Cidadeverde.com
Esporte

"Efeito Neymar" causa lucros para outros clubes europeus nas Bolsas de Valores

Imprimir

O "efeito Neymar" trouxe lucros não só para o Paris Saint-Germain, mas também para todos os outros clubes da Europa que são cotados em Bolsas de Valores.

De acordo com uma análise dos mercados, o cenário vem sentindo mudanças desde agosto, quando a maior negociação financeira do mundo do futebol seria concretizada.

Segundo a análise, todos os 16 times que estão cotados em bolsas europeias tiveram crescimento. Incluindo ainda quatro clubes turcos. Para se ter um exemplo da consequência da saída de Neymar do Barcelona, a Lazio cresceu pouco mais de 7% em apenas alguns dias, enquanto o Borussia Dortmund cresceu 11% e a Juventus 14%.

Os analistas também recordaram da extrema volatidade do setor na Bolsa. O crescimento se explica sobretudo, pela reavaliação do maior patrimônio de todos os times: o seu plantel. Isso porque eles tomam como base os 222 milhões de euros da venda do jogador brasileiro para o PSG .

E não é somente porque os clubes podem fazer mais negócios importantes por conta de uma possível venda para o Barcelona repor seu atacante, mas por conta da notável liquidez.

Os especialistas apontam que, embora o crescimento médio das equipes entre 3% e 7%, Juve e Borussia tiveram as maiores altas porque podem ser as equipes que vão vender algum de seus jogadores por um alto valor ao time catalão.

Ousmane, Dembelè e Dybala podem estar entre os substitutos de Neymar e, por vonta do alto valor do mercado, os clubes crescem nas Bolsas. A Juve, por exemplo, quer 150 milhões de euros pelo argentino. Outro cotado, Philippe Coutinho, não conseque destacar o Liverpool por um simples motivo: o time inglês não está na Bolsa.

Neymar cobra Barcelona

Depois de deixar o Barcelona pela porta dos fundos e acertar sua transferência ao PSG, o atacante Neymar agora estuda denunciar o clube espanhol na Fifa.

O brasileiro exige o pagamento de 26 milhões de euros (cerca de R$ 95,4 milhões) referente à premiação acordada na renovação de contrato realizada em outubro de 2016, mas os catalães já avisaram que não vão desembolsar esse valor.

Segundo o Barça, a decisão de Neymar em deixar o time para jogar no futebol francês violou alguns pontos do acordo da renovação de vínculo até 2021, por isso o depósito do bônus foi suspenso. De acordo com o diário "Mundo Deportivo", o jogador deverá acionar a entidada e o caso será analisado pela Câmara de Resolução de Disputas.


Fonte: IG

Imprimir