Cidadeverde.com

Piripiri registra dois homicídios em menos de três horas na Sexta-Feira Santa

Foto: Enviado ao whatsapp do portal Cidade Verde

Ismael foi morto na avenida principal

Dois homicídios com características de execução foram registrados neste feriado da Sexta-Feira Santa em Piripiri (a 178 km Teresina). O primeiro aconteceu ainda na tarde e vitimou um homem identificado por Ismael, que estava na cidade após ser beneficiado com a saída temporária do presídio no período da Semana Santa. 

Segundo a polícia, ele estava em uma moto, com outro homem identificado como Ednaldo, quando foi alvejado com tiros de outra dupla de moto. O fato aconteceu na avenida principal de Piripiri, por volta das 15h. Ednaldo foi encaminhado ao hospital, já que também foi atingido. 

Já o segundo homicídio ocorreu no bairro Paciência, próximo ao parque de exposição, por volta das 18h. A vítima, Fabrício Ferreira, de 23 anos, estava próximo da casa da ex-mulher quando também recebeu tiros.  

As duas vítimas eram conhecidas da polícia. Segundo o delegado Adalberto Castro Júnior, que está de plantão na Delegacia Regional de Piripiri, policiais civis e militares estiveram no local dos crimes, mas não tiveram como fazer perícia porque os locais foram violados por populares. 

"São duas pessoas conhecidas no mundo do crime em Piripiri. Os policiais estiveram no local, mas não tiveram como fazer perícia porque já tinham violado o local. Na morte do Ismael a moto tinha caído por cima dele, mas já tinham tirado a moto, coberto o corpo, aglomerou muita gente, que o corpo teve que ser levado para o hospital para aguardar o IML, desse jeito não tinha como fazer perícia de local de crime", argumenta o delegado. 

Ele disse ainda que como é titular de Pedro II, não conhece as vítimas para saber se os crimes têm relação. O caso será investigado pela polícia de Piripiri. 


Caroline Oliveira
carolineoliveira@cidadeverde.com

 

Vídeo: assaltante arrasta e quebra dedo de advogada

Uma advogada foi arrastada durante um assalto na noite dessa quarta-feira (17) no centro de Piripiri, a 165km de Teresina. Faelem Nascimento estava na porta da casa de uma amiga quando dois homens em uma moto Fan preta a abordaram. Um deles anunciou o assalto e a arrastou pelo asfalto enquanto tomava a bolsa da vítima na Rua Professor Bem. 

Após a agressão do assaltante que a arrastou por alguns metros, Faelem fraturou a falange de um dos dedos. “Quando ele puxava a bolsa, eu batia muito com a cabeça no asfalto. Acho que quebrei o dedo quando fui tirar o óculos”, lembrou a vítima.

O assalto ocorreu por volta das 19h, no local que é próximo à Igreja Matriz da cidade. A Força Tática atendeu ao chamado da ocorrência e conseguiu identificar a localização da dupla pelo telefone celular da vítima.

Por volta das 20h30, após fugir na direção do bairro Anajás, a polícia perseguiu a dupla que abandonou a bolsa de Faelem com o celular e seus pertences, levando o valor de R$ 100 em espécie. 

A advogada recebeu atendimento de saúde na manhã desta quinta-feira e se recupera da fratura no dedo. Ela está com um hematoma no braço e com machucados na cabeça. "Eu não sabia que era um assalto. Parecia uma pessoa pedindo informação. Pelo local, pela hora, pelo momento, eu não achava que era um assalto”, contou a jovem.

No assalto, um dos suspeitos chegou a apontar uma arma de fogo para uma moradora da rua que tentou socorrer Faelem. A mulher é vereadora municipal. 

 

Valmir Macêdo
redacao@cidadeverde.com

Piripiri: Homem é executado a tiros enquanto dormia

Um homem identificado apenas como Daniel, foi executado a tiros em Piripiri, mais precisamente nas dependências da quadra abandonada ao lado do Campo Três Corações, na noite desta terça-feira (16).

Daniel era artesão. Ele estava em uma rede quando foi surpreendido por dois homens que chegaram em uma moto. Sua companheira, Socorro, disse ao Piripiri Repórter que os criminosos chegaram logo atirando e começou a correr.

“Eu gritei e pedi pra ele (Daniel) correr, mas não deu tempo”, contou, revelando que ele falava que vinha sendo ameaçado.

O casal estava no local com rede, uma bicicleta e mochila. Ela contou que ele morava no bairro Matadouro, com a família, e o conhecia em Barras. “A gente veio passar o dia aqui”, disse, quando perguntada sobre o local o qual estavam instalados.

