Cidadeverde.com

CRM-PI participa de Fórum que debate a máfia de órteses e próteses

O Conselho Federal de Medicina realizou o VII Fórum Nacional de Cooperativismo Médico, que reuniu várias lideranças políticas do Congresso Nacional, representantes de entidades médicas, conselheiros federais e membros de conselhos regionais de Medicina. A cerimônia de abertura contou com a presença de lideranças do cooperativismo e da medicina e também de parlamentares, como a senadora da República Ana Amélia Lemos (PP/RS) e o deputado federal Lelo Coimbra (PMDB/ES). A senadora falou sobre as denúncias de corrupção apontadas em reportagem exibida em 2015 pelo programa Fantástico e o deputado, membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Máfia das Órteses e Próteses da Câmara dos Deputados, expôs os resultados dos trabalhos da Comissão. O presidente do CFM, Carlos Vital Tavares Corrêa Lima também esteve presente.
Participaram da abertura o coordenador da Comissão de Cooperativismo Médico e diretor-tesoureiro do CFM, José Hiran da Silva Gallo; o presidente da Associação Médica do Brasil (AMB), Florentino Cardoso, e o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Márcio Lopes de Freitas. Do Piauí, participam o presidente do CRM-PI, Emmanuel Fontes, o conselheiro Paulo Matheus Pereira Nunes e o médico urologista Helder Damásio, os quais fazem parte da Comissão de Cooperativismo do CFM.


“A corrupção não está correndo somente na política, mas também está relacionada às Órteses e Próteses, inclusive com judicializações indevidas”, destacou a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS). O primeiro painel debateu sobre as “Novas perspectivas e regulamentação do mercado de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME): em que podemos avançar?”, o qual tratou dos projetos de lei sobre o assunto que tramitam no Congresso Nacional. Foram convidados para participar deste painel os deputados federais Lelo Coimbra (PMDB/ES), autor de um projeto de lei apensado ao PL 221/2015, que trata da criminalização das condutas ilegais no campo das OPME e coordenador do ramo saúde da Frente Parlamentar de Cooperativismo (Frencoop); Geraldo Resende Pereira (PMDB/MS), presidente da CPI da “Máfia das OPME”, e Ricardo Izar (PP/SP), relator do PL 2454/15, que regulamenta o mercado de OPME. Também foi convidada a senadora Ana Amélia Lemos (PP/RS), autora do projeto de lei do Senado 17/2015, que também propõe a regulamentação do mercado de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME).


Nos debates, a regulamentação do mercado de órteses e próteses e a autonomia do médico diante dos custos assistenciais. O coordenador do fórum apresentou dados sobre a importância do cooperativismo médico, como a existência de 377 cooperativas médicas em todo o País, que reúnem mais de 106 mil médicos em atividade. Segundo ele, o setor movimenta aproximadamente R$ 35 bilhões ao ano e presta um serviço bem avaliado pela população.