Cidadeverde.com

Iogurte desnatado diminui em 47% o risco de diabetes tipo 2


Se ele não está na sua lista de compras, está na hora de se tornar amigo dele. Pesquisadores descobriram que o iogurte desnatado como lanche entre as refeições ajuda a reduzir o risco de diabetes tipo 2 quase pela metade. O estudo foi realizado pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Os resultados foram publicados na famosa revista Diabetology e o blog VIDA traz informações dessa descoberta.

Para se chegar a essa conclusão, foram observadas 4.255 pessoas. Elas foram acompanhadas pelos cientistas que monitoraram o registro diário detalhado de todos os alimentos e bebidas consumidos pelo grupo. 753 dessas pessoas desenvolveram diabetes tipo 2 no últimos 11 anos. No início do estudo, os indivíduos tinham uma idade média de 59 anos e índice de massa corporal (IMC) de 26. 

Cada participante preencheu um extenso questionário sobre todos os alimentos lácteos ingeridos, como leite, queijo ou iogurte. Estes foram divididos em alto teor de gordura e baixo teor de gordura, com base em um corte de 3,9% para o teor de gordura total. Produtos lácteos fermentados (iogurte, queijo e creme de leite) também foram classificados separadamente em alto e baixo teor de gordura.

Leite foi o mais consumido, representando 82% do cardápio de alimentos lácteos, seguido pelo queijo (9%) e iogurte (8%). Consumo de produtos lácteos total foi de 269 g por dia em médica, dos quais 65% eram com baixo teor de gordura.

 

 

O consumo total de produtos lácteos não foi associado com o risco reduzido de diabetes, mas a ingestão de laticínios de baixo teor de gordura foi, após o ajuste para idade e sexo. No entanto, a redução não era tão significativa quando se ajustava outros fatores, como IMC, tabagismo, consumo de álcool, classe social, atividade física e outros componentes da dieta.

Do mesmo modo, o consumo total de produtos lácteos fermentados foi associado com um risco 19% mais baixo, mas isto também se tornou não significativo após ajuste para fatores de risco.

No entanto, o iogurte de baixo teor de gordura foi associado com um risco reduzido de 35% mesmo após o ajuste para fatores de risco. Em uma análise separada, os autores descobriram que substituir lanches como bolos, biscoitos e chips pelo iogurte resultou em um risco 47% inferior para diabetes tipo 2. Segundo os pesquisadores, a medida ideal para consumo é 4,5 porções de tamanho padrão (125 g) por semana. 

Vários mecanismos possíveis poderiam explicar a relação entre produtos lácteos fermentados e diabetes, incluindo a promoção da síntese de menaquinona (vitamina K2), que tem sido associada a taxas reduzidas de diabetes do tipo 2, ou as ações de bactérias probióticas, que têm sido encontrados para melhorar o perfil lipídico e antioxidante em pacientes com diabetes tipo 2, sugerem os estudiosos.

Médico explica diferença entre ataque de ansiedade e doenças cardiovasculares

Texto: Médico cardiologista, Dr. Bruno Valdigem (CRM 118535/SP)

Site Minha Vida

 

A síndrome do pânico é causa de internações muito frequente no mundo todo, bem como indicação de exames desnecessários, quer por falta do diagnóstico pelo médico ou por demanda do próprio paciente. Alguns dos sintomas podem ser referidos como taquicardia, desmaios, sensação de quase desmaio, dor no peito e outros não relacionados ao coração, como dores de cabeça, dispneia subjetiva, sudorese, tremores e dores abdominais.

A crise de pânico geralmente tem duração de dez a vinte minutos, sendo que o componente principal é o medo. A agorafobia tem um componente importante nesse quadro. E a arritmia?

Arritmias cardíacas são qualquer variação do ritmo cardíaco (seja na irregularidade, seja na "velocidade" ou frequência, medida em batimentos por minuto). Frequências acima de 100 ou abaixo de 60 batimentos por minuto, sem justificativa para tal, são chamadas arritmia.

Os sintomas são geralmente desmaios, palpitações, tonturas ou episódios mais graves, como apresentando parada cardíaca ou morte. As arritmias cardíacas geralmente nascem de alguma variação na parte elétrica do coração, que pode ser observada por eletrocardiograma, holter ou ecocardiograma.

 

 

Algumas arritmias são ainda paroxísticas - ou seja, aparecem e desaparecem, muitas vezes não deixando traços nos exames feitos em momentos em que o paciente está bem. Nessas situações, é difícil fazer o diagnóstico e diferenciar pânico de arritmia.

A arritmia cardíaca não é por si mesma causadora de outras manifestações do humor, ainda que toda doença crônica tenha alguma participação de alteração psicológica em maior ou menor grau. Uma diferenciação, segundo o psiquiatra Stephen Sobel, de San Diego, afirma que pessoas com pânico sentem... Pânico. Uma sensação de irrealidade ou de que estão enlouquecendo. Isso não ocorre em pacientes com arritmias cardíacas somente.

A frequência cardíaca durante ataques pode fornecer mais pistas. Por exemplo, frequências acima da máxima esperada para a idade sugerem arritmias (a frequência máxima para a idade pode ser calculada pela formula 220 menos a idade).

O diagnóstico de pânico, quando em dúvida, deve ser considerado diagnóstico de exclusão, ou seja, em último caso. Uma investigação clínica coerente passa por exames como eletrocardiograma, holter e ecocardiograma. Alguns casos podem pedir exames mais específicos, como monitor de eventos (aparelho que registra o eletrocardiograma, permitindo maior período de observação) por 15 dias ou ate três anos (quando implantado debaixo da pele). Alguns pacientes podem ser submetidos a estudo eletrofisiológico invasivo para avaliação mais rápida e definitiva da presença de arritmias.

