Cidadeverde.com

Bolsonaro sanciona auxílio de R$ 600 para trabalhadores informais

Foto: Marcos Corrêa/PR

 

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira (1) o projeto que garante auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais e de R$ 1.200 para mães responsáveis pelo sustento da família.

A intenção da ajuda é amenizar o impacto da crise do coronavírus sobre a situação financeira da população que perdeu ou teve sua renda reduzida.

A informação foi confirmada pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira. Segundo a reportagem apurou, a iniciativa foi sancionada com vetos.

Nesta quarta, Bolsonaro disse que o benefício atingirá 54 milhões de pessoas, a um custo de R$ 98 bilhões.

O auxílio foi apelidado de "coronavoucher" e será pago em três prestações mensais, conforme texto votado no Senado na segunda-feira (30).

O projeto foi aprovado por unanimidade pelos senadores, com 79 votos a favor.

A proposta havia sido aprovada na última quinta-feira (26) em votação simbólica e remota na Câmara.

Inicialmente, a equipe econômica queria conceder R$ 200 aos informais. Pouco depois, admitiu elevar o valor a R$ 300.

O presidente Bolsonaro decidiu anunciar o aumento no valor do auxílio que o governo pretende dar a trabalhadores informais para R$ 600 para tentar esvaziar o discurso da oposição no Congresso e retomar protagonismo sobre a medida.

Tem direito ao benefício cidadãos maiores de 18 anos que não têm emprego formal; não recebem benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, exceto o Bolsa Família; têm renda mensal per capita de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135); não tenham recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

Ainda não foi definido o cronograma para pagamento do auxílio emergencial, mas o calendário terá os mesmos moldes do utilizado para o saque-imediato do FGTS, de acordo com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Clientes da Caixa deverão receber os depósitos diretamente nas suas contas bancárias, também como ocorreu no saque-imediato.

Correntistas e poupadores de outros bancos poderão optar por transferir os valores para suas contas sem a cobrança da transferência, segundo Guimarães.

GUSTAVO URIBE E RICARDO DELLA COLETTA
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS)

 

Khabib Nurmagomedov não vai deixar quarentena para lutar no UFC 239

O presidente do UFC, Dana White, levou mais um golpe para a realização do UFC 249 em plena época de pandemia do coronavírus. Khabib Nurmagomedov, campeão dos leves, anunciou, nesta quarta-feira, que não deixará a quarentena na Rússia para enfrentar o norte-americano Tony Ferguson. O evento, dia 18 de abril, anteriormente previsto para Nova York, não tem local definido.

"É hora de cuidar de si mesmo e ficar no seu lugar", afirmou o russo, em suas redes sociais. O lutador está na Rússia, onde as fronteiras foram fechadas para conter a pandemia. Ele tem um cartel invicto de 28 vitórias. "Eu entendo tudo e estou definitivamente mais chateado do que vocês por cancelar a luta", disse Nurmagomedov. "Provavelmente, como todos os outros, eu tinha muitos planos depois da luta, mas eu não posso controlar tudo."

White e o UFC não comentaram imediatamente a decisão de Nurmagomedov. A atitude parece ter irritado o lutador. "O mundo inteiro deve estar em quarentena. Governos de todos os países, pessoas famosas ao redor do mundo pedem para que todos sigam os requisitos de segurança para limitar a disseminação do vírus e ajudar a salvar vidas. Khabib é o único livre de todas essas obrigações? Deve treinar e voar pelo mundo por causa de uma luta?"

Dana White prometeu repetidamente encontrar uma maneira segura de realizar o UFC 249. O empresário alegou ter um local selecionado para realizar as lutas, mas não ainda divulgou a localização.

Fonte: Estadão Conteúdo

Governo adia prazo de declaração do Imposto de Renda para 30 de junho

Foto: Carlienne Carpaso

 

O governo prorrogou por dois meses o prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física. Devido às dificuldades impostas pela pandemia do coronavírus, o limite, que era em 30 de abril, passará para 30 de junho.

Tostes anunciou ainda que o governo vai zerar a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide sobre operações de crédito por 90 dias e o adiamento do pagamento de tributos federais para empresas.

Como mostrou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, entidades como a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e os próprios auditores fiscais haviam pedido a prorrogação do prazo de entrega do IR.

De acordo com o secretário, 27% dos contribuintes já entregaram a declaração. "Contribuintes relatam dificuldades de acesso a documentos necessários para declaração do IR, por isso tomamos essa decisão", completou o secretário.

