Cidadeverde.com

Em expansão, beneficiamento do trigo atrai investimento de R$ 50 milhões ao Piauí

Foto: Pixabay / reprodução gratuita

A indústria é o terceiro setor em participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Piauí e produziu R$ 4,7 bilhões em riquezas, segundo o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes a 2016. E uma das áreas que mais se expande no momento é a do beneficiamento do trigo.

Na cidade de Altos, a indústria Moinho do Piauí já investiu mais de R$ 15 milhões. Com isso, atingiu uma capacidade de 48 toneladas por dia de farinha de trigo e empregou 40 pessoas. Agora, com a modernização do maquinário e ampliação do parque, a indústria deve aumentar a produção para 120 toneladas por dia e empregar 30 pessoas a mais que antes.

Em Teresina, no Pólo Industrial Sul, está sendo instalada a empresa Grande Moinho Cearense, que produz a farinha de trigo Dona Benta. O investimento estimado é de aproximadamente R$ 50 milhões e a produção atenderá toda a indústria de panificação do Piauí e do Maranhão, com expectativa de expandir para outros estados.

A Grande Moinho Cearense terá uma área de 11.200 metros quadrados de parque e deve começar a produzir em maio de 2020, gerando cerca de 400 empregos diretos e indiretos. A previsão é que a obra de instalação seja concluída até maio de 2020.

O município de Teresina fez a doação do terreno no Pólo Empresarial Sul. “Estamos trabalhando nisso há cerca de três anos, quando a empresa nos procurou com a proposta. A Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE) tem facilitado toda e qualquer parte de instalação, construção, inclusive a parte de incentivos fiscais. Também trabalhamos uma integração entre as várias entidades do governo e estamos buscando uma parceria com o Sistema S e com a FIEPI. Tentaremos fazer uma espécie de centro de convivência no pólo empresarial, onde haverá qualificação profissional”, explicou o secretário Igor Néri.

Também está sendo estudada no Piauí a produção do trigo próprio, na região dos Cerrados. De acordo com o gestor, o governo está viabilizando, junto à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a criação de uma indústria piauiense de beneficiamento do grão.

Interiorização

Igor Néri destaca o processo de interiorização das indústrias. "Nós estamos fazendo um trabalho de interiorização, em busca de empresas para fomentar a economia dos municípios, estamos trabalhando junto aos prefeitos com esse foco. Temos 12 territórios de desenvolvimento e estamos avaliando as cidades pólo em cada um deles", diz o gestor.

Néri acrescenta que o governo está sempre em busca de formas para facilitar a chegada de novos investidores. "Nossa lei de incentivo fiscal é uma das mais modernas do país e nós também adaptamos essa lei à realidade das empresas de outros estados. As empresas não podem ter problemas para se instalar aqui. Por isso, estamos facilitando a vida do industrial, para agilizar a instalação, e estamos percebendo que as empresas estão vindo e ficando", declara.

O gestor cita, dentro desse objetivo de desburocratizar processos, o avanço da Junta Comercial do Piauí, que conseguiu reduzir o tempo médio de abertura das empresas para uma hora. "Estamos também trabalhando junto aos demais órgãos, para entender os motivos da demora e desburocratizamos a questão dos incentivos fiscais, desde a entrada, a solicitação, até a concessão. Criamos um ambiente de negócios para entender melhor o lado do empresário".

Jordana Cury
redacao@cidadeverde.com