Cidadeverde.com

Vereadores concedem mais 30 dias de afastamento ao prefeito de Pedro II

Foto: Ascom/Prefeitura

A Câmara de Vereadores do município de Pedro II, aprovou durante sessão realizada na manhã deste sábado (24), o novo pedido de licenciamento do prefeito Alvimar Martins (Progressistas), em razão de tratamento médico.  

O pedido, aprovado por unanimidade pelos vereadores presentes na sessão, concedeu ao gestor mais 30 dias de licença do cargo público.

Alvimar Martins que já está há um mês em licença, justifica o afastamento pela “necessidade de uma correta e melhor recuperação”.

Desde o comando da prefeitura há 30 dias, a vice-prefeita Elizabete Brandão (PSB) deve continuar assumindo o cargo. 

 

Rebeca Lima
redaçã[email protected]

Prefeito de Pedro II pede mais 30 dias de afastamento do cargo

Foto: Ascom/prefeitura

O prefeito de Pedro II, Alvimar Martins (Progressistas), solicitou à  Câmara de Vereadores do município prorrogação de afastamento do cargo. O prefeito foi licenciado no último dia 23 de junho para ser submetido a uma cirurgia.  Inicialmente o afastamento temporário seria por 30 dias.

O novo pedido de afastamento foi recebido nesta sexta-feira (23) pelo presidente da Câmara, vereador Carlos José de Oliveira Santos, o Carlinhos, e será analisado em sessão neste sábado (24).

No pedido o prefeito solicita  mais 30 dias de afastamento. No documento ele justifica a solicitação em razão do tratamento médico que foi submetido e da "necessidade de uma correta e melhor recuperação". 

A vice-prefeita Elisabete Brandão (PSB), que está no comando da prefeitura há 30 dias, deve seguir na função. 


Izabella Pimentel
[email protected]

Irmão e mãe vão a júri popular pela morte de Izadora Mourão

Foto: Reprodução/redes sociais

O irmão e a mãe  da advogada Isadora Mourão, morta a facadas em fevereiro deste ano em Pedro II, no norte do Piauí, irão ser submetidos ao tribunal popular do júri. A decisão que pronunciou João Paulo dos Santos Mourão e Maria Nerci dos Santos Mourão por homicídio triplamente qualificado foi proferida na noite desta quarta-feira (21), pelo juiz da 2ª Vara da Comarca de Pedro II, Diego Ricardo Melo de Almeida.

Na decisão, o magistrado argumenta que há indícios suficientes para comprovar a autoria, bem como a materialidade do crime. Maria Nerci chegou a assumir a autoria do crime, durante a audiência de instrução e julgamento no mês passado, mas o juiz apontou que João Paulo também estava na cena do crime. 

"Os indícios suficientes de autoria encontram-se evidenciados, sobretudo, pela prova técnica produzida nos autos, a qual ajudou no esclarecimento da cronologia e as circunstâncias que se deram os fatos, aliada aos depoimentos das testemunhas e interrogatórios dos acusados, sendo que a acusada Maria Nercí dos Santos Mourão confessou ter sido a autora dos golpes de faca desferidos na vítima, especificando as supostas razões e os meios que a levaram a consumar o delito, causando as lesões descritas nos laudos periciais supramencionados. Por seu turno, o acusado João Paulo negou as acusações em seu desfavor", diz um trecho da decisão. 

O magistrado também apontou que existem diversas incongruências entre as versões apresentadas pelos acusados em seus interrogatórios e as provas obtidas na instrução processual. 

Na sentença de pronúncia, o juiz da comarca de Pedro II também aponta as qualificadoras como elementos que levam o caso a ser apreciado pelo Tribunal do Júri. "Da mesma forma, no tocante às qualificadoras constantes da denúncia, segundo a qual os acusados teriam agido com emprego de meio cruel, utilizando-se de recurso que dificultou a defesa da vítima, e por razões da condição de sexo feminino, entendo que tais circunstâncias merecem ser submetidas à apreciação do Tribunal do Júri", diz a sentença.