Já a desoneração do IOF, segundo Tostes, foi adotada para baratear as linhas de financiamento que estão sendo abertas para reduzir o impacto econômico da pandemia. A medida custará R$ 7 bilhões ao governo.

Foram adiados ainda os pagamentos das contribuições para o PIS/Pasep e a Cofins e da contribuição patronal devidos entre abril e maio. As empresas poderão fazer o recolhimento entre agosto e outubro. "São R$ 80 bilhões que estarão disponíveis nos caixas das empresas", completou o secretário.

Por Lorenna Rodrigues, Idiana Tomazelli, Julia Linder
Estadão Conteúdo

Empresário João Claudino Júnior tem alta após 9 dias internado em Teresina

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O empresário João Claudino Júnior teve alta, nesta quarta-feira (1º), após nove dias internado no hospital Unimed Primavera, zona Norte de Teresina (PI). Ele foi um dos casos confirmados de Covid-19 no Piauí. 

Em boletim divulgado pelo hospital, João Claudino Júnior apresentou melhora do quadro respiratório, "sem necessidade de oxigiênio suplementar e controle de todos os parâmetros clínicos", tendo alta durante a manhã. 

Até o fim da tarde desta quarta-feira, o Piauí tinha 19 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus, sendo que quatro pessoas morreram. 

Casos suspeitos
Dos casos suspeitos que se tornaram públicos, outros dois pacientes internados no hospital Unimed Primavera ainda aguardam resultados de exames para identificar se estão ou não com a Covid-19.  

Cleanio da Luz Lima, 40 anos, professor de Física da Universidade Federal do Piauí (UFPI), e Manoel Nogueira Neto, presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Piauí (CRECI/PI), seguem internados com problemas respiratórios.

Fábio Lima
[email protected]

Mulher de 60 anos, de Teresina, é o 19º caso confirmado da Covid-19 no Piauí

Foto: Sesapi

A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) confirmou mais um caso de paciente com o novo coronavírus. Trata-se de uma mulher de 60 anos de idade, de Teresina (PI). 

Agora são 19 pessoas infectadas, sendo que quatro delas faleceram e uma teve cura confirmada. Os óbitos são de pacientes de Teresina (2), Parnaíba (1) e São José do Divino (1).

Os números, divulgados no final da tarde desta quarta-feira (1º), também abordam que os casos suspeitos em todo o estado. São 256 pacientes que aguardam resultados de exames - ontem eram 254. 

Os casos descartados no Piauí continuam em crescimento - já são 451 em todo o estado, sendo 45 somente nesta quarta-feira. 

A Sesapi tem mantido o mesmo volume de resultados por dia. Foram 45 na segunda-feira e 46 testes tanto na terça como na quarta-feira. 

O número de resultados pode aumentar nos próximos dias, após a chegada de testes rápidos enviados pelo Ministério da Saúde - o Piauí receberá  7.260 nessa primeira distribuição. 

 

Fábio Lima e Yala Sena
[email protected]

Anitta e namorado têm resultado negativo para Covid-19 e aproveitam isolamento em Angra

Foto: Reprodução | Instagram 

A cantora Anitta, 27, e o namorado, o empresário Gabriel David, fizeram o teste para confirmar se contraíram o novo coronavírus e tiveram o resultado negativo. A decisão de fazer o exame foi por que os dois estiveram de férias nas Ilhas Maldivas no início do mês de março.

Assim que fizeram o teste, Anitta e Gabriel seguiram direto para Angra dos Reis, na costa verde do Rio de Janeiro, onde estão aproveitando um período juntos durante o isolamento contra a Covid-19. Eles estão na casa dos pais de Gabriel, que é filho do presidente da escola de samba Beija-Flor.

A cantora, que vinha mantendo seu relacionamento em segredo, confirmou o namoro na semana passada, durante uma live com a influenciadora digital Camila Coutinho. "Vim para casa do meu namorado em Angra. Ele também mora com os pais, que são mais velhos e estão sozinhos em casa."
Na conversa, ela disse ainda que ficou triste por ter de cancelar sua festa de aniversário por causa da pandemia do novo coronavírus. Conhecida por grandes celebrações, a deste ano teria como tema "Anitta no Espaço". Sua comemoração, no entanto, acabou incluindo um parabéns de Mariah Carey.

Nesta quarta (1º), Anitta deverá participar de um live comandada por Miley Cyrus. A cantora americana criou um programa e vem apresentado-o de sua casa desde o início do isolamento. Nesta quarta, ela "receberá", além de Anitta, a pintora Ashley Longshore, a atriz Zoe Kravitz e o DJ Diplo.

