Cidadeverde.com

Capela de 1870 está sendo recuperada no sertão do Piauí

  • DI_nova.jpg Suzana Hirooka
  • DI_nova_1.jpg Suzana Hirooka
  • DI_13.jpg Suzana Hirooka
  • DI_4.jpg Suzana Hirooka
  • DI_6.jpg Suzana Hirooka
  • DI_21.jpg Suzana Hirooka
  • DI_2.jpg Suzana Hirooka
  • DI_7.jpg Suzana Hirooka
  • DI_16.jpg Suzana Hirooka
  • DI_1.jpg Suzana Hirooka
  • DI_9.jpg Suzana Hirooka
  • DI_3.jpg Suzana Hirooka

A iniciativa partiu do Projeto Archaeo em parceria com a Prefeitura de Dom Inocêncio, município piauiense distante 626 quilômetros de Teresina,  que está realizando trabalhos de manutenção e ajustes na igreja, para  implantar no local um centro de educação patrimonial nas salas conjugadas existentes na edificação.

A ideia é valorizar a cultura e o turismo na região de Ponta da Serra localidade onde está erguido o templo,  e que fica a 84 km da sede do município. Os trabalhos serão realizados através do  treinamento de pessoas da comunidade para futuramente receber e conduzir os turistas que desejam conhecer a capela secular.

O templo foi construído por Frei Henrique Cavalcante em 1870, ele ergueu  também as  igrejas de Remanso, na Bahia, de São João do Piauí, São Raimundo Nonato e Caracol. Segundo a tradição, a Capela de Ponta da Serra teria sido construída com mão de obra escrava e apoio financeiro de Carlão do Outeiro, um antigo propietário de terras e gado da região do século XIX.

O espaço é um importante patrimônio edificado que só se manteve preservado graças a população local e ao trabalho que envolve muito amor pela preservação.

O acervo de imagens religiosas ainda existentes desde a época de fundação do templo  chama a atenção pelo trabalho dos escultores. Existem suspeitas que a igreja seja mais antiga ainda, e que tenha sido edificada  em 1685 por outro Frei Henrique, de uma Ordem de Jesuítas, de origem até então desconhecida, provavelmente, oriundos de Portugal para a Bahia e que chegou até as terras piauienses e ergueu uma capela de paredes de  pedra  que posteriormente foi adaptada a atual igreja.

João Bandeira
Com informações de  Macelo Damasceno (Ascom)