Cidadeverde.com

ENTREVISTA: Especialista tira dúvidas sobre cirurgias de mama

As mulheres continuam liderando a procura pelo aprimoramento da beleza com a ajuda da medicina. A lipoaspiração (que é a retirada do excesso de gordura de várias regiões do corpo) e as cirurgias nas mamas seguem como os procedimentos mais pedidos nos consultórios. Uma avaliação com um profissional da área é o melhor caminho para fazer qualquer mudança no corpo, orienta o cirurgião plástico Davis Barbosa, que é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Ele afirma ainda que as cirurgias nos seios mais pedidas são implantes de próteses e mamoplastias (diminuição e elevação das manas).

Cirurgião plástico, Dr. Davis Barbosa


MARCELO FONTENELE - Qual a principal queixa das pacientes que procuram o seu consultório? Elas vêm com alguma dúvida sobre fazer ou não a cirurgia ou já vêm decididas?
DR. DAVIS BARBOSA - As principais queixas são por causa de flacidez e gordura abdominais, flacidez e alterações do volume mamário (grandes, pequenas ou assimétricas) e gordura nas costas. Também são frequentes as queixas relacionadas às pálpebras, volumes dos glúteos, panturrilhas ou coxas, formato do nariz, envelhecimento facial, orelhas abertas, entre outras. Com a facilidade de acesso às informações fornecidas pela internet, a maior parte das pacientes já chega com conhecimento da cirurgia a ser realizada, assim como, das cicatrizes que esta deixa. A maior parte das vezes, as pacientes já vêm decididas a realizar o procedimento cirúrgico, mas faço sempre todos os esclarecimentos sobre a cirurgia em si e o pós-operatório. 


MARCELO FONTENELE - Há alguma contraindicação para fazer uma cirurgia plástica de mama? 
DR. DAVIS BARBOSA - A cirurgia de mama não deve ser realizada em mulheres muito jovens (mamas em crescimento), gestantes ou no pós-parto recente, amamentando (deve-se esperar um período mínimo de seis meses para cirurgia mamária), em caso de presença de doenças da mama (infecção, tumores, etc) e também após radioterapia (no caso de algumas técnicas), na presença de alterações hormonais que alterem o volume mamário e em determinados distúrbios psiquiátricos. É também comum a recusa em realizar cirurgia das mamas. O último caso que recusei foi por conta de um período muito curto de tempo após o parto e a parada da amamentação.


MARCELO FONTENELE - No caso da reconstrução mamária por causa de câncer de mama, quando é indicada a cirurgia, quanto tempo do tratamento oncológico?
DR. DAVIS BARBOSA - A reconstrução mamária pode ser realizada de forma imediata (na mesma cirurgia de retirada da mama) ou de forma tardia. Neste caso é necessário um período de tempo mínimo de seis meses após o fim do tratamento e a liberação dos médicos envolvidos (mastologista, oncologista e radioterapeuta).


MARCELO FONTENELE - Quais os cuidados e preparativos para a mulher realizar uma cirurgia de mama?
DR. DAVIS BARBOSA – Na preparação da cirurgia mamária devem ser tomados todos os cuidados para a realização de uma cirurgia de grande porte, tais como avaliação das funções dos rins, pulmão, fígado, coração, coagulação, glândula tireoide; investigação de alergias e dos antecedentes pessoais e familiares (especialmente os relacionados a casos de câncer de mamas); controle de peso, parada da amamentação, realização de exames mamários e avaliação psicológica. Algumas pacientes necessitam avaliações mais específicas, a depender do seu histórico pessoal. Deve-se lembrar que a cirurgia mamária pode afetar a capacidade de amamentação futura.


MARCELO FONTENELE - Quanto tempo dura a recuperação de uma cirurgia de mama e quais os cuidados pós-operatórios que as pacientes devem ter?
DAVIS BARBOSA - A recuperação completa de qualquer tratamento cirúrgico de grande porte, assim como o resultado final, só ocorre após um ano. Duas semanas são o tempo mínimo a se afastar do trabalho na maior parte dos casos. Neste período devem-se manter os braços junto ao corpo, movimentando-os o mínimo possível e dormir de barriga para cima por trinta dias. Atividades físicas moderadas após um mês e intensas após dois a três meses. O sutiã cirúrgico deve ser utilizado nos primeiros três meses a depender das orientações médicas. Outras orientações existirão em cada caso.