Fonte: piripirireporter

Polícia apreende mochila com dinheiro e drogas em rodoviária

Foto: Divulgação PC/PI

Uma mochila com drogas e dinheiro foi apreendida  na rodoviária da cidade de Piripiri, no interior do Piauí, na manhã desta terça-feira (16). O dono da bolsa era um passageiro que acabou sendo preso. 

"Fomos informados por denuncia anônima de Campo Maior acerca de um indivíduo com atitude suspeita embarcando na rodoviária daquela cidade com destino a Piripiri.Nossa equipe policial do setor de investigação passou a monitorar o criminoso até que o abordou na rodoviária de PiripiriNa mochila encontramos relevante quantidade de dinheiro, bem como droga embalada também em quantidade relevante", disse o delegado Jorge Terceiro.

O suspeito, que não teve a identidade confirmada, foi encaminhado ao Complexo de Delegacias onde será autuado pelo crime de tráfico de drogas. 


 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Juiz manda soltar preso torturado por PMs e determina novo corpo de delito

Em audiência de custódia, o  juiz Antônio Oliveira, titular da 1ª Vara Criminal da comarca de Piripiri, determinou, na tarde desta quinta-feira (11), a soltura de E. A. da S. O preso aparece em imagens sendo torturado por policias militares na cidade. 

E.A. da S. foi preso em flagrante na última terça-feira (9), sob acusação de furto de duas motocicletas, que estavam nas proximidades do batalhão da Polícia Militar de Piripiri. 

Na audiência de custódia, o juiz decretou a ilegalidade da prisão. O magistrado levou em conta os laudos de exame de corpo de delito preliminar, no qual foram constatadas evidências de agressão. O preso também apresentava hematomas visíveis em algumas partes do corpo, como o rosto.

Além de decretar a soltura de E. A. da S., o juiz Antônio Oliveira determinou que fosse realizado um novo exame de corpo de delito com o objetivo de apurar eventual existência de sinais que indiquem a prática deliberada de tortura física ou psíquica. 

O magistrado também ordenou que fossem encaminhadas cópias do Termo da Audiência de Custódia para instituições como o Conselho Estadual de Direitos Humanos, o Ministério Público do Estado do Piauí, a Defensoria Pública do Estado do Piauí, a Corregedoria-Geral da Justiça e a Corregedoria da Polícia Militar do Estado do Piauí para a tomada de providências que considerem cabíveis.

Policiais presos

Os dois policiais militares envolvidos tiveram a prisão administrativa decretada ainda ontem pelo comando da PM. A Diretoria de Comunicação da Polícia Militar do Piauí informou que o comandante geral da corporação, coronel Lindomar Castilho, também determinou instauração de um inquérito policial militar, bem como a apresentação dos PMs na Corregedoria. 

"Isso não nos agrada. Isso nos machuca, mas o que nos cabe agora é cortar da própria carne para poder colocar sempre a instituição aquém de qualquer comentário e fazer sempre o que for correto por parte da instituição. Nós temos uma grande história, são 200 anos defendendo a sociedade e vamos continuar fazendo", declarou o comandante em entrevista à TV Cidade Verde. 

Audiência de custódia

Desde o dia 1º de abril, o Tribunal de Justiça do Estado do Piauí realiza audiências de custódia em todas as suas comarcas.

As audiências de custódia possibilitam a apresentação de um preso a um juiz, na presença de representantes do Ministério Público e de um defensor público ou privado, após a prisão em flagrante, para que seja avaliada a legalidade e a pertinência da manutenção dessa prisão ou aplicação de medidas como fixação de fiança, encaminhamento para tratamento (no caso de dependentes químicos, por exemplo) e determinação de uso de tornozeleira eletrônica.  

Izabella Pimentel
Com informações do TJ-PI
redacao@cidadeverde.com 

Comandante da PM defende corporação e diz que é preciso "cortar da própria carne"

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Lindomar Castilho, defendeu a corporação e afirmou que a agressão a um preso por policiais militares, no município de Piripiri, não condiz com a realidade do dia a dia do policiamento ostensivo. Ele falou ainda que o momento é de "cortar da própria carne" e que a Polícia Militar continuará o seu trabalho de proteger a sociedade, agindo corretamente dentro dos limites legais. 

"Essa não é a realidade do dia a dia da corporação. Infelizmente, eles erraram. Essa ocorrência poderia ter um resultado diferente, mas acabou tomando outro caminho. Os policiais erraram gravemente e agora nos cabe corrigir", disse o comandante.

Castilho disse que diante da gravidade, uma punição administrativa disciplinar ocorreu contra os policiais. "Determinei a prisão deles, que o corregedor entrasse em contato com o comandante (do batalhão de Piripiri). Eles foram presos ainda ontem. Já fizemos todos os caminhamentos. Afastamos, prendemos  e instalamos o procedimento de inquérito policial militar. Tudo o que cabe à Polícia Militar está sendo feito", disse.

