Cidadeverde.com
Últimas

HUT bate recorde de cirurgias de reconstrução da face no Brasil

Imprimir

O número elevado de acidentes de trânsito, principalemente com motociclistas que sofreram traumas na face, fez com que o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) fosse o primeiro no Brasil em número de procedimentos de reconstrução de face com osteossíntese.  
 
De acordo com dados do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), o HUT realizou 576 cirurgias de reconstrução de face, seguido do Instituto Dr. José Frota (Fortaleza – CE) com 554 cirurgias e do Hospital Regional de Arapiraca (AL), com 501 procedimentos, no ano de 2016.
 
Segundo o cirurgião buço-maxilo-facial do HUT, Dr. Matias Araujo, 80% dos casos são de motociclistas que dispensam o uso do capacete. Os casos restantes são de violência por agressão física ou vítimas de arma de fogo. 

A pesquisa do DATASUS também apontou o HUT como o hospital brasileiro que mais realizou reconstrução de face com osteossíntese – procedimento que lança mão de anéis, placas e parafusos para o processo de reconstrução, totalizando 352 cirurgias em 2016. Na segunda colocação ficou o Hospital de Urgência de Goiânia (HUGO) com 233 procedimentos e em terceiro, o Hospital Regional de Urgência e Emergência de Presidente Dutra no Maranhão, com 200 cirurgias.

Custo alto

“Estas cirurgias de reconstrução são procedimentos complexos e com um custo altíssimo para o hospital, pois, em geral, o cirurgião bucomaxilo é o último profissional que atende o paciente politraumatizado, que é precedido pela atenção de ortopedistas e outros profissionais. Nestas cirurgias de reconstrução chega-se a utilizar cerca de 15 placas e até 70 parafusos. Cada placa desta tem um custo médio de R$ 400,00”, enfatizou o Dr. Matias.
 
O diretor geral do HUT, Gilberto Albuquerque, explicou que as pessoas que dão entrada no hospital vítimas de acidentes com motocicletas geralmente apresentam afundamento do osso frontal do crânio (que forma a testa), ossos da face e da mandíbula. 

“São procedimentos caríssimos que chegam a gastar 7 a 8 mil reais apenas em material, que poderiam ser evitados se os motociclistas usassem corretamente os equipamentos de proteção individual”, comentou Gilberto Albuquerque.
 
A diretora de regulação e auditoria da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Maria Vitoria Urbano, disse que dos 576 procedimentos realizados pela bucomaxilo no HUT a Fundação pagou R$ 743.226,18. “Esse foi o montante pago somente em 2016 pelas cirurgias de buco autorizadas para o HUT”, destacou.
 
A pesquisa do DATASUS envolveu 968 hospitais do Brasil que realizaram estes dois tipos de procedimentos cirúrgicos. Este ano o HUT já atendeu 3.494 vítimas de acidentes de trânsito dentre estes 2.905 foram vítimas de acidentes com motocicletas.

 

redacao@cidadeverde.com

Imprimir