Cidadeverde.com

Campanha de Vacinação contra a poliomielite inicia no sábado

Para proteger as crianças contra paralisia infantil, o Zé Gotinha entra em ação mais uma vez a partir deste sábado (15), dia D de mobilização. Em parceria com estados e municípios, o Ministério da Saúde realiza a 36ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. Até o dia 31 deste mês, a meta é imunizar 12 milhões de crianças entre seis meses e cinco anos incompletos. Isso representa 95% do público-alvo, formado por 12,7 milhões de crianças.

A ida ao posto de saúde também será a oportunidade para colocar a vacinação das crianças  em dia. Por isso, paralelamente à campanha contra poliomielite, o Ministério da Saúde promove uma mobilização para atualizar o esquema vacinal dos menores de cinco anos. Os profissionais de saúde vão avaliar a caderneta infantil, alertando aos pais sobre as vacinas que estão vencendo ou em atraso.

 

 

Durante a apresentação da Campanha, o Ministro da Saúde, Arthur Chioro, convocou pais e responsáveis a levar seus filhos menores de cinco anos a um posto de vacinação. "É extremamente importante seguir a orientação da Organização Mundial da Saúde e vacinar o máximo possível de crianças. Vamos aproveitar também para colocar a caderneta das crianças em dia com a atualização de outras vacinas", reforçou Chioro. O ministro destacou o esforço do Sistema Único de Saúde (SUS) para garantir a vacinação para todas as crianças brasileiras, inclusive aquelas que vivem em regiões remotas, como áreas indígenas e população tradicional.

As doses atrasadas serão aplicadas e agendadas, de acordo com a situação de cada criança. Aquelas que nunca foram vacinadas contra a poliomielite, não receberão as gotinhas na campanha. As crianças que estão iniciando o esquema vacinal devem ser imunizadas com vacina inativada poliomielite (VIP injetável), aplicada aos dois e quatro meses de vida. Já aos seis meses, a criança deve receber uma dose da vacina oral e outra de reforço aos 15 meses. (confiram tabela abaixo). Para isso, pais ou responsáveis devem  levar o cartão de vacinação aos postos de saúde.

A vacina é extremamente segura e protege contra os três sorotipos do poliovírus 1, 2 e 3. A eficácia da imunização é em torno de 90% a 95%. Não existe tratamento para a poliomielite e a única forma de prevenção é a vacina. Ela é recomendada, até mesmo, para as crianças que estejam com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarreia. Já, para crianças com infecções agudas, com febre acima de 38ºC ou com hipersensibilidade a algum componente da vacina, o Ministério da Saúde recomenda aos pais que consultem um médico para avaliar se a imunização é indicada.  

 

VACINAÇÃO INCOMPLETA - Com a campanha de atualização, o Ministério da Saúde busca aumentar a cobertura vacinal e diminuir o risco de transmissão de doenças que podem ser evitadas, além de reduzir as taxas de abandono. As vacinas oferecidas protegem contra tuberculose, rotavírus, sarampo, rubéola, coqueluche, caxumba, varicela, meningites, febre amarela, hepatites, difteria e tétano, entre outras.  A campanha nacional conta com uma infraestrutura composta por mais de 100 mil postos espalhados por todo o país, 350 mil profissionais de saúde e 42 mil veículos (terrestres, marítimos e fluviais).

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, Carla Domingues, ressaltou a importância da vacinação. Segundo ela, é importante que o Brasil mantenha as altas taxas de cobertura para não correr o risco da reintrodução da doença. “O nosso país tem um grande fluxo de turistas e de comércio, por isso é fundamental que as nossas crianças continuem a ser vacinadas. Temos de garantir boas coberturas vacinais tanto na rotina, como na campanha”, explicou a coordenadora.

 

CAMPANHA PUBLICITÁRIA – A mobilização da população já começou. Com o slogan “Você é o protetor do seu filho”, a campanha publicitária já está sendo veiculada desde domingo (9). As peças mostram a responsabilidade dos pais de levar as crianças para serem vacinadas. Até o dia 31 de agosto, as mensagens serão veiculadas na TV aberta e fechada, rádio, internet, redes sociais e aplicativos de mobile.

 

POLIOMIELITE - O Brasil está livre da poliomielite desde 1990 e, em 1994, o país recebeu, da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem em seu território. Entretanto, nove países registraram casos em 2014 e 2015. Em três países - Nigéria, Paquistão e Afeganistão - a poliomielite é endêmica. Nos outros seis (Somália, Guiné Equatorial, Iraque, Camarões, Síria e Etiópia) os casos registrados da doença foram decorrentes de importação do poliovírus selvagem. Por isso, a vacinação é fundamental para que casos de paralisia infantil não voltem a ser registrados no Brasil.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

O Brasil é referência mundial em vacinação e o Sistema Único de Saúde (SUS) garante à população brasileira acesso gratuito a todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Atualmente, são disponibilizadas pela rede pública de saúde, de todo o país, 17 vacinas que integram o Calendário Nacional e combatem mais de 20 doenças, em diversas faixas etárias.

