Cidadeverde.com

Policiais de Campo Maior apreendem veículo roubado com placa de Pernambuco

Por volta das 21h15 da noite desta terça-feira (24/04), policiais militares e Força Tática do 15° batalhão, em parceria com uma equipe de agentes da Polícia Rodoviária Federal, fizeram a apreensão de um veículo de luxo com placa de Petrolina, em Pernambuco, nas proximidades da praça Bona Primo, em Campo Maior.

Ao averiguar o número da placa e do chassi do veículo, foi constatado que o mesmo possui registro de roubo/furto no estado de Pernambuco e que a placa OYR-4834 era adulterada, tendo como verdadeira a numeração PJM-3633.

Ao ver os veículos policiais se aproximando, o condutor do veículo evadiu-se rapidamente do local empreendendo fuga. A polícia se encontra em diligências para apreender o suspeito.

Fonte: campomaioremfoco

Jovem morre afogado em açude na comunidade Alto do Meio

 

Morreu nessa tarde de domingo, 22, um jovem identificado como Bruno Vinícius, de 23 anos. Ele estava tomando banho no conhecido Açude do Alto do Meio quando mergulhou e não mais voltou a superfície, sendo resgatado por populares 10 minutos depois de desaparecer na água.

O socorrista do SAMU, Raussan Araújo, que estava também no local, ainda tentou reanimá-lo, mas não conseguiu. Ele ainda chegou a ser levado para o Hospital Regional de Campo Maior, onde já chegou morto.

Bruno, que morava na comunidade Alto do Meio, participava de uma manhã de sol, animada pelo cantor Piauí Forrozeiro. “As pessoas viram que ele demorou a retornar a superfície e mergulharam no açude para resgata-lo. Depois de, mais ou menos, 10 minutos encontraram ele e o tiraram rapidamente. Iniciei as manobras de rcp, mas ele continuava sem pulso”, contou Raussan.

Fonte:portaldecampomaior

Defesa Civil de Campo Maior não autoriza famílias retornarem ainda as suas casas

A Defesa Civil não autoriza nenhuma família que foi removida pela Prefeitura Municipal e se encontra nos abrigos em Campo Maior retornar as suas residências. Segundo o coordenador do órgão no município,  Edilson da Vargens,  isto só poderá acontecer depois que tiverem toda a segurança para que elas voltem sem que ocorra problemas com desabamento. 

O prefeito Professor Ribinha já fez o comunicado ao coordenador da Defesa Civil para estes  cuidados. Ele determinou a volta das pessoas para suas casas somente no momento que não houver mais riscos. O município e os grupos solidários (colaboradores) estão ajudando a manter as famílias nos pontos de apoio. Segundo a Defesa Civil há previsão de chuvas até o dia 20 de maio.

“Todas as casas ainda estão úmidas, embora as águas tenham baixado, as paredes estão minando, o que representa riscos na área da saúde,  sem falar também de desabamentos. Quem saiu não retorne agora e quem estiver em áreas de riscos, faça contatos conosco, que temos ainda muitos pontos de abrigos” , explicou o coordenador.

Existe abrigo disponível no Lar da Criança, no Ginásio Poliesportivo, na sede da Associação do Bairro São Luís, na sede de outras associações, existe o CAIC, a Fundação Mulher Guerreira, as paróquias liberaram os centros pastorais, ainda temos 10 pontos de abrigos Temos à nossa disposição carros e homens para fazer a remoção das famílias que estão em riscos, caso necessite”,  disse o coordenador Edilson.

Fonte: portaldecampomaior

Barragem em Campo Maior tem infiltração e governo adota medidas emergenciais

Fotos: Yala Sena

O Corpo de Bombeiros e o Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) comunicaram, na manhã deste domingo (15), que a Barragem Emparedado em Campo Maior está com infiltrações no sangradouro e há riscos de rompimento.

O comandante do Corpo do Bombeiros, coronel Carlos Frederico Macêdo Mendes, apresentou dados ao ministro da Integração Nacional, Pádua Andrade, ao governador Wellington Dias (PT) e autoridades presentes na escola Caic, em José de Freitas.

Segundo o diretor do Idepi, Geraldo Magela, a Barragem Emparedado precisa de uma restauração e "não há risco iminente de rompimento", mas ela está sendo monitorada 24 horas. 

Além de Campo Maior, o Corpo de Bombeiros relatou a situação da barragem Joaquim Mendes, em Conceição do Canindé, que também possui problemas. Lá, a estrutura da barragem está comprometida devido à erosão regressiva do sangradouro.

O governador Wellington Dias informou que todas as ações possíveis estão sendo adotadas e que a estrutura ficou comprometida por causa de uma ponte que passa por cima do sangradouro.

"Há uma ponte que Conceição do Canindé em direção à Jacobina e Paulistana. A rodovia passa sobre o sangradouro e, em razão da barragem estar cheia, há esse risco, mas todas as medidas estão sendo tomadas", declarou Dias.

