Cidadeverde.com

Municípios recebem palestras sobre oncologia e biossegurança

Para celebrar o Dia Internacional do Farmacêutico, que foi no 25 de setembro, o Conselho Regional de Farmácia do Piauí (CRF-PI) realiza dois eventos esta semana alusivos a data. Em Teresina, dias 28 e 29 (sexta e sábado), o I Simpósio Piauiense de Farmácia em Oncologia, com palestras nacionais de Fabiana Pugliese (RJ) e Sandra Hazin (PE). No sábado, o CRF promove na cidade de Picos, no auditório do Sebrae, a palestra "Gerenciamento dos Resíduos de Serviço de Saúde: Biossegurança", também com Pugliese.

No simpósio em Teresina, que acontecerá no auditório do CRF, serão apresentadas os temas: Biossegurança: gerenciamento dos resíduos de saúde, Atuação do farmacêutico em oncologia, Biossimilares: o papel do farmacêutico, e Extravasamento de drogas antineoplásicas. 

Os eventos, realizados em parceria com o Conselho Federal de Farmácia, buscam destacam a importância do profissional farmacêutico na oncologia, assim como a segurança do paciente, sob a ótica da Farmácia.

Para o presidente do CRF-PI, Luiz Junior, o farmacêutico sempre foi indispensável e fundamental nas equipes multidisciplinares no tratamento do paciente. "O farmacêutico é o único responsável por dispensação de medicamentos e o principal conhecer dos efeitos, dosagem e interações entre fármacos, se tornando assim, peça crucial no tratamento de qualquer enfermidade".

Luiz ressalta ainda a importância de exigir o profissional nos balcões das farmácias. "O Brasil tem um dos maiores índices de intoxicação por medicamentos no mundo, por isso trabalhamos no sentido de alertar a população para os riscos da automedicação, que feita de forma incorreta pode camuflar problemas de saúde mais graves ou até piorar o estado do paciente. No balcão da farmácia, sempre chame o farmacêutico", fala.

Ele completa ressaltando a importância dos profissionais e acadêmicos  concludentes investirem em capacitação. "Todo dia surgem novos fármacos e novas tecnologias, além de novas técnicas de tratamento, daí a necessidade dos profissionais, não só farmacêuticos, de estarem sempre se atualizando e adquirindo novos conhecimentos. Quem ganha é a população, que terá um atendimento melhor e informações mais acessíveis", conta.