Cidadeverde.com

Fisioterapeuta dá dicas para evitar problemas com o uso inadequado da mochila

Na volta às aulas, o peso que será colocado nas mochilas dos filhos deve ser uma preocupação que os pais devem ter. De acordo com a fisioterapeuta, Liana Andrade, o peso e o tipo de mochila utilizado por crianças e adolescentes podem originar sérios problemas de postura, podendo ocasionar lesões músculo esqueléticas e dores de uma forma geral. 

A profissional informa que na mochila não deve ser carregado mais do que 10% do peso corporal. Por exemplo, uma criança que possui 30 quilos não deve carregar mais que 3 kg nas costas. "Vale  ressaltar que além do material escolar o aluno costuma incluir lanches e utensílios pessoais na mochila acarretando um maior peso às vezes desnecessário", alerta a fisioterapeuta. 

Fisioterapeuta Liana Andrade

Ainda segundo Liana Andrade, os cuidados também devem prevalecer na hora da escolha da mochila e na forma de uso. “Quando escolher as mochilas, observe se elas possuem alças largas e acolchoadas, pois elas distribuem melhor o peso por atenderem uma área maior dos ombros e minimizam a sobrecarga sobre os mesmos e devem ser usadas centralizada nas costas e e ajustadas até a linha da cintura”, explica. 

Liana Andrade explica ainda que as mochilas com rodinhas também são ótimas alternativas, desde que também respeitem a carga de no máximo 10% do peso corporal e que se alterne o lado de puxar a mochila para que não gere lesões. Uma outra sugestão da especialista é que poderia ser adotado pelas escolas armários para que os estudantes pudessem guardar o material  na própria escola. "Essa seria uma alternativa interessante para que os estudantes levassem menos material nas mochilas", completa.