Na explanação do comandante dos bombeiros ao ministro e ao governador, ele informou que 37 mil pessoas foram prejudicadas em seis cidades piauienses. Ele também ressaltou que a Barragem Emparedada precisa de intervenções para evitar o rompimento.

A Barragem do Bezerro correu risco iminente de rompimento no inicio da semana passada, mas com as medidas tomadas pelos técnicos, o nível da água foi reduzido em mais de 60 centímetros e o risco de rompimento foi descartado.

Flash de Yala Sena
Redação de Jordana Cury
redacao@cidadeverde.com

Diarista morre em acidente entre moto e carro na BR-343

Uma mulher identificada como Maria das Dores de Oliveira, 47 anos, morreu na noite de ontem(11) vítima de um acidente na BR-343 em Campo Maior (a 80 km de Teresina). A diarista trafegava em uma Honda Biz quando foi colhida por um carro que fugiu do local sem ser identificado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

O acidente ocorreu no Km 258, no povoado Alto do Meio, por volta das 18h. De acordo com o portal de Campo Maior, o veículo seria modelo Gol e a diarista estaria retornando para casa após prestar um serviço no povoado.  

A PRF não divulgou as circunstâncias do acidente, mas a mulher teria caído da moto e a morte foi imediata. 


Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

Volume de chuvas já é o maior dos últimos 10 anos em Campo Maior

 

O prefeito Professor Ribinha decretou, em Campo Maior, Situação de Emergência por causa das intensas chuvas que provocaram o transbordamento de rios que cortam a cidade. Cinco bairros estão alagados e pelo menos 65 famílias já foram retiradas das áreas de risco e levadas para abrigos da Prefeitura.

Com o município em Situação de Emergência, o prefeito Professor Ribinha adotou várias providências para amenizar os efeitos das cheias dos rios Surubim, Jenipapo, Longá e Pintadas, que atingiram os bairros de Flores, Flor do Campo, Califórnia, São João e Vila Papi.

Equipes da Secretaria de Assistência Social e Defesa Civil passaram toda essa quarta-feira, 11.04, retirando famílias das áreas de risco, abrigando em locais seguros. No local estão sendo distribuídos alimentos e remédios.

O prefeito Ribinha disse que vai solicitar auxílio emergencial aos governos Estadual e Federal. “Com a decretação da Situação de Emergência na cidade por causa do agravamento das chuvas e com ampliação das áreas atingidas, é necessário que tenhamos o auxílio do Governo do Estado e do Governo Federal”, destaca Ribinha.

O superintendente da Defesa Civil, Edilson Silva, revela que esse é o maior período chuvoso dos últimos 10 anos. A Defesa Civil contabilizou nesses primeiros dias de abril o maior volume de chuvas de todo o ano de 2018. “Já choveu 452 milímetros só nesses primeiros 11 dias equivalendo a todo o mês de abril”, revela.   

Fonte: portaldecampomaior

Campo Maior e mais dez cidades estão em emergência por alagamentos

  • cm5.jpg Ascom/Campo Maior
  • cm4.jpg Ascom/Campo Maior
  • cm3.jpg Ascom/Campo Maior
  • cm2.jpg Ascom/Campo Maior
  • cm1.jpg Ascom/Campo Maior

A Prefeitura de Campo Maior decretou, nesta quarta-feira (11), estado de emergência em razão das chuvas que atingem o município. Segundo o prefeito José de Ribamar Carvalho, o professor Ribinha, a situação é mais grave nos bairros Horto Florestal, Califórnia, Flores e Cariri. Além de Campo Maior, estão em emergência José de Freitas, Barras, Lagoa Alegre, Batalha, Cabeceiras, Esperantina, Luzilândia, Joca Marques, Madeiro e Pimenteiras.

“A situação é bastante preocupante. O nível dos rios que cercam a cidade aumenta a cada dia”, disse o prefeito de Campo Maior. Mais de 50 famílias já foram atingidas, muitas delas foram retiradas de suas casas e levadas para escolas, prédios públicos e casas de parente. De acordo com o prefeito, uma força tarefa foi montada envolvendo todas as secretarias.

 “Tivemos que fazer uma força tarefa, juntamente com a defesa civil de Campo Maior, envolvendo todas as secretarias, para que pudéssemos estar de prontidão nos bairros, principalmente os mais atingidos”, afirma o prefeito, ressaltando que foram feitos ainda alugueis sociais para amparar vitimas dos alagamentos.

O próximo passo, segundo a prefeitura, é a visita às comunidades com equipes médicas e alimentos. "Estamos montando uma agenda de visitas às famílias levando equipes de saúde, médicos, enfermeiros, técnicos, alimentos, medicamentos e agasalhos para as famílias em situação calamitosa”, ressalta o prefeito.

Caso a situação persista e o nível das águas continue a subir, o gestor não descarta decretar estado de calamidade pública. “Para que possamos requisitar mais apoio do governo do estado e federal para que as famílias possam estar cada vez mais assistidas. O município está precisando da atenção de todos nós e da sociedade civil”, lembra Ribinha.

