Cidadeverde.com

Novas tecnologias auxiliam no tratamento do refluxo

Azia, tosse seca, regugitação, queimação e dor torácica são alguns dos sintomas constantes na vida de 12% da população brasileira que convive com a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). São 20 milhões de brasileiros enfrentando desconfortos diários, em que apenas 30% da população busca de tratamento adequado. No entanto, as novas tecnologias tem sido uma grande aliada para exames que causam um menor desconforto e atraem pacientes a buscarem assistência médica. Segundo o gastroenterologista Dr. Francisco Cavalcante, os benefícios também incluem resultados mais preciso.

“No passado, as coisas estavam a nossa frente e não conseguíamos ver pois haviam pontos cegos durante o exame. Tínhamos apenas oito canais de visibilidade, um a cada cinco centímetros, e não era viável uma visão completa do esôfago. Agora, com a Manometria Esofágica de Alta Resolução, por exemplo, temos um novo canal a cada um centímetro e de 24 a 32 canais para avaliar todo o esôfago e fazer diagnósticos mais exatos em casos de doença do refluxo, distúrbio de motilidade esofagiana, acalasia, motilidade ineficaz e obstruções ao fluxo”, afirma o médico.

Em casos de refluxo, o conteúdo gástrico ácido ou biliar presente no estômago reflui para o esôfago, produzindo assim os incômodos da doença, que muitas vezes são ignorados ou aliviados com automedicação, levando o paciente a complicações mais severas e até fatais. As causas são variadas e vão desde uma má alimentação, obesidade, diabetes, ansiedade, hérnia de hiato, tabagismo ao alcoolismo.

Novos procedimentos

Ainda de acordo com o gastroenterologista, além da Manometria Esofágica de Alta Resolução, outro procedimento inovador é Impedâncio PHmetria Esofágica, que possibilita a avaliação do fluxo retrógrado de conteúdo para o interior do esôfago. Esse método inovador apresenta inúmeras vantagens comparado a PHmetria Convencional, sendo a principal delas, a determinação se o material refluído é de PH ácido ou não, a PHmetria Convencional só é capaz de determinar o refluxo ácido. Outro fator está relacionado a natureza deste material refluído, a Impedâncio PHmetria Esofágica pode determinar se esse material é sólido, líquido ou gasoso, contribuindo para a correta interpretação dos sintomas relacionados ao refluxo.