assunto ainda deverá gerar várias discussões, já que a própria Anvisa e a comunidade científica querem que a pílula seja vetada. A alegação é de que não foram comprovadas a segurança e a eficácia da suposta medicação.

 

 

O Ministério da Ciência e Tecnologia pediu a três laboratórios testarem a eficiência do medicamento. Os cientistas realizaram a primeira etapa dos testes, oportunidade em que foram constatadas alterações no peso de muitas pílulas. Elas deveriam ter 500 miligramas, mas só continham 320 miligramas. Outros materiais também foram encontrados. A  fosfoetanolamina só representava 32,2%. O restante do composto era impureza. 

O ministro da Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, sugere que a fosfo seja vendida como "suplemento alimentar" ao invés de classificá-la como "medicamento". O criador do remédio é o doutor em química pela USP, Gilberto Cheirice. Hoje ele está aposentado e responde a um inquérito policial. Gilberto evita falar com a imprensa sobre o assunto.