Cidadeverde.com

Mulheres são presas com drogas e 208 comprimidos de rohypnol nas partes íntimas

  • 872334a2-2853-4658-9e27-11e832c165f0.jpg
  • 7fe0192c-391a-4f2f-848a-4af58158af35.jpg
  • 84bacc16-7137-4880-8b60-eb3d2ca5d5e1.jpg
  • df4d3dd8-fdc4-4053-ac9b-ec96a4e5a062.jpg
  • 84404fe0-1d66-48b9-a8c6-9debb1716784.jpg
  • 98a79d86-f656-4b0b-8eb3-cc405997bb68.jpg

Duas mulheres foram presas ao tentarem entrar com drogas dentro da Penitenciária de Esperantina, a 174 km de Teresina, neste domingo de Páscoa (16) durante as visitas. O entorpecente estava escondido dentro das partes íntimas das duas. Elas iriam repassar a droga para Francisco Carlos Lopes da Silva, conhecido como “fofo”, preso desde dezembro de 2016 e responde por homicídio. 

As mulheres foram identificadas como a irmã e esposa do preso, Laiane da Silva e Maria Lúcia dos Santos, respectivamente. 

Com a primeira, a Polícia Militar aprendeu 25g de maconha e 31g de crack. Já a esposa escondia os 208 comprimidos de rohypnol - um tranquilizante - e 12g de maconha. Tudo estava nas partes íntimas das duas. 

“Nós estávamos fazendo um levantamento de informações, com a ajuda da Força Tática local, e hoje era o dia que elas iriam tentar entrar. As drogas nós pegamos através do Raio-X. Nós abordamos, a levamos para fazer o exame no hospital, e depois para o delegado lavrar o flagrante. Elas se encontram no DP local aguardando a preventiva ser feita”, disse o gerente do presídio de Esperantina, .

Sobre o comprimido de rohypnol, o gerente explicou que misturando com outras substâncias ou tomado em grandes quantidade se transforma em uma “forte droga”.

“Esse comprimido é alucinógeno. A pessoa tomando mais de um comprimido se torna mais forte que muita droga. Ele é muito forte. É comprimido para quem tem problemas mentais, tarja preta tomado com outros medicamentos, mas o pessoal consegue comprar no mercado negro e jogar para dentro dos presídios. Ele acaba sendo uma droga, e droga pesada”, esclareceu Agnaldo Lima. 


Carlienne Carpaso 
redacao@cidadeverde.com