O estado de calamidade é declarado quando o município não tem condições de resolver os problemas ocasionados, no caso desastres naturais, e só deixará determinada situação mediante intervenção dos governos estadual ou federal. Na situação de emergência, os governos apenas complementam o auxilio à prefeitura, que arca com o restante dos recursos. Um município em estado de calamidade pode realizar compras sem licitação.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Prefeito de Campo Maior deve decretar estado de calamidade pública

Foto: Valdemir Alvarenga/ portaldecampomaior

A Defesa Civil e a assessoria jurídica da prefeitura de Campo Maior estão fazendo um levantamento dos números de desabrigados. Até o momento, 20 famílias tiveram que deixar suas casas e até o fim do dia o número pode subir para 56. O prefeito de Campo Maior, José de Ribamar Carvalho, o professor Ribinha, diz que após a conclusão do levantamento deverá ser decretado estado de calamidade pública. 

As fortes chuvas fizeram com que a água dos rios Suburim, Pintada e Longá transbordasse e invadisse as casas. Os bairros atingindos são Flores, Horto Florestal, Cariri e Califórnia. 

"Campo Maior é uma cidade cercada por rios. A partir do momento que aumenta o volume dos rios, casas são atingidas e as famílias começam a sofrer. Já providenciamos a retirada de 20 famílias, mas outras estão sendo removidas e o número chega ainda hoje a 56 famílias. Um levantamento está sendo realizado para avaliar se todos os critérios estão sendo atendidos e assim seja decretado estado de calamidade", disse o prefeito ao Cidadeverde.com.

Foto: Valdemir Alvarenga/ portaldecampomaior

 

Segundo o gestor, o cenário atual não é visto há pelo menos uma década. 

"Precisamos unir forças com toda a gestão pública, com toda a sociedade civil e junto ao Governo do Estado para que possamos amenizar o sofrimento de tantas famílias, de tantos moradores que precisam da nossa atenção, do nosso apoio e do sentimento de solidadariedade", disse o prefeito. 

Foto: Valdemir Alvarenga/ portaldecampomaior

Nesta quinta-feira (12), equipes do Estratégia de Saúde visitam os desabrigados que também receberão doações de alimentos. Com a decretação do estado de calamidade, a gestão municipal poderá contratar sem licitação, o que agiliza a ajuda aos desabrigados.

Foto: Ascom

Foto: Ascom

 

Fotos: Ascom

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Policial lotado no Batalhão de Campo Maior é preso acusado de assalto

O soldado da Polícia Militar, Erivan Geraldo de Oliveira, que é lotado no 15º Batalhão da Polícia Militar, em Campo Maior, foi preso na madrugada da última sexta-feira, 06, na estrada que liga Altos a Alto Longá, após ser flagrado com outras três pessoas com uma moto e dois celulares roubados de uma família em Alto Longá.

É do policial a pistola utilizada no assalto, ocorrido horas antes de sua prisão. Ele e os demais acusados foram presos por uma guarnição de Altos, após terem sido acionados por colegas de Alto Longá.

Entre os presos estava uma menor que foi apreendida. Todos os acusados foram levados para a central de flagrantes, onde os maiores de idade foram autuados em flagrante pelos crimes de roubo, formação de quadrilha e corrupção de menores.

O policial Erivan vai responder pelos crimes e ainda a um processo administrativo que será aberto na Corregedoria de Polícia Militar, onde poderá ser punido com a expulsão da PM, onde havia ingressado há apenas cinco anos.

Erivan trabalhava atualmente na cidade de São João da Serra, mas também já prestou serviço no GPM de Sigefredo Pacheco e em Campo Maior, onde exerceu o serviço de patrulhamento ostensivo na cidade.          

  Fonte: portaldecampomaior

Chuvas inundam bairros e prefeito vistoria áreas atingidas em Campo Maior

As fortes chuvas que caíram nos últimos cinco dias em Campo Maior e região provocaram o transbordamento dos principais rios que cortam a cidade, entre eles o Rio Surubim, alagando alguns pontos dos bairros de Flores, Horto Florestal e Matadouro. 

Além do Rio Surubim, o Riacho Pintadas também está provocando o inundamento de algumas áreas e deixando famílias em situação de risco.

 O prefeito Ribinha esteve, na noite do domingo, 01.04, visitando alguns dos locais atingidos pelas inundações para verificar a situação das famílias atingidas e adotar  providências.

Dentre as medidas, o prefeito identificou as famílias que estão em áreas atingidas, com risco de alagamento nas residências e determinou que a Defesa Civil realize  remoção destas famílias para um local seguro, para  evitar que fiquem desabrigadas.

O prefeito fez a visita, acompanhado de técnicos da Defesa Civil, agentes de saúde, assistentes sociais e técnicos de enfermagem.

Fonte: portaldecampomaior

Posts anteriores