Cidadeverde.com
Geral

Desemprego cai pelo 5º ano e fica em 14,1% em 2008, diz Dieese/Seade

Imprimir
A taxa média de desemprego nas seis regiões metropolitanas do país --Belo Horizonte, Distrito Federal, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo-- ficou em 14,1% no ano, ante 15,5% em 2007, segundo pesquisa da Fundação Seade e do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) divulgada nesta quarta-feira.
 
Foi o quinto ano consecutivo de queda na taxa, segundo as entidades. No mês passado, o contingente de desempregados nas seis regiões foi estimado em 2,812 milhões de pessoas, 190 mil a menos do que em 2007.

Já o número de ocupados nas seis regiões foi calculado em 17,150 milhões de pessoas, e a PEA (População Economicamente Ativa) em cerca de 19,962 milhões. Em 2008, foram gerados 804 mil postos de trabalho, número suficiente para absorver o conjunto de pessoas que entraram no mercado de trabalho (613 mil).

O decréscimo da taxa de desemprego total refletiu as reduções em todas as regiões pesquisadas: Distrito Federal (de 17,7% em 2007 para 16,6% em 2008), Belo Horizonte (de 12,2% para 9,8%), Porto Alegre (de 12,9% para 11,2%), Recife (19,7% para 19,6%), Salvador (21,7% para 20,3%) e São Paulo (de 14,8% para 13,4%).

Em dezembro, a taxa de desemprego no conjunto das seis regiões metropolitanas pesquisadas ficou em 12,7%, ante 13% em novembro. Essa é a menor taxa desde janeiro de 1998. Já em São Paulo, foi verificada a menor taxa da série desde fevereiro de 1992, ao passar de 12,3% em novembro para 11,8% em dezembro.

SÃO PAULO
No ano passado, o contingente de desempregados foi estimado em 1,403 milhão de pessoas em São Paulo --102 mil a menos do que em 2007. O nível de ocupação (9,064 milhões) em São Paulo em 2008 cresceu 4,6% em relação ao ano anterior (8,663 milhões).

Todos os setores de atividade apresentaram elevação no ano em relação a 2007: serviços (207 mil novos postos, alta de 4,4%); indústria (85 mil novos postos, alta de 5,2%); comércio (65 mil novos postos, expansão de 4,6%); e agregados dos demais setores (44 mil novos postos, alta de 4,6%).

RENDA
Em São Paulo, o rendimento médio real dos ocupados ficou estável e o dos assalariados teve ligeira queda, para R$ 1.224 e R$ 1.281 respectivamente. Já no conjunto das seis regiões, o rendimento médio real dos ocupados cresceu 2,8% e passou para R$ 1.171, e o dos assalariados subiu 1,9%, para R$ 1.244.

 

Fonte: Folha Online

Tags:
Imprimir