A data da sessão do Tribunal Popular do Júri que vai analisar o caso será marcada após o encerramento dos prazos de recursos que poderão ser apresentados pela defesa dos réus. 

O Cidadeverde.com tentou contato com a defesa de João Paulo e Maria Nercí, mas não obteve sucesso. O espaço permanece aberto. 

 

Clique e confira a íntegra da decisão 

 

Foto: Reprodução/redes sociais

Relembre o caso

A advogada Izadora Mourão, de 41 anos, foi morta com um golpe de faca na manhã do dia 13 de fevereiro em Pedro II, a 195 km ao Norte de Teresina. Ela foi encontrada no quarto com ferimentos no pescoço e no peito.

O irmão foi preso em flagrante, em casa, dias após após velar e enterrar a vítima e demonstrou frieza. A mãe foi indiciada como cúmplice dias depois e por ser idosa foi mantida em prisão domiciliar. 

A investigação apontou que havia uma disputa por herança.

 

 

 

Natanael Souza
[email protected] 

Advogada: mãe assume assassinato de Izadora Mourão e disse que esperou ela dormir

A advogada Esmaela Macêdo revelou, nesta sexta-feira (25),  que a mãe de Izadora Mourão, Maria Nerci Mourão, assumiu sozinha o assassinato da filha durante a audiência de instrução e julgamento realizada  na última quarta-feira (23). 

Izadora Mourão, 41 anos, era advogada, e foi assassinada a facadas no dia 13 de fevereiro deste ano na casa em que morava com a família, na cidade de Pedro  II, a 195 Km de Teresina. O irmão dela, advogado e jornalista João Paulo Santos Mourão, está preso suspeito do crime.

A advogada, que também é responsável pela defesa de Maria Nerci, afirma que na audiência o fato “mais surpreendente” foi a exclusão do irmão de Izadora no caso. Segundo ela, nenhum laudo pericial atestou sequer a presença de João Paulo na cena do crime. 

“Todas as provas foram conclusivas em excluir João Paulo ,definitivamente, da cena do crime. As provas apontaram que toda culpa está direcionada exclusivamente sobre a mãe”, conta a advogada Esmaela. 

Ainda de acordo com a advogada, a mãe contou que tinha desentendimentos com a filha e que no dia do crime houve uma discussão entre as duas na cozinha da casa. 

“Ela contou que Izadora foi para o quarto e quando ela cochilou,  ela fez a execução. Primeiro constatou que ela estava dormindo com medo que ela reagisse”, acrescenta a advogada.

A defesa de João Paulo fez um requerimento solicitando a liberdade provisória do advogado e jornalista.

Foto: reprodução Facebook

A advogada criminalista foi morta com vários golpes de faca


Izabella Pimentel
[email protected]

Justiça vai decidir se irmão e mãe de Izadora Mourão vão a júri popular


O juiz Diego Ricardo Melo de Almeida, da comarca de Pedro II, vai proferir nos próximos 10 dias a decisão se os acusados de matar a advogada Izadora Santos Mourão irão ou não para júri popular. A audiência de instrução e julgamento aconteceu ontem (23). O Ministério Público do Piauí e a Defesa Técnica apresentaram as alegações finais e aguardam a decisão. O processo está em segredo de justiça. 

Até o momento, ninguém foi pronunciado. Os réus no processão são o irmão e a mãe de Izadora, João Paulo Santos Mourão e Maria Nerci Mourão. A advogada Izadora Mourão, de 41 anos, foi morta com um golpe de faca no dia 13 de fevereiro em Pedro II, a 195 km ao Norte de Teresina. Ela foi encontrada no quarto com ferimentos no pescoço e no peito.

Ontem, oito testemunhas foram ouvidas. A audiência de instrução e julgamento iniciou às 9h e terminou pouco depois das 19h.  João Paulo aguarda o julgamento no sistema penitenciário e a mãe em prisão domiciliar. 