 

Esquema sequencial de vacinação contra a poliomielite

 Idade

Qual a vacina

2 meses

Vacina inativada poliomielite – VIP

4 meses

VIP (injetável)

6 meses

Vacina oral poliomielite – VOP

15 meses

VOP (reforço)

 

Fonte: Ministério da Saúde

Sexo gasta mais calorias que caminhada

Se você precisava de mais um motivo para aproveitar o tempo a sós com o companheiro (a), aqui vai mais um: fazer sexo queima mais calorias do que fazer uma caminhada simples. Pesquisadores canadenses foram os responsáveis por um estudo, publicado na revista PLoS One, que teve como objetivo comparar as duas atividades. As informações são do Daily Mail.

De acordo com a equipe da Universidade de Quebec, em Montreal, no Canadá, homens jovens queimam, em média, 4,2 calorias por minuto durante o sexo. Já as mulheres eliminam 3,1 calorias por minuto.

Como a média de uma relação é de 24,7 minutos, isso equivale a 104 calorias gastas pelos homens e 69 para as mulheres. O que revela que transar pode ser um exercício melhor do que caminhada leve (de 3 a 4 calorias por minuto), mas não tão eficiente quanto caminhar em velocidade rápida.

Para o estudo, os cientistas acompanharam 21 casais heterossexuais com idades entre 18 e 35 anos, durante quatro sessões de sexo em casa. Para medir o gasto calórico, os casais usaram uma braçadeira chamada SenseWear.

 

 

O grupo também respondeu a perguntas sobre o cansaço após a atividade, quantidade de esforço durante o sexo e o quanto eles gostaram da relação.

Os participantes do estudo também foram previamente submetidos a testes de meia hora de duração na esteira, com intensidade moderada, para que os pesquisadores pudessem medir quantas calorias eram queimadas durante o esforço.

Em seguida, eles compararam as leituras na esteira com as da braçadeira utilizada durante a atividade sexual. Os homens, por exemplo, queimaram 9,2 calorias por minuto na esteira, mas apenas 4,2 durante o sexo.

Outra questão muito comentada, a duração da relação sexual, também foi analisada no estudo. Embora a média registrada tenha sido de 24,7 minutos, a menor relação durou 10 minutos e a mais longa, 57. Ou seja: o gasto energético ao transar varia muito entre os casais.


Fonte: Uol

Como dizer para os pais que o filho tem Síndrome de Down?

Vai dar a notícia que um bebê tem síndrome de Down ou foi diagnosticado no pré-natal? A forma como o diagnóstico é apresentado é fundamental para que os pais fiquem mais tranquilos e possam tomar as medidas necessárias para o bem-estar e melhor desenvolvimento da criança. Afinal, a criança, sendo bem tratada, pode surpreender e ter uma vida normal nos estudos e na sociedade. O preconceito ainda é grande, mas a superação e a força de vontade dos pais podem ajudar a combater os pensamentos equivocados sobre o problema. Mas, é de extrema importância que desde o início os pais também sejam orientados da forma correta. Pois a notícia, de início, vem como uma bomba. É preciso que o profissional de saúde saiba dar essa notícia para não causar um trauma. O Movimento Down, em parceria com a Reviver e o Ambulatório de Síndrome de Down do Hospital das Clínicas/UFPR, preparou materiais com sugestões para profissionais de saúde com base nas experiências de mães e pais de bebês com síndrome de Down para auxiliar no comunicado desta notícia. 

 


Cartilha
A cartilha deve ser entregue a pais e/ou familiares que receberam um bebê com síndrome de Down ou descobriram que ele nascerá com a trissomia. Além de depoimentos de outros pais, o material traz uma caderneta de vacinação especial e as curvas de crescimento para a síndrome de Down.


Cartaz
Traz orientações sobre a maneira mais adequada de comunicar à família o diagnóstico do bebê. O cartaz deve ser afixado em local de fácil acesso aos profissionais que atendem o recém-nascido e compartilhado com a equipe de sua instituição: pediatras, fisioterapeutas, psicológos, assistentes sociais, enfermeiros e outros.

 

Roteiro para o momento da notícia
Preparado pela enfermeira Ana Nahas, mãe de um rapaz com síndrome de Down, para profissionais de saúde com dicas de como dar a notícia do diagnóstico às famílias. 


Diretrizes de Atenção à Pessoa com Síndrome de Down
Produzido pelo Ministério da Saúde, o documento traz orientações claras para que os profissionais de saúde saibam como diagnosticar e acompanhar pessoas que têm síndrome de Down em todas as fases da vida. O Movimento Down participou da elaboração das Diretrizes e produziu, com o apoio de pessoas com síndrome de Down, a sua versão em comunicação fácil. A cartilha Cuidados de Saúde às Pessoas com Síndrome de Down é uma adaptação que apresenta para as próprias pessoas com síndrome de Down que cuidados são necessários para que elas tenham saúde e qualidade de vida.


