Cidadeverde.com
Geral

Centro de Zoonoses apura 1º caso suspeito de raiva canina em Teresina após 27 anos

Imprimir

Foto: Roberta Aline/CidadeVerde.com

O Centro de Zoonoses de Teresina está apurando um caso suspeito de raiva canina em Teresina. Segundo o diretor do órgão, Paulo Marques, um teste inicial apresentou resultado positivo, mas ainda é insuficiente para o diagnóstico. Ele acrescentou que a capital não registra casos há cerca de 27 anos.

"Tem uma suspeita e estamos investigando. Ainda não podemos dizer que é um caso, porque só podemos afirmar se ela [cadela] reagir positivo em todos os testes. Foi feito um teste. Estamos aguardando o segundo, que o resultado vai demorar 21 dias e o material também foi enviado para São Paulo para fazer um terceiro teste, que vamos ter que aguardar também", repassou.

O diretor também acrescentou que as equipes estão monitorando toda as áreas próximas de onde o caso suspeito foi registrado, na região do bairro Aroeiras, zona Leste da capital.

Quanto a campanha de vacinação antirrábica, o diretor do Centro de Zoonoses informou que ainda não há uma data definida para Teresina. Segundo ele, a capital já possui 200 mil doses da vacina. As seringas para a campanha serão disponibilizadas pela Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) e já estão na capital.

"A nossa campanha desse ano está faltando apenas receber parte dos materiais necessários, que a Fundação já adquiriu, só que a empresa tem um prazo para entregar. Temos 200 mil vacinas já guardadas, as seringas já estão em Teresina e serão fornecidas pela Secretaria de Saúde. Eles já comunicaram que podemos ir buscar. Somente esses outros que precisamos aguardar, as quentinhas que serão contratadas, camisas, cartazes, outros materiais que fazem parte da campanha", explicou o diretor do Zoonoses.

Foto: Roberta Aline/CidadeVerde.com

 

A raiva

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de aproximadamente 100%. O vírus se concentra em maior quantidade na saliva, sangue e secreções dos animais acometidos pela doença.

A raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura, podendo ser transmitida também pela arranhadura e lambedura desses animais. A morte do animal acontece, em média, entre 5 e 7 dias após a apresentação dos sintomas, caracterizada por excitação, agressividade, medo, demência. Há também a fase com dificuldade de engolir, salivação, falta de coordenação e até paralisia.

 

 

 

Flash Marcos Cunha
[email protected] 

 

Imprimir