"Isso não nos agrada. Isso nos machuca, mas o que nos cabe agora é cortar da própria carne para poder colocar sempre a instituição aquém de qualquer comentário e fazer sempre o que for correto por parte da instituição. Nós temos uma grande história, são 200 anos defendendo a sociedade e vamos continuar fazendo". 

O comandante também destacou que alguns policiais a depender da ocorrência acabam se envolvendo com a situação, o que não é recomendável, por isso, precisa ficar atento aos limites para uma boa condução técnica e operacional. Lindomar explicou que, por exemplo, nesse caso em Piripiri, os policiais agiram corretamente durante toda a ocorrência: identificando e prendendo o suspeito, além de recuperar as motos roubadas. O procedimento padrão é prender, lavrar o flagrante e apresentar a autoridade cabível. 

"Às vezes, o policial comete o deslize de não ter a capacidade técnica de conduzir bem a ocorrência. Talvez, ele tenha se envolvido em algum relato da vítima. Muitas vezes chegam na ocorrência (e escutam): 'olha essa pessoa já me roubou 20 vezes'. Aquilo vai martelando na cabeça do policial", declarou. 

Castilho defendeu ainda que a missão da policial militar é proteger, independente de quem quer que seja, e adotar os procedimentos corretos e legais. Ele afirmou que a polícia não pode ser rotulada por episódios como esse porque os policiais colocam a vida em risco à favor da sociedade.  "Quero dizer aos policiais que nos assistem agora, que nós temos uma missão de trabalhar em prol da sociedade e vamos fazer o encaminhamento correto das ocorrências". 


Foto: Carlienne Carpaso/Cidadeverde.com

Sobre a ocorrência

O coronel soube do caso na noite de ontem (10). "Recebi a ligação de um oficial, informando sobre o vídeo, que estava viralizando no Piauí. Me repassou o vídeo, de imediato passei para o corregedor para apurar se os policiais era de alguma das nossas unidades, e se era recente. Me retornaram em seguida falando que os policiais eram de Piripiri e o vídeo do dia anterior (09)", relatou Castilho, em entrevista ao Jornal do Piauí nesta quinta (11).

Sobre a ocorrência envolvendo o preso (que sofreu as agressões), o coronel Lindomar destacou que ocorreu no final da tarde da última terça em Piripiri. O batalhão recebeu o registro de roubo de duas motocicletas e os policiais saíram em diligência com as vítimas. A pessoa suspeita de praticar o furto é conhecida na cidade por praticar crimes. 

"Rapidamente chegaram a autoria. Identificaram, localizaram e recuperaram as motocicletas. Levaram vítima, acusado, motos para o distrito. Era só lavrar o flagrante. Já estava fechando a ocorrência, quando houve toda essa situação exibida (no vídeo). A própria vítima que estava no local da ocorrência para prestar depoimento fez o registro, e está hoje viralizando", explicou Castilho. 
 
Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com 

Vídeo: PMs têm prisão decretada após flagrante de tortura a suspeito no Piauí

Dois policiais militares do Piauí tiveram a prisão administrativa decretada após um vídeo em que um preso aparece sendo torturado. O flagrante ocorreu dentro da Delegacia de Piripiri, no norte do estado. 

No vídeo, um homem aparece sentado e aparentemente algemado. Na sequência, ele é agredido fisicamente com tapas no rosto e a popular agressão conhecida como "telefone", na qual, com as duas mãos em forma de concha, a vítima recebe tapas contra os dois ouvidos ao mesmo tempo. A técnica - que era usada na época da ditadura - é considerada brutal e pode romper os tímpanos provocando surdez permanente. 

Em alguns trechos, do vídeo, é possível perceber os PMs dizendo: "sustenta, menino. Tu não é ladrão", "Ladrão é assim, pô", "Ladrão quando é pego pela polícia é assim ou o ladrão quando pega um cidadão não faz é pior? Roubando o cidadão, chama de vagabundo"

O homem que aparece sendo agredido é suspeito de ter roubado uma motocicleta. 

Por meio de nota, a Diretoria de Comunicação da Polícia Militar do Piauí informou que o comandante geral da corporação, coronel Lindomar Castilho, determinou a prisão administrativa dos militares e a instauração de um inquérito policial militar, bem como a apresentação dos PMs na Corregedoria. 

Os militares e o preso que aparecem no vídeo não tiveram os nomes revelados. 

A Delegacia Geral de Polícia Civil informou que a Corregedoria de Polícia Civil vai instaurar procedimento cabível para apurar o caso com o intuito de constatar eventual ação ou omissão de policiais civis lotados naquela unidade que se encontravam no plantão policial.

