Cidadeverde.com
Esporte

Piauiense Mikaely disputa Pan-Americano Paralímpico e sonha com Paris-24: “Ansiedade sem fim”

Imprimir

Foto: Arquivo Pessoal

A história de Mikaely Araújo é mais uma daquelas que parece ter um enredo comum, mas é cheia de reviravoltas e nos deixa com expectativas de um grande final. A ciclista natural da cidade de Pedro II, 31 anos, vai representar o Piauí a partir desta quinta-feira (17) no Campeonato Pan-Americano de Ciclismo Paralímpico, em Maringá (PR). A competição vai distribuir pontos nos rankings mundiais, tanto no individual como no de nações. Rankings que serão utilizados como base para a classificação dos ciclistas ao Parapan-Americano de Santiago 2023 e aos Jogos Paralímpicos de Paris 2024. Mas quem vê Mikaely em uma competição desse nível e vislumbrando está em Paris-24 não imagina que paixão pela bike começou de forma despretensiosa.

“Eu acredito que qualquer atleta ou paratleta sonha em participar de uma olimpíada ou paralímpiada e esse é sim o meu maior sonho e objetivo. Pode ser que aconteça de ser convocada para seleção, mas para isso eu vou precisar de muito apoio principalmente do governo, pois a gente precisa de uma dedicação a mais. Quando a gente sai do Piauí, sai do Nordeste para competir contra as outras equipes a gente vê o quando eles são preparados e o quanto temos que treinar mais”, frisou Mikaely Araújo. 

O pedal entrou de forma sólida em sua vida durante a pandemia, pois ela precisava se mexer, uma vez que nasceu com uma má formação congênita no fêmur esquerdo o que a exige atenção especial para manter a perna direita firme e forte.

“Eu uso essa representatividade para motivas, pois tenho certeza que tem várias mulheres maravilhosas em casa, pessoas com deficiência que as vezes tem vergonha de sair e viver a vida. Tem preconceitos com elas mesmas. Eu sou muito feliz com essa representatividade”, disse Mikaely Araújo, ciclista piauiense. 

As provas do Pan-Americano de ciclismo paralímpico foram divididas em duas partes. As disputas na pista acontecerão nos dias 17 e 18, enquanto as competições de estrada ocorrerão no final de semana, dias 19 e 20. O primeiro Campeonato Pan-Americano de Ciclismo Paralímpico acontece em Maringá, no Paraná, e terá 170 atletas de 11 países em provas de pista e estrada.

“É uma ansiedade que não tem fim, mas eu tento transformar isso em força e busco colocar dentro da pista sempre dando meu melhor. Os treinos foram mudados, pois é uma competição de pista que requer um pouco mais de força e por isso demos uma melhorada nos treinos de musculação e continuamos com o de resistência”, afirmou a atleta natural de Pedro II. 

Essa é a primeira participação de Mikaely em um Pan-Americano e o primeiro grande torneio após as pausas nos calendários devido a pandemia de covid-19. 

 


Pâmella Maranhão 
[email protected]

Imprimir