Guia de estimulação para as crianças
A estimulação precoce é fundamental para auxiliar o desenvolvimento dos bebês com síndrome de Down. O Guia de Estimulação para Crianças com Síndrome de Down foi desenvolvido em parceria com especialistas para ajudar os pais a colaborarem para o desenvolvimento de seus filhos com exercícios simples que podem ser feitos em casa já nos primeiros dias de vida.


Direitos
As pessoas com deficiência têm uma série de direitos garantidos por lei. Eles incluem direito a preferência de atendimento em hospitais públicos e a benefícios sociais, entre outros.


Instituições
Se você tem um filho com síndrome de Down, pertence a um grupo ou associação ou simplesmente vai receber uma nova família, entre em contato com o Movimento Down por meio do e-mail  contato@movimentodown.org.br para que a entidade possa encaminhar o material organizado para ajudá-lo a dar as boas vindas ao bebê e acolher os pais neste momento tão importante.

Americana desenvolve spray que pode substituir a camisinha

Será que as camisinhas estão com os dias contados? Ou, pelo menos, perderão o status de método mais popular para evitar doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada? Bem, uma aluna de design do Pratt Institute (Nova York, EUA) acredita estar no caminho de oferecer uma nova e efetiva proteção para o sexo. Na forma de spray! O produto criado por Michele Chu já tem nome - Girlplay -, mas ainda não há certeza de que ele vá ganhar o mercado. Ela diz acreditar ser viável. "Pensei que o mercado de camisinhas precisava de algo revigorante", disse Michele ao blog de design "PSFK". 

 

 

A ideia de oferecer uma alternativa "futurista" à camisinha tradicional já foi alvo do trabalho do alemão Jan Vinzenz Krause em 2008. Ele criou um produto similiar, um tubo que envolvia o pênis em latex líquido. O projeto, entretanto, acabou arquivado. O principal problema: a rejeição dos homens durante os testes e o tempo para secar, três minutos.


Fonte: O Globo

Concurso: Inscrições do Hospital Universitário de Goiás abertas até dia 17

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) publicou o Edital de concurso público do Hospital Universitário da Universidade Federal de Goiás (UFG). Neste certame da UFG, foram ofertadas diversas vagas para Enfermeiros, Psicólogos, Dentistas, Farmacêuticos, Fisioterapeutas, Nutricionistas e Médicos. Confira abaixo o edital esquematizado do concurso e o quadro de cargos/remuneração:

 

Cargo e remuneração:
Enfermeiros 36h semanais - 33 vagas - Remuneração inicial: R$ 5.334,04 + Plano de Carreira + Benefícios
Dentistas 30h semanais - 2 vagas - Remuneração inicial: R$ 4.445,56 + Plano de Carreira + Benefícios
Psicólogos 40h semanais - 4 vagas - Remuneração inicial: R$ 4.256,62 + Plano de Carreira + Benefícios
Farmacêuticos 40h semanais - 12 vagas - Remuneração inicial: R$ 5.023,02 + Plano de Carreira + Benefícios
Fisioterapeutas 30h semanais - 28 vagas - Remuneração inicial: R$ 3.767,26 + Plano de Carreira + Benefícios
Nutricionistas 40h semanais - 4 vagas - Remuneração inicial: R$ 5.023,02 + Plano de Carreira + Benefícios
Médicos 40h semanais - 128 vagas - Remeunração inicial: até R$ 11.490,74 + Plano de Carreira + Benefícios

 

Inscrição:
As inscrições devem ser feitas pelo site www.institutoaocp.org.br até às 23h59 do dia 17 de Agosto de 2015 pelo horário de Brasília. A taxa de inscrição no valor de R$ 80,00 (R$ 120,00 para Médicos) deverá ser paga até o dia 18 de Agosto de 2015.

 

 

Provas:
A seleção dos candidatos para o concurso público da UFG será por meio de:
 
Prova Objetiva
Prova de Títulos

A Prova Objetiva será dividida em:
 
Língua Portuguesa - 10 questões
Raciocínio Lógico e Matemático - 5 questões
Legislação Aplicada à EBSERH - 5 questões
Legislação Aplicada ao SUS - 5 questões
Conhecimentos Específicos - 25 questões


Data e local: 

A Prova do concurso será realizada na data prevista de 20 de Setembro de 2015 na cidade de Goiânia (GO). O local, a sala e o horário de realização das Provas definitivos serão disponibilizados no site www.institutoaocp.org.br, a partir de 1 de setembro de 2015.

 


Fonte: Editora Sanar

Posts anteriores