 

Com informações Notícia da Manhã
redacao@cidadeverde.com

Em três dias, PRF apreende 120 animais no Norte do Piauí

Foto: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal concluiu, nesta sexta-feira (29), operação que retirou animais das estradas federais, municipais e estaduais na macro região de Piripiri, zona Norte de Teresina. 

Segundo balanço divulgado pela PRF, 120 animas foram apreendidos entre os dias 26 a 28 de março. A maioria jumentos, bodes, porcos. Todos foram recolhidos para currais da Prefeitura de Piripiri. 

Desde o início deste ano a PRF já apreendeu 195 animais em várias regiões do Piauí. O número, segundo o agente Alexsandro Lima, é considerado expressivo. 

De acordo com a PRF, em 2018 a presença de animais causou cinco mortes nas rodovias federais do Estado. 

A PRF pretende realizar mais operações no período que antecede a Semana Santa onde há um grande fluxo de veículos nas rodovias piauienses.

Novas etapas da operação serão realizadas nos próximos dias.  "Teremos novas operações. Há previsão que a gente faça trabalho sucessivos em todas regiões. A tendência é que seja no Sul do Estado", adianta o agente Alexsandro Lima

 

 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com

Cadela queimada com óleo quente é encontrada agonizando

 Foto: Divulgação/ PC-PI

Uma cadela foi encontrada com um ferimento em grande parte das costas na cidade de Piripiri, a 166 km de Teresina, e a suspeita é que o animal tenha sido queimado com óleo quente. No final da tarde desta quinta-feira (20), a cadela foi encontrada agonizando por membros da uma associação de defesa de animais, que fizeram uma denúncia à delegacia da cidade. 

A polícia civil informou que foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por maus-tratos e que o caso está sendo investigado. Segundo o delegado Jorge Terceiro, titular da Delegacia de Piripiri, as informações preliminares levam a crer que a responsável pelo crime é uma pessoa que reside na vizinhança onde a cachorra vive. 

“Eles compareceram aqui no complexo de delegacias trazendo o animal, trouxeram até no bagageiro de um carro, dentro de uma caixa. Eu vi o animal pessoalmente, ele apresentava uma lesão horrível nas costas e eles informaram que foi óleo quente que jogaram no animal”, informou o delegado Jorge Terceiro.

“O animal foi enviado a um veterinário para fazer os cuidados necessários e emitir um laudo pra gente e foi expedido uma intimação para a dona do animal comparecer. Ela vai à delegacia acho que amanhã de manhã. Segundo informações dos populares, não foi a dona a responsável, foi outra pessoa que residiria nas vizinhanças da casa onde o animal vivia com a dona”, acrescentou o delegado.

Ainda de acordo com Jorge Terceiro, até a próxima semana, o procedimento estará concluído e será enviado ao juizado especial da cidade, onde a responsável irá responder por crime ambiental de maus-tratos.   

“A cadela foi encaminhada para receber tratamento com um médico veterinário, que deve expedir um laudo para informar o tamanho da lesão. O certo é que o animal sofreu bastante, porque teve o couro cabeludo arrancado e quem fez isso deve responder”, afirmou.

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Cidade de Piripiri sedia Encontro do Conselho Regional de Enfermagem

O município de Piripiri, Norte do Estado, sediará nos dias 13, 14 e 15 de março o Encontro do Conselho Regional de Enfermagem (ENCREPI), promovido pelo Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI).

O encontro, que acontece pela primeira vez no município, contará com grandes nomes da enfermagem piauiense que discutirão assuntos pertinentes à área por meio de conferências e minicursos. O evento será realizado no Auditório Ozires Neves de Melo - praça de eventos Arimatea Sousa.

Entre os temas discutidos, consta na grade de programação: Qualidade no Curso da Vida: 100% de cuidados paliativos onde houver 1% de chance; Resolução Cofen nº 509: Boas práticas do enfermeiro responsável técnico; Comunicação efetiva no ambiente de trabalho; Descomplicando a SAE: Uma abordagem prática; e Atualização em Urgência e Emergência Cardiológica.

Tatiana Maria Melo Guimarães, presidente do Coren-PI e uma das conferencistas do evento, destaca que o ENCREPI tem como objetivo reunir profissionais e graduandos em enfermagem para promover capacitação e disseminar conhecimento e informação aos participantes. “Além de permitir a discussão de assuntos importantes e atuais acerca da enfermagem, o ENCREPI é uma forma de reunir profissionais e estudantes, aproximando-os entre si como também do Conselho. É uma oportunidade do Coren-PI ouvi-los de perto, entender os problemas e trabalhar cada vez mais para desenvolver uma enfermagem de qualidade no Piauí”, reforçou a presidente.  

 Fonte: Ascom

Posts anteriores