STJ lança concurso para fisioterapia com salário de R$ 8.803,97 por 30h semanais

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) publicou edital de concurso público com vagas para profissionais de Fisioterapia na posição de Analista Judiciário. Confira a descrição do cargo abaixo:

Cargo e remuneração:
Fisioterapeutas - 2 vagas - 30h semanais - Remuneração de R$ 8.803,97


Inscrição do concurso STJ:
As inscrições devem ser realizadas através do site http://www.cespe.unb.br/concursos/stj_15 das 10h do dia 30 de Julho de 2015 às 23h59 do dia 19 de agosto de 2015 e a taxa de inscrição no valor de R$ 100,00 deverá ser paga até o 10 de Setembro de 2015.

 

 

Provas:
O processo seletivo do concurso público do STJ será composto por duas etapas:
Prova Objetiva
Prova Discursiva

A Prova Objetiva será dividida em:
 
Conhecimentos Básicos - 50 questões
Conhecimentos Específicos - 70 questões

 

A Prova será realizada no dia 27 de Setembro de 2015, em Brasília, no período da manhã em local e horário a ser divulgado no site http://www.cespe.unb.br/concursos/stj_15 a partir do dia 16 de Setembro de 2015.

 

 

Fonte: Editora Sanar

SUS inicia distribuição do tratamento de emergência contra HIV

A distribuição unificada da profilaxia pós-exposição (PEP) para HIV já começou a valer em todo o país. A partir desta quinta (23), todas as pessoas que foram expostas ao vírus causador da aids passam a ter acesso ao coquetel de medicamentos antirretrovirais em qualquer serviço especializado do Sistema Único de Saúde (SUS). 

A PEP, que tem sido popularizada como a "pílula do dia seguinte" para HIV, é uma realidade no Brasil desde os anos 90, mas foi somente em outubro de 2010 que o Ministério da Saúde a incluiu entre as recomendações de medicamentos antiaids, como forma de prevenção ao HIV após uma situação de risco. Só que de "pílula do dia seguinte" ela tem muito pouco. Por quê? 

A profilaxia pós-exposição é um tratamento emergencial indicado para todas as pessoas que tiveram exposição ao vírus da aids, seja em caso de violência sexual, acidentes ocupacionais (principalmente profissionais de saúde que entraram em contato direto com sangue de pacientes) ou, ainda, em decorrência de uma relação sexual desprotegida. Para funcionar, no entanto, a PEP precisa ser iniciada em até 72 horas após a exposição, sendo que o recomendado é que ela tenha início o mais rápido possível. Depois de receber os medicamentos, o paciente deve toma-los meticulosamente ao longo de 28 dias para que a infecção não ocorra, ao contrário do que acontece com a verdadeira pílula do dia seguinte, que como o próprio nome diz, só precisa ser usada no dia que sucedeu o sexo desprevenido para evitar a fecundação do óvulo. Durante este quase um mês de terapia, podem aparecer alguns efeitos colaterais, como náuseas e vômitos, embora cada organismo responda ao tratamento de forma diferente. 

 

 

De acordo com Fábio Mesquita, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, o objetivo da distribuição unificada é facilitar o acesso, torna-lo universal e evitar que alguns postos de saúde especializados se recusem a fornecer a medicação por acreditarem que devem atender somente a soropositivos já em tratamento. "A maior parte das recusas ocorria para pessoas que recorriam aos serviços após manter relações sexuais desprotegidas", disse em coletiva de imprensa. Contudo, é importante ressaltar que não é porque existe um remédio para evitar a infecção que se pode deixar de tomar as precauções tradicionais, como o uso de preservativos, justamente pela razão de que, como tudo em saúde, não há garantia de 100% de eficácia no tratamento com qualquer medicação. 

Como parte dessa nova estratégia, o Ministério da Saúde vai lançar em dezembro um aplicativo com orientações sobre os postos de distribuição mais próximos. Em 2016, o órgão espera implementar uma nova estratégia para o controle de HIV no país: o uso da profilaxia pré-exposição, que consiste no uso diário de um medicamento antirretroviral como forma adicional de prevenção ao vírus, além do preservativo. A PrEP, como é chamada, está em fase de estudos e não tem previsão de comercialização no Brasil. 


Fonte: Minha Vida

FMS confirma dois casos de chikungunya em Teresina

A confirmação foi divulgada agora há pouco pela Fundação Municipal de Saúde de Teresina. O resultado dos exames feitos pelo laboratório Evandro Chagas, em Belém-PA, deu positivo para dois pacientes que residem na zona sudeste da capital piauiense. Esse laboratório é referência no Brasil em análise laboratorial da referida doença. Os resultados dos exames retornaram na noite de ontem (22) para Teresina e são sinais de alerta para as autoridades de saúde e para a população. Uma equipe da Fundação Municipal de Saúde já visitou os pacientes e relata que eles estão bem. A Febre Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus. Seus sintomas são semelhantes aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço.Porém, a grande diferença da febre chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

 

Mosquito aedes aegypti


De onde veio a doença?
O vírus CHIKV foi identificado em ilhas do Caribe e Guiana Francesa, país latino-americano que faz fronteira com o Estado do Amapá. Isso quer dizer que a febre chikungunya pode ter migrado por essa via ou devido aos grandes eventos esportivos que o Brasil sediou. Assim, os mosquitos Aedes aegypti e o Aedes albopictus têm todas as condições de espalhar esse novo vírus.

Posts anteriores