 

Fonte: Folha Press

Maiara e Maraisa cozinham para famílias de baixa renda e moradores de rua

 

Fernando Zor, da dupla com Sorocaba, Maiara e Maraisa ajudaram na terça-feira, 31, a fazer mais de duas mil marmitas no estádio do Serra Dourada, em Goiânia. A comida foi entregue a profissionais que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus, moradores de rua e às famílias pobres que tiveram a renda comprometida pela falta de trabalho durante a pandemia.

Maraisa comentou a iniciativa pelo Instagram com uma foto em que aparece cozinhando e vestindo máscara cirúrgica. "Estamos empenhados nesse movimento e fizemos questão de ajudar nessa 'guerra'. É uma forma de nos envolvermos com doações e voluntariado. Estamos todos no mesmo barco contra esse inimigo invisível. A hora é de nos unirmos em prol do nosso próximo e fazermos o que estiver ao nosso alcance", escreveu na rede social.

A cantora pediu a colaboração de todos com cestas básicas e iniciativas voluntárias. "Você que quer ajudar e ainda não sabe como, aqui temos um ponto de apoio e recebimento de doações", afirmou. A iniciativa contou com a ajuda de paróquias e do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado de Goiás.

Maiara também falou sobre o trabalho voluntário e fez um chamado para outros agentes da sociedade. "Convoco todos meus amigos, artistas e empresários para entrarem juntos com a gente nessa. Coloco meu Instagram à disposição de grandes marcas que se interessarem em ajudar", disse. Fernando Zor, por sua vez, pediu nas redes sociais para a população deixar alimentos não perecíveis no estádio Serra Dourada.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Lula diz que Bolsonaro falha ao não orientar população sobre o que fazer diante da pandemia

Foto: Arquivo CV

O ex-presidente Lula (PT) criticou, nesta quarta-feira (1º), o presidente Jair Bolsonaro por, segundo o petista, não ter dado orientações à população sobre como agir na pandemia do novo coronavírus em seu pronunciamento na noite de terça (31).

"O presidente utiliza não sei quanto tempo na TV e não tem uma orientação para as pessoas", disse Lula em entrevista a veículos e blogs de esquerda. Para o petista, falta "voz de comando" da Presidência nesta crise.

O ex-presidente disse ainda que a preocupação que Bolsonaro demonstrou com os pobres é da boca para fora e cobrou que o presidente faça a verba da União chegar até os trabalhadores para que eles possam cumprir o isolamento social.

"Tentar defender os mais pobres, o camelô, o cara do Uber, do pequeno comércio... Além de estar defendendo esses caras da língua pra fora. As medidas concretas beneficiaram os banqueiros, porque ele liberou R$ 200 bilhões para os banqueiros", disse Lula.

"E para as pessoas pobres que estão precisando dos R$ 600, a gente ouviu o Guedes [ministro da Economia] dizer que só vai ser dia 16 de abril", completou.

O petista também exaltou iniciativas dos parlamentares e da sociedade civil para tecer medidas contra a pandemia. "Há uma preocupação da sociedade em dar resposta àquilo que o governo não consegue fazer. Estamos percebendo que governo não se preparou para uma crise desse dessa magnitude", afirmou.

Lula cobrou que Bolsonaro coordene uma saída à crise com os entes federados e afirmou que "quem está fazendo o trabalho mais sério são os governadores e prefeitos".

"Ele que cumpra com seu papel de ser coordenador e libere o dinheiro logo, porque o povo está precisando do recurso", disse. Segundo o petista, só o Estado forte pode combater o vírus.

Apesar de afirmar que "Bolsonaro é o grande problema que estamos vivendo hoje" e que "o governo neste instante mais atrapalha do que ajuda", Lula evitou fazer defesa explícita de impeachment, seguindo a linha de cautela adotada pelo PT até agora.

O ex-presidente disse que, para defender o impeachment, é preciso crime de responsabilidade e contou que pediu à presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e ao ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão que fizessem um estudo para verificar se Bolsonaro já cometeu crime de responsabilidade.

"Não quero ser irresponsável como eles foram com a Dilma, sem ter crime de responsabilidade. Mas se tiver, temos que pressionar a Câmara", disse.

Ao mesmo tempo, Lula incentivou a saída de Bolsonaro do governo. "Eu estou convencido de que Bolsonaro, ou ele muda, ou ele não tem condição de continuar", pontuou.

