Cidadeverde.com

Presos de Altos ameaçam iniciar greve de fome denunciando maus tratos

Foto: Sejus


Presos da Casa de Detenção Provisória de Altos ameaçam iniciar uma greve a partir de hoje (22) denunciando maus tratos e que a alimentação na unidade prisional é de péssima qualidade. Os detentos informaram aos seus familiares que irão realizar a greve de fome como forma de protesto.

Na manhã de hoje alguns mães foram para a frente da Casa de Detenção Provisória de Altos  protestar.  A mãe de um dos presos, que prefere não se identificar, disse ao Cidadeverde.com que os detentos são maltratados diariamente e vivem um "regime de tortura".

"Apesar deles serem bandidos, eles são gente.  Lá eles são maltratados tendo que comer comida quase crua, levam porrada, spray de pimenta, ficam na triagem por 30 dias usando a mesma roupa. Muitos estão doentes psicologicamente, com pressão alta, problema de estômago e na pele. Hoje eles estão fazendo uma greve de fome pois não estão aguentando mais", afirma. 

Em aúdio divulgado para a imprensa, uma mãe conta que os presos já estão fazendo greve de fome e sofrendo um "massacre". Em outra mensagem, a esposa de um preso conta que um detento "apanhou muito".

Nas mensagens uma das mães chega a chorar ao dizer que tomou conhecimento sobre o que o filho está passando casa de detenção. "Ele nunca tinha contado sobre o que estava passando lá dentro. Estão sendo muito maltratados lá dentro, comendo comida crua", disse a mãe que não conseguiu ir para a CDP hoje por morar  no município de  Piripiri. 

As mães irão realizar um abaixo-assinado, produzir um relatório informando os maus tratos que os filhos estariam passando e entregar o documento para a Comissão de Direitos Humanos da OAB-PI.

A Secretaria de Estado da Justiça informou que não recebeu nenhuma denúncia de maus tratos na Casa de Detenção Provisória  em Altos.  A Sejus reitera ainda que a unidade penal possui atendimento da equipe da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) , "bem como cozinheiras profissionais e nutricionista para o acompanhamento das refeições feitas e servidas aos reeducandos". 

Conceição Carcará, presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB informou ao Cidadeverde.com que recebeu a denúncia e amanhã (23) vai se reunir com as mães para adotar as providências. A reunião acontecerá às 9h. 

Izabella Pimentel
[email protected]