Cidadeverde.com

Crianças sedentárias de hoje poderão ter problemas cardíacos no futuro

Apenas um a cada dez pacientes que procuram consultório do cardiologista Rafael Jung pratica atividade física. Os outros nove começam a realizar exercícios físicas após a orientação médica para ajudar no sucesso do tratamento de alguma doença cardíaca. Segundo o  médico, o estilo de vida da maioria das pessoas que excluem completamente do seu dia a dia alguma atividade física é a principal causa de doenças cardíacas. E o futuro das crianças, que também estão no sedentarismo, é preocupante. As doenças do coração afetam principalmente pessoas acima dos 35 anos devido a processos cumulativos, por isso os dados sobre os hábitos das crianças  confirmam a preocupação do especialista. Segundo a revista científica The Lancet, a taxa global de obesidade em crianças disparou em 41 anos. E no Brasil, de acordo com a  Federação Mundial de Obesidade, até 2025 o país terá mais de 11 milhões de crianças obesas com grande propensão a doenças cardiovasculares no futuro.

Rafael Jung, médico cardiologista

"Os pais são muito ocupados, as crianças comem mal, não se exercitam e tem estilo de vida sedentário e isso vai gerar sim problemas no futuro. Com certeza teremos uma geração inteira de adultos com doenças cardíacas, ligadas à obesidade", afirma o cardiologista Rafael Jung. O dia 6 de abril foi designado pela Organização Mundial de Saúde como o Dia Mundial da Atividade Física exatamente com o propósito de conscientizar para a necessidade da adoção da atividade física diária como prevenção de várias doenças, não só as cardíacas. Rafael Jung explica que as mudanças de hábito, para diminuir o risco de infartos, hipertensão, outras doenças do coração e de doenças crônicas como diabetes,  devem ser orientadas de maneira multidisciplinar com o envolvimento de profissionais de várias áreas, como o próprio cardiologista, educadores físicos e psicólogos. "Praticar exercícios, de intensidade moderada, durante meia hora por dia já é suficiente para que a pessoa deixe de ser sedentária e se previna de muitas doenças", recomenda o médico.