"Estou convencido que Bolsonaro não tem estrutura psicológica de continuar governando o Brasil. Ele está preocupado em manter os fanáticos e não em dar resposta concreta", afirmou também ao longo da entrevista.

Lula deu a entender que o manifesto que pede a renúncia de Bolsonaro, assinado por Fernando Haddad (PT), Flávio Dino (PC do B), Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (PSOL), é um começo para que o "fora, Bolsonaro" passe a ser palavra de ordem no PT.

"Da renúncia para o impeachment, é um pouco. Da renúncia para o 'fora, Bolosnaro', é um pouco. Na hora que tiver manifestação de rua, o 'fora, Bolsonaro' ganha força", disse.

O ex-presidente afirmou que há uma discussão sobre construir o próximo passo após a saída de Bolsonaro, se levaria a um governo do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) ou se a novas eleições.

Lula ressalvou, contudo, que para traçar esses cenários é preciso força política e que a prioridade agora é combater o vírus, e não travar disputa política ou buscar alterar a correlação de forças do Congresso para viabilizar a saída de Bolsonaro.

"Para tudo isso tem que construir força política. E nesse instante a gente não tem que se preocupar com isso", afirmou.

 

Folha Press
 

Escolas particulares devem iniciar aulas pela internet após a Semana Santa

Foto: Roberta Aline

As escolas particulares do Piauí vão permanecer fechadas até o dia 30 de abril, como estabelece o decreto do governo estadual com medidas contra o coronavírus. No entanto, a partir do dia 13 de abril, todos os estabelecimentos devem voltar às aulas, só que pela internet. A medida já foi regulamentada pelo Conselho Estadual de Educação.

“As escolas particulares anunciaram férias até a volta da Semana Santa. No dia 13, as escolas voltam às aulas e na impossibilidade de as aulas serem presenciais, vamos utilizar recursos à distância. Isso já foi regulamentado pelo Conselho Estadual de Educação”, afirmou Marcelo Rodrigues, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado do Piauí (Sinepe).

Segundo Marcelo, as escolas terão que “dar um jeito” para realizar as aulas online, já que elas vão contar como dias letivos.

“Essas aulas vão contar como dias letivos. Serão aulas utilizando recursos por meios digitais e cada escola vai dar seu jeito. Até o dia 30, o dia que o governo mandou, nós não abriremos. Os alunos farão suas atividades de casa”, disse o presidente.

As escolas estão paradas desde o 15 de março, quando as primeiras medidas de restrição começaram a ser implementadas.

A prorrogação da quarentena no Piauí foi anunciada na segunda-feira (30) pelo governador Wellington Dias. Apenas serviços essenciais podem funcionar.

Hérlon Moraes
[email protected]

 

IFPI usa impressoras 3D e produz EPIs em diferentes cidades do Estado

Fotos: Propi/IFPI

O Instituto Federal do Piauí (IFPI) também entrou na corrente para ajudar os profissionais da saúde a se protegerem, durante o atendimento aos suspeitos de contraírem o novo coronavírus. Alunos, de diferentes campi pelo Estado, estão utilizando impressoras tridimensionais para fabricar equipamentos de proteção individual (EPIs). 

As impressoras foram adquiridas inicialmente para projetos de pesquisa e extensão, mas estão, neste momento, voltadas para impressão de máscaras faciais do modelo Face Shield e estão sendo doadas a hospitais públicos. 

De acordo com o diretor o pró-reitor de Pesquisa do IFPI, professor José Luís, já foram produzidas 170 máscaras e a perspectiva é que mais 600 fiquem prontas nos próximos dias. 

“Essas máscaras podem ser utilizadas por longo período, uma vez que podem ser higienizadas e obedecem às exigências da Anvisa”, ressalta o pró-reitor.

Os materiais estão sendo produzidos por alunos e professores de vários cursos entre eles: Informática, Administração, Matemática, Física e nos campi de Teresina, Oeiras, Parnaíba, Picos e Floriano. 

Precisando de insumos

Mas, segundo o professor, o empecilho da produção é a falta de material para a confecção, já que os insumos que tinham disponíveis nos laboratórios já estão sendo utilizados. 

“O material que temos só dará para estas 600, estamos em busca de parceiros para doação de insumos como folha de acetato, elástico, e filamento para impressoras 3D tipo PLA e ABS de 1,75 mm. Os doadores podem ser papelarias, lojas de informática e empresários no geral que possam comprar e doar para a gente”, sugere o professor José Luís. 

Quem quiser doar pode entrar em contato através do e-mail [email protected]

 

Caroline Oliveira
[email protected]

Posts anteriores