O Ministério Público irá se pronunciar após a decisão do juiz. O MPPI também aguarda posicionamento do juiz em retirar o segredo de justiça do processo. 

A advogada de defesa Esmaela Macêdo comentou que também aguarda a decisão do juiz para, posteriormente, falar sobre o processo. 

“Nós não podemos nos manifestar em que termos foi favorável tendo em vista que esse processo continua em segredo de justiça. Existem fatos novos. O magistrado com sua competência no prazo de dez dias irá analisar as alegações feitas pelo Ministério Público e Defesa e, após essas alegações apreciadas, ele decidirá pela pronúncia ou não dos acusados. Somente posterior a essa decisão que se pode vir a falar em júri popular”, diz a advogada. 

A decisão do juiz deve ser fundamentada e pode ser pela pronúncia e impronúncia.  É possível recurso contra a decisão. 

Carlienne Carpaso
[email protected]

 

Prefeito de Pedro II é internado no Hospital São Marcos e passará por cirurgia

Foto: Ascom/prefeitura


O prefeito de Pedro II, Alvimar Oliveira de Andrade (Progressistas), conhecido como Alvimar Martins, pediu afastamento do cargo após passar mal e ser internado no Hospital São Marcos.

O pedido de afastamento temporário do prefeito foi protocolado hoje e vale por 30 dias. Entre os documentos anexados está o atestado do hospital.

Segundo apurou o Cidadeverde.com, Alvimar Martins, passará por cirurgia na próstata. Ele já se encontra internado e realiza exames para a cirurgia.

O presidente da Câmara de Pedro II, Carlos José Oliveira, o Carlinho (Progressista) confirmou o afastamento e disse que a Câmara providencia a posse da vice Elisabete Brandão (PSB) no cargo.

Segundo apurou o Cidadeverde.com, o prefeito Alvimar está consciente e sentindo muitas dores. 

Veja documento aqui

 

Flash Yala Sena
[email protected] 
  

Audiência de instrução ouve testemunhas e suspeitos de matar advogada Izadora Mourão

Foto: reprodução Facebook

A audiência de instrução e julgamento do assassinato da advogada Izadora Santos Mourão acontece nesta quarta-feira(23) de forma virtual. As testemunhas e os réus, que são o irmão e a mãe da vítima, devem ser ouvidos pelo juiz Diego Ricardo Melo de Almeida. 

O irmão da vítima, João Paulo Santos Mourão, está preso em uma penitenciária de Teresina e a mãe, Maria Nerci Mourão, está em prisão domiciliar. 

Como a audiência é virtual, juiz, promotora, testemunhas e os réus não precisaram se dirigir ao Fórum de Pedro II para participarem. 

A advogada Izadora Mourão, de 41 anos, foi morta com um golpe de faca na manhã do dia 13 de fevereiro em Pedro II, a 195 km ao Norte de Teresina. Ela foi encontrada no quarto com ferimentos no pescoço e no peito.

O irmão foi preso em flagrante, em casa, após velar e enterrar a vítima e demonstrou frieza, a mãe foi indiciada como cúmplice dias depois e por ser idosa foi mantida em prisão domiciliar. A investigação apontou que havia uma disputa por herança. 

Foto: reprodução Facebook

 Aguarde mais informações 

 

Caroline Oliveira
[email protected]

 

Polícia apreende maconha em estufa e prende um suspeito

Foto: Polícia Civil

Uma pessoa foi presa suspeita de cultivar maconha de alto poder alucinógeno em estufa na cidade de Pedro II. A prisão ocorreu no bairro São Gonçalo, região central do município. A Polícia Civil também informou que “investiga a participação de menores e apreendeu os pés de maconha que se encontravam no local”. 

