Cidadeverde.com
Esporte

Grêmio marca aos 56 do 2º tempo e evita derrota para o Santos na Libertadores

Imprimir

O Santos entendeu o motivo de o Grêmio ter o apelido de "Imortal". Após abrir o placar no primeiro tempo e segurar o resultado até os acréscimos, o time alvinegro viu o árbitro marcar pênalti polêmico com ajuda do VAR e sofreu o empate aos 56 minutos do segundo tempo. 

Foto - Lucas Uebel - Grêmio

A igualdade por 1 a 1 deixa completamente aberta a disputa por uma vaga na semifinal da Copa Libertadores. O duelo de volta será realizada na semana que vem, na Vila Belmiro. A equipe do técnico Cuca terá a vantagem de jogar por um empate sem gols para avançar.

O Grêmio aumentou sua sequência invicta para 17 partidas. Já o Santos segue sem perder como visitante nesta edição da Libertadores. Promessa de grande duelo na semana que vem para definir quem será eliminado nas quartas de final.

No jogo desta quarta, se o Santos não pôde contar com Soteldo, que contraiu o novo coronavírus, o Grêmio também tinha um desfalque importante: Jean Pyerre, que vem sendo um dos principais jogadores da equipe e está com desgaste muscular. Cuca apostou em Lucas Braga, enquanto Renato Gaúcho colocou Pinares. Os gaúchos sentiram mais falta do seu meia-atacante do que os alvinegros do venezuelano.

O Santos mostrou superioridade e conseguiu neutralizar os ataques adversários na etapa inicial. Mereceu ir para o intervalo em vantagem no placar, com o gol marcado por Kaio Jorge, aos 35 minutos. No lance, Pará cruzou, Vanderlei saiu mal e a bola sobrou para Felipe Jonathan, que chutou e viu o atacante desviar para o fundo da rede.

Kaio Jorge só ficou à disposição para o confronto porque o Santos conseguiu a liberação da CBF para o atacante se apresentar à seleção brasileira sub-20 apenas nesta quinta-feira Ele retornará antes e poderá atuar no duelo de volta.

Após o gol, a partida ficou ainda mais brigada. Jobson se envolveu em confusão com Pinares ao acertar uma bolada quando o adversário já estava caído. Houve empurra-empurra entre os jogadores, e o volante santista recebeu o amarelo. 

Logo em seguida, Pinares dividiu com Pituca e recebeu o cartão vermelho, mas o juiz foi chamado pelo árbitro de vídeo, voltou atrás na expulsão e deu amarelo para Pituca.

O Grêmio teve muitas dificuldades para criar jogadas. O Santos, bem organizado, conseguiu conter os avanços adversários. O volante Sandry, que tem 18 anos e foi uma das surpresas de Cuca, fez ótima partida: não deu espaços e desafogou as saídas de bola com bons passes.

No segundo tempo, o Grêmio tentou pressionar mais em busca do empate. Mas esbarrava principalmente em Pinares, que pouco dava sequência às jogadas. Luiz Fernando e Pepê também não tiveram grande atuação, e Diego Souza quase não recebia bolas.

As melhores chances gremistas foram de bola parada. David Braz perdeu boa chance ao subir livre e cabecear para fora. Depois, o zagueiro cobrou falta de longe e exigiu boa defesa de John. O goleiro santista voltou a aparecer na defesa de cabeçada de Diego Souza.

O Santos sentiu a pressão, se fechou e passou a apostar em contra-ataques. Levou muito perigo em duas finalizações no mesmo lance: Pituca arriscou de fora da área, Vanderlei rebateu, Darlan errou o domínio e a bola sobrou para Kaio Jorge, que chutou rasteiro para fora.

Cuca resolveu deixar o Santos mais protegido quando Kaio Jorge pediu substituição. O lateral-direito Madson foi o escolhido para entrar como ala, na linha do meio de campo, e Marinho virou "falso 9". O novo esquema não durou muito, porque Pará pediu para sair.

Renato Gaúcho colocou Everton e Churín para dar novo gás ao sistema ofensivo. E o Grêmio chegou ao empate em lance muito polêmico.

Após ser chamado para rever o lance no monitor, o árbitro marcou pênalti por toque da bola no braço de Balieiro, após cruzamento de Ferreira. Já aos 56 minutos, Diego Souza foi para a cobrança e empatou a partida.

Por Guilherme Amaro
Estadão Conteúdo

Imprimir