Cidadeverde.com

É melhor não torcer o nariz para o pequi

O pequi é um fruto muito conhecido no Piauí, cuja safra coincide com o período chuvoso, indo de outubro à março. O pequizeiro é uma árvore nativa do cerrado brasileiro e o fruto é muito apreciado na culinária regional, cozido com arroz ou feijão. Dele, extrai-se um óleo, denominado azeite de pequi. Algumas pessoas torcem o nariz para a iguaria por causa do cheiro forte que exala. Mas, o que pouca gente sabe, é que o pequi é altamente nutritivo e ajuda na prevenção de muitas doenças, como no retardamento da degradação óssea e combate ao envelhecimento precoce.

Quem confirma isso pra gente é o nutricionista Leonardo Negrão, pós graduando em fitoterapia. Ele chegou recentemente de Los Angeles, Estados Unidos, onde foi convidado para apresentar um estudo sobre frutos dos cerrados para os pesquisadores da Universidade da Califórnia. Ao ser questionado sobre as propriedades nutricionais do pequi, Leonardo foi bastante enfático: “É um fruto extremamente benéfico para a saúde. Ele é composto por lipídios, possui baixo teor de carboidratos e proteínas. Porém, é fonte de ferro e rico em fibra alimentar, zinco, magnésio, vitamina A. Seus nutrientes e compostos presentes auxiliam na prevenção do câncer, úlceras gástricas, sensibilidade a luz (fotossensibilização), aumento da resposta imunológica, ação antiinflamatória, anti-hipertensiva e ação antioxidante”, explica.

O nutricionista faz uma alerta com relação ao consumo do fruto, pois não é porque o pequi seja saudável, que ele deve ser consumido sem limites. “O ideal é consumir, no máximo, três unidades diárias para evitar ingestão de gordura acima do recomendado, que pode levar a malefícios”, pontua Leonardo Negrão. Mas, o que o excesso de pequi pode provocar para a saúde? O nutricionista afirma que é por causa da oleosidade. O consumo excessivo pode levar principalmente ao aumento do colesterol. E o excesso de vitamina A pode causar náuseas, tonturas, sonolência e até a diminuição do apetite. “É sempre ideal preferir o consumo do fruto in natura, pois se for utilizado de forma que seja exposto ao calor, oxigênio por tempo prolongado, acidez alta, luz e baixa atividade de água, pode ter seus benefícios reduzidos devido a instabilidade que os carotenoides possuem. O pequi possui de 200 a 350 calorias cada unidade da fruta e 84% do peso do fruto maduro corresponde a sua casca, que é rica em fibra alimenta e muitas vezes é descartada. Devido às boas quantidades de ácidos monoinsaturados em sua composição, o pequi pode ajudar a proteger o coração contra diversos tipos de doenças, entre elas, a hipertensão, AVC, aterosclerose, derrames e ataques cardíacos”, enfatiza Leonardo Negrão.

Nutricionista Leonardo Negrão

PEQUI COMBATE PROBLEMAS CARDÍACOS

Esse poderoso fruto do cerrado brasileiro possui os ácidos linoleico, oleico e esteárico, que podem melhorar a oxigenação do organismo, reduzindo as taxas de colesterol ruim (LDL) no sangue e evitando que este fique acumulado nas artérias e vasos sanguíneos, requisito essencial para evitar problemas cardíacos. Outro benefício importante do consumo de pequi que pode ajudar a proteger o coração de problemas é o controle da pressão sanguínea. Por conter minerais, como o potássio, em sua composição, que possuem efeitos antiinflamatórios, o fruto pode auxiliar no alívio da tensão sobre os vasos sanguíneos, ajudando-os a relaxar, o que resulta em um aumento do fluxo sanguíneo e melhora da pressão sobre o coração. Vários especialistas mostram que o consumo de pequi, também pode ajudar a combater inflamações nos músculos articulações, algo muito comum após treinos muito intensos. E mais! Pacientes que sofrem com artrite e outras condições inflamatórias também podem se beneficiar dos efeitos do fruto e aliviar as dores no corpo.

 

OUTROS BENEFÍCIOS DO PEQUI

- Possui atividade antibacteriana e antifúngica

- Rico em potássio, fonte de fibras, vitaminas B1, B2, B3 e minerais, como cobre, zinco, magnésio e ferro

- Rico em carotenoides, importantes para a visão e retarda a degeneração ocular

- Atua na prevenção de câncer

- Rico em boas gorduras e elevado potencial antioxidante (rico em compostos fenólicos)