O delegado Marcelo Leal, da Gerência de Polícia do Interior, comenta que os policiais, sob o comando do delegado André Moreno, foram até o local e encontraram diversas mudas da droga, além de insumos de cultivo, como fertilizantes especiais e temporizadores de led. 

Os policiais receberam denúncias sobre o plantio enquanto cumpriam buscas na cidade de Pedro II. 

A casa é alugada e o proprietário não estava no local. 

O tipo de maconha encontrada possui poder alucinógeno mais potente que a considerada “normal”. 

Foto: Polícia Civil

Veja nota da Polícia Civil

A Polícia Civil do Piauí, por meio da Delegacia de Pedro II, prendeu nesta quarta-feira (02.06), um homem por cultivo de maconha em estufa, no bairro São Gonçalo, região central da cidade. As investigações tiveram início meses atrás e culminaram com a prisão.

A polícia investiga a participação de menores e apreendeu os pés de maconha que se encontravam no local.

 


Da Redação
[email protected] 

Bancário morre após veículo colidir em árvore na PI 216, em Pedro II

Foto: Reprodução/Facebook

Um bancário, identificado como Hermilane Mourão de  Castro, de 37 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira (28) após colidir o veículo que dirigia em uma árvore localizada às margens da PI 216, em Pedro II, região norte do Piauí. 

De acordo com informações da companhia de Polícia Militar do município, o acidente aconteceu por volta das 2 horas da madrugada e as circunstâncias ainda não foram esclarecidas. 

"O que sabemos é que ele estava indo em direção ao estado do Ceará, quando perdeu o controle e colidiu na árvore. Nem mesmo os populares que presenciaram o acidente, souberam informar as circunstâncias", explicou o capitão. 

O Corpo de Bombeiros precisou ir até o local para auxiliar na remoção do corpo do bancário das ferragens do carro. 

As causas do acidente devem ser investigadas pela Polícia Civil. 

Hermilane Mourão era natural de Piripiri, mas morava em Pedro II há cerca de 10 anos, onde trabalhava na agência do Banco do Brasil. 

 


Natanael Souza
[email protected] 

Médico e ex-prefeito Walmir Café morre em São Paulo

Foto: arquivo pessoal

Atualizada às 11h55

O médico e ex-prefeito Walmir Café faleceu na manhã desta segunda-feira (24) em São Paulo aos 66 anos. Ele estava em tratamento da Covid-19. Na vida política, ele foi vereador (presidente da Câmara Municipal), vice-prefeito e se elegeu por três vezes prefeito de sua cidade, Pedro II. 

Walmir Café é irmão da atual vice-prefeita de Pedro II, Elizabete Brandão. O cunhado Wilson Brandão prestou homenagens nas redes sociais. 

“Walmir foi um amoroso esposo, verdadeiro pai e um apaixonado avô. Tinha sua família como um bem precioso. Exerceu a medicina como missão de vida, colocando milhares de crianças no mundo e realizando outras milhares de cirurgias, a qualquer hora do dia ou da noite. Salvou vidas e fez a felicidade de muitas famílias”.
 
Inicialmente, Walmir Café passou alguns dias internado em hospital particular de Teresina e depois foi transferido para São Paulo. 

“Pedro II e o Piauí perdem um grande cidadão e um médico exemplar. Walmir, você vai nos deixar uma saudade enorme e eterna, mas levaremos de sua vida, marcas indeléveis e as melhores lembranças. Que você seja acolhido no reino de Deus e possa, em outro plano, iluminar nossas vidas”, ressalta Wilson Brandão. 


 

 

O prefeito de Pedro II, Alvimar Martins, e o Conselho Regional de Medicina emitiram nota de pesar.  Em postagem, Alvimar Martins cometou que o legado de Walmir Café "foi de muito trabalho e amor" pela cidade e, "mesmo enquanto adversário político, sempre foi exemplo de cidadão e homem respeitoso".  

 

 

 

 


Carlienne Carpaso
[email protected] 

Posts anteriores