Cidadeverde.com

Lar da Esperança pode fechar sem as doações da comunidade

Mais uma vez o Lar da Esperança precisa de uma forte corrente de solidariedade. A instituição, que atende pessoas portadoras de HIV, passa por dificuldades de manutenção. A coordenadora, Graça Cordeiro, explica que todo tipo de doação é bem vinda: Alimentos não perecíveis, roupas usadas e dinheiro. O lar atende 50 pessoas por dia que vêm do interior do Piauí e de outros Estados como Maranhão, Pará e Tocantins. Para manter a estrutura, são necessários dez voluntários, três enfermeiras e duas cozinheiras. O dinheiro que o Lar da Esperança recebe de doação é destinado para a  aquisição de alimentos, medicamentos, material de limpeza, gás de cozinha, além do pagamento das contas de água, luz e telefone.

 


As pessoas atendidas pela instituição geralmente possuem baixa renda e vivem apenas do bolsa família ou da aposentadoria. Para complementar os recursos necessários para a manutenção da casa, a coordenadora Graça Cordeiro cata garrafas peti e papelão nas áreas comerciais da zona leste e Centro. Com este trabalho cansativo ela ainda consegue apurar, em média, 500 reais por mês. Na sede do Lar da Esperança tem um espaço onde funciona um bazar com roupas semi novas. As doações podem ser feitas diretamente na instituição, assim o doador tem a oportunidadede conhecer melhor como funciona o lar. O endereço é a rua Capitão Vanderlai, nº 5000, bairro Piçarreira, zona leste de Teresina. Mas, se os afazeres diários não permitem a ida do doador até o lar, a dona Graça Cordeiro disponibiliza duas contas bancárias para depósito. São elas:


Banco do Brasil
Agência: 4249-8
Conta: 7935-6
Associação Lar da Esperança


Caixa Econômica
Agência: 1989
Conta: 343-9
Operação: 3
Associação Lar da Esperança