Cidadeverde.com
Economia

Receita paga 3º lote do Imposto de Renda com correção de 2,02%

Imprimir

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

A Receita Federal paga, nesta sexta-feira (29), o terceiro lote de restituições do Imposto de Renda 2022 para 5,2 milhões de contribuintes. Os valores terão correção de 2,02% com base na taxa básica de juros, a Selic. Ao todo, serão depositados R$ 6,3 bilhões.

Do total, R$ 285,3 milhões vão para contribuintes que têm prioridade legal. São 9.461 idosos acima de 80 anos, 62.969 contribuintes entre 60 e 79 anos, 6.361 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 29.540 cidadãos cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Também serão contemplados 5.134.337 contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até o dia 3 de maio de 2022.

O pagamento é realizado diretamente na conta bancária informada na declaração. Também pode ser feito por Pix. Se, por algum motivo, o crédito não for feito (por exemplo, a conta informada foi desativada), os valores ficarão disponíveis para resgate por até um ano no Banco do Brasil.

Neste caso, o cidadão poderá reagendar o crédito pelo Portal BB, em https://www.bb.com.br/irpf, ou ligando para a Central de Relacionamento BB por meio dos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-7290001 (demais localidades) e 0800-7290088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos).

Caso o contribuinte não resgate o valor de sua restituição no prazo de um ano, deverá requerê-lo pelo Portal e-CAC, disponível no site da Receita, em Declarações e Demonstrativos, no Meu Imposto de Renda. Clique em Solicitar restituição não resgatada na rede bancária.

Como sair da malha fina 

Os contribuintes que entregaram a declaração até 3 de maio e não entraram neste lote podem estar na malha fina. Ao todo, das mais de 34 milhões de declarações recebidas pela Receita Federal neste ano, 2,015 milhões de contribuintes caíram em malha.

Segundo o fisco, das declarações retidas, 40% vão para análise pois possuem pendências de omissão de rendimentos -são casos de erro no salário ou de ausência de informação sobre a renda recebida por algum dependente.

Para sair da malha fina, é preciso enviar uma declaração retificadora. Quem corrige informações e envia novamente o documento vai para o final da fila de restituições.

 

Fonte: Folhapress (Cristiane Gercina)

 

Imprimir