Cidadeverde.com

O que os especialistas falam da Low Carb, a dieta da moda

 

Quem exibe silhueta de uns quilinhos a mais certamente já deve ter sonhado com dietas que prometem emagrecer num curto espaço de tempo. E elas existem! A chamada "Low Carb" é uma delas e tem conquistado muitos adeptos, como o gerente comercial, Osvaldo Oliveira. Ele perdeu 23 quilos em 5 meses e hoje exibe um corpo bem definido. "Quando iniciei a dieta, o hemograma acusou que todas as minhas taxas estavam alteradas. Eu estava com 92 quilos e tinha dificuldade até para amarrar o cadaço do tênis. Recentemente fiz um novo exame e estava tudo normal. Hoje eu me sinto mais disposto, consigo durmir melhor... Só me trouxe benefícios", comemora. Para conquistar o objetivo, Osvaldo aliou a Low Carb com a prática diária de musculação e o jejum intermitente - mas isto é assunto para outra reportagem. 

A dieta Low Carb consiste na redução da quantidade de carboidratos em relação ao que seria consumido numa alimentação diária convencional. O macronutriente, que normalmente representa de 50% à 55% das refeições, deve ficar abaixo de 20%. O principal objetivo dessa dieta é fazer o corpo utilizar gordura como sua principal fonte de energia, que irá substituir a glicose obtida através dos carboidratos. Aí o corpo entra no processo de cetose, que pode ser definida como um estado metabólico onde o corpo não mais obtém energia a partir da glicose sim das reservas de gordura. Embora a low carb prometa e cumpra a perda de peso desejada, essa dieta sempre é motivo de polêmica quando debatida entre os especialistas da saúde. Nós conversamos com o presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia do Piauí, o médico Flávio Vasconcelos Melo, que faz um alerta sobre essa busca do caminho mais rápido para conseguir os objetivos: "Nós, endocrinologistas, de uma maneira geral não costumamos indicar dietas seletivas ou excessivamente restritivas . Exceto em raras situações onde é importante uma perda rápida de peso", disse. Ele afirma, ainda, que a perda de peso não consegue ser mantida por muito tempo: "E aí esta o grande problema... Não há mudança de hábito alimentar, não existe reeducação alimentar. E sem isso a perda de peso jamais será sustentável a longo prazo; então o paciente recuperará o peso rapidamente". Flávio Melo também explicou sobre os malefícios que a Low Carb pode provocar: "Restringir a alimentação a apenas um ou dois grupos pode ser um problema. Todos e cada um dos elementos da alimentação são fundamentais para o correto funcionamento do organismo. Poderia citar trabalhos que evidenciam aumento das doenças cardiovasculares em mulheres submetidas a dietas protéicas, aumento de lesões renais, aumento do colesterol ruim, fadiga e baixa de energia, menor rendimento no aprendizado e no trabalho, carências vitamínicas , cetose com halitose acentuada", argumenta.

Já o médico gastroenterologista, Antônio Barros, vai mais além. Ele reconhece que a Low Carb é eficaz na perda de peso, porém o método pode provocar sérias complicações para a saúde se for mantido por um longo período de tempo. "Quando se reduz a quantidade de carboidratos e aumenta a de proteínas e gorduras, pode acontecer o aumento de processos inflamatórios e até desenvolver o câncer. "Se for necessário fazer uma dieta para perder peso rapidamente, o recomendado é escolher dietas mais saudáveis. Tem duas, em especial: A de restrição calórica, que é prescrita na maioria das vezes, e consiste redução do consumo de calorias. Por exemplo, se a pessoa consome 3 mil calorias por dia e passa a consumir 1000, ela vai perder peso naturalmente. Também tem a dieta de remodulação de metabolismo, que é de mais difícil adaptação, à base de frutas e vegetais".

Para a nutricionista Teresinha Ferrer, especialista em Nutrição e Metabolismo, é necessário a pessoa ter um programa alimentar orientado para evitar as situações de hipoglicemia e de desidratação que a Low Carb pode provocar. "A dieta low carb pode gerar uma concentração de minerais que pode ser perigosa para o controle da pressão arterial e pode favorecer a formação de cálculo renal. Também pode sobrecarregar o fígado pelo excesso de gorduras. O ideal é que ela seja utilizada por um período de tempo não muito longo. É aconselhável a ingestão de gorduras saudáveis durante o período de dieta Low Carb. A ingestão de água deve ser aumentada durante o período de baixa ingestão de carboidrato", explica. Apesar dos malefícios que o paciente está exposto, a nutricionista diz que estudos comprovaram um melhor controle glicêmico em pacientes com glicose descompensada, além de favorecer um melhor perfil respiratório em pessoas com disfunção pulmonar. Mas,como diz o ditado popular "tudo em excesso faz mal"; (inclusive alimentos considerados saudáveis), para evitar complicações na saúde a saída é procurar orientações dos especialistas: "Um programa alimentar sem orientação adequada pode ocasionar problemas de saúde. A forma como cada indivíduo conduz a sua alimentação é determinante para prevenção e tratamento de patologias. Recomendações e restrições alimentares são parâmetros particulares. A identificação das necessidades deve ser feita por profissional treinado para isso", conclui a nutricionista.